Skip to main content

Em meados dos anos 2000, com a recém chegada internet discada, os jogos arcade de computador faziam um grande sucesso. Lembro de passar horas no Newgrounds e Miniclip jogando aqueles games que funcionavam pelo extinto Adobe Flash. Naquela época, os jogos não tinham gráficos impressionantes, gameplays variadas e muito menos enredos complexos. Os jogos eram diretos ao ponto e a dificuldade era o que motivava o jogador a continuar a tentar um recorde novo ou chegar no final.

Seguindo esse legado dos jogos arcade, Knights and Guns faz sua estréia no Nintendo Switch e o título sintetiza bem a história do game: soldados medievais portando armas de fogo. Logo no início é mostrado uma cidade medieval sendo invadida por monstros de origem desconhecida. Junto com a chegada desses inimigos, armas futuristas também surgem sem explicação alguma. Por ser um arcade, a história é o de menos: o que importa é bombardear os inimigos com armas futuristas.

Matar um monstro faz surgir mais dois, desses dois, surgem mais três e assim vai.

É tipo Space Invaders, só que a pé

Com controles bem tranquilos de se aprender, Knights and Guns traz aquele formato clássico de jogos que você só pode atirar para cima. Independente da posição que o monstro esteja, é necessário se posicionar, pular ou empurrar os inimigos para abater as ondas de criaturas asquerosas. Antes de entrar nas fases, é possível escolher entre algumas armas disponíveis. Mas para ter uma experiência mais gratificante e tranquila, será necessário torrar suas moedas em armas mais poderosas.

O game segue um sistema não linear de progressão: você escolhe o seu caminho em um mapa quadriculado, podendo seguir o percurso da história principal ou fazer missões secundárias para encontrar baús escondidos pela região. Com os recursos obtidos na sua aventura é possível adquirir armaduras, vidas e souvernirs na loja, que podem auxiliar o gameplay ou explicar um pouco melhor o enredo.

Explorar o mapa é necessário para acumular moedas.

Clichê atrás de clichê

Knights and Guns foi idealizado como um arcade, então não dá pra esperar um gameplay muito complexo nem uma história chocante. Porém, o game desaponta em não trazer algo novo, caindo no famoso “mais do mesmo”. As hordas de monstros são compostas pelos mesmos tipos de inimigos (diferentes apenas na cor), dando a frequente sensação de repetição de fase.

A trilha sonora é uma mistura entre as músicas medievais e um rock regado de solos de guitarra. No início é empolgante, já que você está no meio da bagunça com vários monstros pulando. Após algumas partidas, começa a ficar repetitivo. O game possui também um sistema de conquistas onde é necessário jogar os mesmos estágios com diferentes armas, mas considerando que são quase os mesmos inimigos, a mesma música, o mesmo TUDO, fica muito cansativo desbloquear os troféus.

Precisamos falar sobre vaidade nos tempos medievais.

Pior sozinho, melhor acompanhado

Ao iniciar Knights and Guns, aparece a mensagem “Better enjoyed with a friend” (melhor aproveitado com um amigo). Essa mensagem faz total sentido já que a diversão do game está em jogar com alguém simultaneamente. Com um jogador a mais as hordas de inimigos ficam mais frenéticas, há a necessidade de deixar recursos para o seu amigo não ser derrotado e é preciso planejar melhor o uso das moedas, uma vez que o gasto será em dobro.

O game permite que o segundo jogador entre em qualquer momento, lembrando os tempos dos fliperamas onde era apenas necessário adicionar mais uma ficha e apertar o start para adicionar um jogador. Por conta da alta repetitividade presente nos estágios, o co-op acaba sendo muito bem vindo para aumentar a dificuldade e dar aquele tom caótico que combina com o cenário de Knights and Guns.

Às vezes, o que a gente mais precisa é atirar com raios de luz pro alto.

Produzido pela Baltoro Games, empresa que coleciona jogos arcade como um gerenciador de trânsito e até de foodtruck, Knights and Guns funciona como uma boa representação dos fliperamas para os jogadores mais novos. Além disso, o game conta com um modo infinito (Endless) que facilita o percurso dos jogadores menos habilidosos, permitindo coletar moedas para depois comprar itens no modo campanha.

Knights and Guns entrega o que é proposto, um jogo simples de correr e atirar que pode ser desafiador quando jogado em equipe, mas que não irá surpreender os jogadores mais experientes. O game até pode ser uma boa aquisição para os que desejam ter uma jogatina mais descompromissada no Switch, entretanto, não espere algo inovador que vá te fazer jogar sem parar.

SCHiM

Review – SCHiM

Diego CorumbaDiego Corumba15/07/2024
Imagem do review de Anger Foot

Review – Anger Foot

Marco AntônioMarco Antônio11/07/2024