Skip to main content

Yomawari: The Long Night Collection mentiu para mim. Ou melhor, omitiu suas características. Como eu não havia jogado os games anteriormente, ao ver o trailer imaginei que fosse um jogo de suspense e mistério, com uma pegada mais leve e fantasiosa. Mas eu estava enganado… Como eu estava enganado.

Essa coleção reúne os jogos Yomawari: Night Alone (PS Vita, PC) e Yomawari: Midnight Shadows (PS4, PS Vita e PC) lançados nos últimos dois anos. Trata-se um survival horror com visão isométrica e com visual de anime fofinho, mas bastante perturbador com momentos de sustos e uma profunda sensação de perigo.

Silent Hill isométrico

Em Yomawari: Night Alone, a protagonista é uma garotinha cujo o nome não é mencionado. Durante um passeio com seu cãozinho Poro, algo acontece fazendo-o fugir. De volta para casa apenas com a coleira, a menina conta o ocorrido para sua irmã que decide sair a procura do animal. Passado algumas horas sem retorno, a garotinha decide sair sozinha a procura de ambos. Entre cartas e mensagens descobertas pelos cenários, o objetivo principal é encontrá-los.

Imagem do jogo Yomawari: The Long Night Collection
Minha mãe me ensinou a não andar por cima de tampas de bueiros. Agora sei porque!

Ambos os títulos possuem uma atmosfera que lembram Silent Hill. Ou, mais precisamente, Silent Hill 2: ambientação sinistra e desolada, protagonista em busca de alguém, situações inexplicáveis… Fortalecendo a experiência, a trilha sonora muitas vezes é quase nula; ouvimos os passos e batimentos cardíacos da personagem, gerando uma tremenda tensão durante a jornada.

Procurar sua irmã não será uma tarefa fácil: a cidade está tomada por criaturas grotescas que podem, a qualquer momento, encher a tela do Switch de sangue. Você carrega apenas uma lanterna, pedras e outros objetos que não servem para combate. É preciso ser muito cauteloso e saber quando correr ou se esconder.

Yomawari: The Long Night Collection não te dá informações mastigadas, seguindo a tradição dos jogos japoneses. Após um breve tutorial, você precisará ter coragem para explorar o cenário e encontrar pistas. A sensação de estar perdido será frequente e pode até parecer ruim, mas faz parte do jogo. Para prosseguir na história, será necessário raciocinar seus passos conforme encontrar novas pistas.

Imagem do jogo Yomawari: The Long Night Collection
Olhando assim, nem parece que o jogo é tão assustador.

Fugir das criaturas gastará sua barra de estamina bem rápido. Uma opção é esconder-se atrás de arbustos ou placas: neste momento a garota fecha os olhos e no meio da escuridão ouviremos seus batimentos acelerados. Uma visão avermelhada permite sentir as criaturas passando por perto e, apesar de ser uma representação simples, é apavorante.

Já em Yomawari: Midnight Shadows o terror continua, desta vez com duas protagonistas: Yui e sua amiga Haru. Após assistirem a queima de fogos no topo de uma montanha, no retorno para casa, coisas estranhas começam a acontecer e Yui resolve investigar. Adivinha? Ela não retorna. Agora Haru quem terá que procurar sua amiga, enquanto Yui precisa encontrar maneiras de fugir do local onde está. Ou seja, controlamos as duas protagonistas em locais diferentes com o objetivo de elas se reencontrem.

A jogabilidade de ambos os títulos são bem parecidos. Você explora a cidade em busca de pistas e itens para acessar novos locais ou encontrar coletáveis, mas enquanto o primeiro título mantém a exploração limitada pelas ruas escuras, o segundo game nos dá a possibilidade de acessar algumas casas. No entanto, no controle de Yui, geralmente você estará em locais fechados.

Imagem do jogo Yomawari: The Long Night Collection
Bizarro e imprevisível. Não fique aí parada, corra para as colinas!

Escondendo-se das criaturas grotescas

Ambos os títulos possuem cenários parecidos. As semelhanças acontecem porque ambos se passam na mesma cidade e há até mesmo algumas criaturas repetidas, o que será irrelevante quando você descobrir a variedade de monstros bizarros que há na coleção toda. Cada monstro age de maneira diferente e é impressionante a forma imprevisível como eles se apresentam. Geralmente eles te perseguem ao avistá-lo, sendo que alguns são mais rápidos e o matam sem que você veja de onde veio o ataque, enquanto outros só serão visíveis com a luz da lanterna.

Você pode atirar pedras para tentar distrair essas criaturas, mas fique de olho na sua estamina. Ao se aproximar dos monstros a garota ficará assustada e essa barra tende a diminuir mais rápido que o normal. Se não conseguir correr, procure esconderijos ou morrerá e retornará ao último ponto de salvamento.

Imagem do jogo Yomawari: The Long Night Collection
Nem no menu você está a salvo dos demônios japoneses.

Falando em salvamentos, esse jogo é assustador até neste aspecto. Há dois métodos de salvamento no jogo: nos quartos das protagonistas ou nos Jizōs (estátuas guardiãs japonesas) espalhados pela cidade, que também permitem fazer viagens rápidas entre os pontos encontrados. Mas será necessário oferecer uma moeda sempre que for utilizá-lo. O problema desses Jizōs é que eles salvam apenas a partida atual. Imagine que você avançou 10% do jogo salvando apenas desta forma; caso você pare de jogar e retorne em outro momento, você retornará do salvamento feito no quarto das protagonistas. Então fica a dica: procure jogar até salvar o progresso no quarto.

O segundo título possui interações e mecânicas um pouco diferentes do primeiro game, como melhorias na estamina permitindo correr por mais tempo, empurrar caixas para ter acesso a novos caminhos e mais itens de interações com o cenário. Porém, o salvamento do progresso permanece igual.

Imagem do jogo Yomawari: The Long Night Collection
Acostume-se com esta tela, pois você vai vê-la várias vezes!

Embora aparente ser um jogo curto, você gastará várias horas em ambos os títulos. Ainda mais se você for como eu: medroso ao extremo, se escondendo a cada esquina que atravessa. Além disso há diversos coletáveis para encontrar que valem a pena só pelo desafio de sair do quarto para superar seus medos. Jogar com fones de ouvido muda completamente a sensação: a imersão é ainda mais profunda, causando uma tensão absurda graças aos efeitos e trilha sonora. Ouvir os ventos das ruas desoladas, os batimentos, os passos das garotas e ainda aquele fantasma que do nada resolve te assustar, com certeza vão prender sua atenção.

Infelizmente há detalhes em Yomawari: The Long Night Collection que permaneceram desde suas versões originais, como a baixa resolução dos arbustos ou placas no momento em que a garota se esconde, deixando a imagem um pouco estranha. Há também pequenos erros de colisão, onde o balão de interação indica um ponto de interesse sem ter objeto.

Imagem do jogo Yomawari: The Long Night Collection
Através das batidas do coração, a personagem cria uma espécie de radar que consegue sentir a proximidade dos monstros.

Yomawari: The Long Night Collection traz dois jogos de survival horror que são fora do comum, do tipo que te engana com artes fofinhas. Mesmo que a jogabilidade seja simples, não espere por um jogo fácil. Pelo contrário, você provavelmente morrerá muitas vezes e encontrar pistas e resolver os quebra cabeças pode ser bastante complicado.

Esta coleção é uma verdadeira preciosidade em meio aos vários jogos indies disponíveis pro Nintendo Switch. Com toda certeza é um jogo que merece sua atenção, principalmente se você for um apreciador de jogos com muitas bizarrices, sustos, sangue e mistério.

SCHiM

Review – SCHiM

Diego CorumbaDiego Corumba15/07/2024
Imagem do review de Anger Foot

Review – Anger Foot

Marco AntônioMarco Antônio11/07/2024