Skip to main content

Quando comecei a dar os primeiros toques em Soccer Story, foi inevitável notar a semelhança de propostas que há entre ele e os saudosos Dodgeball Academia, lançado em 2021 e Golf Story, que saiu em 2017. Trazendo uma visão diferente para o esporte, não apenas o futebol é abordado neste lançamento, mas também a ideia de fazer com que os atletas se aventurem como os bons e velhos RPGs.

Ou seja, não adianta nada saber dar carrinho ou ter sacadas geniais para o passe de bola, se não tiver a mínima noção estratégica de como fortalecer seu time e suas habilidades. Munido de uma boa dose de humor e de exploração, cabe a você fazer a paixão pelas chuteiras voltar novamente à popularidade que já foi um dia.

O título da PanicBarn e No More Robots surpreende pelo misto de simplicidade com os diversos puzzles que o gênero carrega. Esta mistura que dá o tom bacana que vai envolve-los até o fim desta divertida proposta, então trate de amarrar bem essas chuteiras que esta bicuda é para marcar um gol daqueles.

Amarre bem as chuteiras e marque gols!

Uma proposta distinta em Soccer Story

O início de Soccer Story é um tanto curioso, mostrando como o mundo que conhecemos entrou em colapso após uma partida de futebol. Após uma verdadeira catástrofe, o esporte foi proibido para o público geral e apenas poucos times podem praticá-lo sob supervisão da Soccer Inc.

Partindo daí, você controlará Leo, um rapaz que recebeu a visita da “Bola Mágica” e percebe que está destinado a entrar em campo – assim como o seu pai o fez no passado. Com esta Lei em vigor, cabe a você iniciar os treinos clandestinamente e reunir uma equipe para chegar aos olhos da megacorporação e disputar a famosa Copa Maçã.

O futebol levará Leo para conhecer todo o planeta

Com toda a ousadia, o título vai te ganhando em suas mecânicas e nos textos divertidos, que são totalmente localizados para o português. E quando digo isso, não é apenas uma mera tradução, você percebe que os termos e humor se encaixam perfeitamente e acabam gerando um curioso caso onde a naturalidade atinge seu ápice. Para mim, este foi um dos maiores atrativos e vai render algumas risadas durante a experiência.

Em relação à exploração e o próprio esporte, Soccer Story também não faz feio. O mapa não é gigantesco, mas dá para o gasto e esconde bastante coisa para o jogador descobrir no papel do protagonista. Power-Ups, moedas, itens raros e até mesmo side quests estão espalhadas e se você passar direto por algumas, pode ter certeza que se arrependerá dentro dos campos.

Quando esta tela surge, é só alegria

Com a bola nos pés

Já no quesito futebol, apesar de termos um escopo reduzido de 5v5, senti que nem tudo corre como deveria ser. Toques e chutes funcionam bem demais e neste aspecto não tenho do que reclamar, até com a disparada sendo uma boa forma de equilibrar as coisas. Porém, a inteligência artificial deixa a desejar muitas vezes.

Vamos colocar em termos simples e específicos: quando qualquer personagem chuta depois da linha do meio-campo em direção ao gol, o seu goleiro pulará. Independente da distância, da potência etc. Quando meu time adversário está mais perto do gol, a defesa trabalha bem. Se chutam lá da metade da área, a bola chega quando ele está caído e marca o placar. Notei várias vezes uma oportunidade disso, fora as que sofri, e assumo que faltou pouco para que a IA trabalhasse melhor.

De perto, nada funciona. Já de longe…

Temos de concordar que isso não é problema algum quando você está ganhando. Se estiver liderando a partida de Soccer Story, essa preocupação não existirá. Porém, em jogos mais apertados dá para notar os adversários usando desta estratégia para virar a favor deles e vão te deixar bem nervoso nos confrontos acirrados. É bom tomar cuidado com isto, diga-se de passagem.

Tirando este pequeno fator, no geral as coisas são bem divertidas e dinâmicas. Vale notar que as regras como falta e saída de bola mal existem por aqui, então é fazer o máximo de atrocidades possíveis e tentar marcar. Eu admito que depois de ter analisado Mario Strikers: Battle League e FIFA 23, esta opção não faz tão feio em relação aos demais, principalmente caso não tenha muito R$ para gastar nestas festas de fim de ano. Comprar a experiência não será uma má ideia para você caso já haja interesse.

Eu sei onde você leu isso, Bob!

A performance do gol

Algo que me deixou bem curioso são as variadas opções que o game carrega, ainda mais se considerarmos que estamos falando sobre um jogo indie. Mesmo no Nintendo Switch, ele possui um Modo Desempenho e um Modo Performance. Eu sei, caros leitores, vocês estão rindo e se perguntando o que fizeram por aqui para surgir isso no console híbrido. Porém, nas limitações deles, entregam até que diferenças viáveis que dá para brincar conforme você joga.

O que não gostei foi ter sofrido o reinício do aplicativo em determinados momentos. Não sei se foi por estarem acontecendo várias coisas ao mesmo tempo, se foi falha de Soccer Story ou o que quer que tenha rolado. A sorte é que o auto-save trabalha em cima de qualquer mudança minúscula que vemos ali. Se um personagem falou um “A” diferente, o ícone aparece e quando retornei não estava em um ponto tão distante assim para reclamar. Ainda assim, foi chato.

Já pensou travar nas coisas simples, como diálogos e caminhada?

De qualquer modo, para aqueles que curtiram demais Dodgeball Academia e estão viúvos de uma aventura misturada com esportes, este é o caminho certo para pular sem pensar duas vezes. Ou se, como foi o meu caso, vocês estão no clima de Copa do Mundo e qualquer bola rolando em campo já atrai a sua atenção.

Sem fazer feio e carregado de referências e cenários divertidos, Soccer Story pode ser justamente o que estava esperando para te cativar. Sem muita dor de cabeça, complexidade ou outras manias que carregam a indústria de jogos ultimamente, você aproveitará o bom RPG com a chance de marcar uns gols sem muita enrolação.

SCHiM

Review – SCHiM

Diego CorumbaDiego Corumba15/07/2024
Imagem do review de Anger Foot

Review – Anger Foot

Marco AntônioMarco Antônio11/07/2024