Skip to main content

Sam e seus amigos ficam presos num espaço-tempo contínuo e misturado, e agora precisam lutar contra o Ugh’Zan e seu exército de monstros. A batalha os leva a diferentes épocas e lugares – desde as florestas astecas até os desertos do Egito com um terrível chefe esperando ao final de cada lugar. Não há tempo para mais explicações! Escolha seu personagem e corra para trás enquanto enfrenta as hordas de inimigos. Você não leu errado: em I Hate Running Backwards, você avança apenas correndo para trás em uma aventura cheia de tiroteios, inimigos, upgrades e cenários gerados de forma “procedural”.

Trata-se de um jogo arcade, um topdown shooter, roguelite e endless runner – nossa, quantas características! Sim, o jogo reúne todas essas características e é ambientado no universo de Serious Sam, trazendo também diversos personagens convidados, armas e modos de jogo. I Hate Running Backwards possui a estética de Minecraft, porém não é um jogo de construção e nem possui aquela trilha sonora suave. Pelo contrário, aqui temos uma trilha sonora agitada que acompanha a adrenalina e o ritmo frenético de destruição e hordas intermináveis de inimigos.

Uma reunião de celebridades

O jogo possui os modos Campanha, Diário e Twitch. Os modos de jogo se diferenciam com relação aos desafios e possibilidades de interação, porém em todos eles as fases começam e progridem igualmente. Isso acontece por que a primeira fase sempre começa no ambiente do Egito, progredindo diferentemente a cada partida, e somente após derrotar algumas hordas de inimigos e o primeiro chefe, um escorpião, que seremos transportados para um outro ambiente.

Imagem do jogo I Hate Running Backwards
Podemos destruir os inimigos utilizando habilidades específicas de cada personagem.

Com outras fases desbloqueadas, você poderá selecioná-las, porém isso não acontece forma intuitiva – no início da primeira fase no Egito, podemos atravessar passagens que nos levam para as demais fases, mas o jogo não deixa isso claro (eu mesmo descobri esse transporte por sorte, tentando destruir o cenário).

No modo campanha podemos escolher um personagem entre 4 disponíveis inicialmente, cada um apresentando uma habilidade diferente e, apesar de haver mais personagens, você precisará jogar para desbloqueá-los. Há diversos convidados de outros jogos da Devolver que fazem companhia para Sam ‘Sério’ Stone. Entre eles estão ‘Lo Wang’ de Shadow Warrior e ‘Richard’ de Hotline Miami, entre outros que você vai descobrir ao longo do jogo. Na seleção de personagens, você pode adicionar o segundo player para o modo cooperativo.

Já tentou correr para trás enquanto faz alguma coisa? É complicado e difícil de acostumar, e o mesmo acontece em I Hate Running Backwards, podendo apenas movimentar-se para os lados e sempre olhando para o mesmo sentido. Acostumando-se com isso, comece o tiroteio contra as hordas de inimigos e, para ajudar, é possível encontrar outros tipos de armas e munições e também armas especiais que são mais potentes, como um lança-chamas, raio lasers, arma de gelo e diversas outras. Você também encontra escudos de proteção, vida extra e outros itens que melhoram seu armamento e movimentação.

Imagem do jogo I Hate Running Backwards
Algumas vezes, utilizamos veículos e aeronaves durante as fases.

Os cenários e seus objetos podem ser totalmente destruídos e, ao destruí-los, você acumula pontos que carregam uma barra de habilidade, que completada traz a escolha entre três melhorias de habilidades apresentadas aleatoriamente e que só valem para a partida atual. Além desta barra, há outra que é preenchida conforme derrotamos os inimigos, e quando o poder desta barra é utilizado, ela emite uma explosão ao redor do nosso personagem, destruindo inimigos e objetos no cenário. Quando você perde a partida, retornará ao início, sem checkpoints ou algo do tipo.

Fama por 24 horas

De volta ao menu inicial, desta vez vamos conhecer o modo ‘Diário’, onde temos um placar de pontuação global e entre amigos. Neste modo, I Hate Running Backwards nos desafia a fazer a maior pontuação do dia utilizando um personagem específico e, ao finalizar, sua pontuação ficará no placar por 24 horas, tempo pelo qual você não poderá mais participar do desafio, restando apenas aguardar o próximo, então não vacile como eu vacilei.

Agora nos resta habilitar o modo Twitch, que permite uma interação curiosa no jogo. Os inimigos que enfrentaremos neste modo serão comandados pelos espectadores, que através do chat do canal podem enviar uma variedade de inimigos ou utilizar um drone para lançar tiros contra nosso personagem. São permitidos até oito espectadores interagindo de uma só vez contra o streamer. É um ótimo modo para interagir com os seguidores do seu canal e ter um desafio diferente.

Imagem do jogo I Hate Running Backwards
O modo Diário pode propor personagens diferentes dos quais você possui.

Há uma opção no menu inicial que reúne informações sobre os personagens, armas, inimigos e chefões, o que é legal para conhecer um pouco mais sobre o jogo e seus personagens. Essas informações são desbloqueadas conforme você coleta, desbloqueia personagens e derrota inimigos.

I Hate Running Backwards possui menus em português, que ajudam a compreender mais sobre os personagens e itens desbloqueados, porém ainda assim algumas coisas ficam confusas pela falta de explicações, como a campanha, onde você simplesmente começa sem nenhum tipo de introdução. No decorrer das fases, você aprende enquanto joga e a interface apresenta itens e comandos que são auto-explicativos, mas por vezes o jogo causa uma sensação de não ter avanço, e isso piora ao voltar frequentemente ao início, até dominarmos os comandos para avançar.

Com uma estética de um jogo tranquilo, no entanto com a dificuldade acentuada que não é personalizável, o jogo pode ser rigoroso quanto à recuperação de vida, exigindo uma boa habilidade para enfrentar as hordas e os chefões para conseguir avançar. É divertido ver tudo sendo destruído como peças de brinquedo, e essa estética foi uma ótima escolha para visualizar essa destruição. Se você estiver jogando com amigos, a diversão e destruição serão ainda maiores.

Imagem do jogo I Hate Running Backwards
Os Chefões atiram e enviam hordas para nos derrotar, então mantenha as armas poderosas carregadas.

Talvez os desenvolvedores pudessem implementar um modo cooperativo on-line – imagine 4 amigos na mesma fase enfrentando hordas ainda maiores, isso seria uma loucura e muito divertido!

I Hate Running Backwards é um arcade frenético, rigoroso e direto em sua proposta. As diferentes formas de jogo possibilitam desafios interessantes, divertindo sozinho ou com amigos, mas também requerem muita persistência para se dominar. Enquanto aguardamos Serious Sam 4, por quanto tempo resistiremos correndo para trás?

SCHiM

Review – SCHiM

Diego CorumbaDiego Corumba15/07/2024
Imagem do review de Anger Foot

Review – Anger Foot

Marco AntônioMarco Antônio11/07/2024