Skip to main content

Estão acontecendo coisas estranhas na pequena cidade de The Blackout Club. Durante a noite, as pessoas são sonâmbulas e saem de suas camas para vagar pelas ruas. Inconscientemente, elas parecem seguir ordens de uma criatura misteriosa e tentam capturar aqueles que não estiverem sob o efeito deste sonambulismo. Muitos adolescentes estão sendo levados para o mundo invertido, digo, para uma misteriosa instalação no subsolo que está cheia de pessoas encapuzadas realizando um ritual bizarro.

Este é um jogo cooperativo de ação e terror em primeira pessoa que vai colocar você e mais três amigos na pele dos adolescentes que felizmente conseguiram acordar em meio ao apagão. Cientes de que algo muito ruim está acontecendo bem debaixo de suas próprias casas e que isso pode ser fatal, este grupo criou o The Blackout Club para investigar estes mistérios e ajudar a população a se libertar deste mal.

Gravando vídeos para o canal The Blackout club?

Os rebeldes deste grupo precisam espalhar informações sobre essa resistência para que outras pessoas, quando despertarem possam conhecê-la e fazer parte dela. Outra missão importante será a coleta de evidências do que está ocorrendo, pois quando amanhece todos despertam e agem normalmente sem lembrar do que ocorreu, e obviamente não acreditam nas histórias destes jovens. Portanto vamos usar a tecnologia a nosso favor.

Imagem do jogo The Blackout Club
Que noite bonita! Que tal irmos lá fora investigar um ritual maluco?

Neste jogo, o mundo é moderno e está cheio de tecnologia à disposição, e sua principal arma será o smartphone. Você poderá gravar vídeos contendo provas do que está acontecendo nas ruas, mostrando seus próprios pais sonâmbulos tentando lhe capturar, ou pior: os Lucids, que são pessoas com vestes bem esquisitas, que vagam pela cidade para encontrar aqueles que ainda não estão dormindo. A mecânica é bem diferente e instigante, mas seria realmente surpreendente se tivéssemos acesso às gravações que fizemos em algum menu do jogo.

The Blackout Club se preocupa em mostrar a narrativa do jogo para ambientar todos os jogadores antes das partidas on-line acontecerem, com uma campanha offline bem curta, mas que funciona tanto para agregar a história quanto como um bom tutorial que te ensina a utilizar todos os recursos que o jogo oferece. A experiência pode ser bastante assustadora, pois aqui você estará sozinho enfrentando The Shape e toda sua gangue, e com certeza vale a pena conhecer mais desta história.

Imagem do jogo The Blackout Club
Se tiver usando microfone, fique calado!

The Shape é a principal ameaça deste jogo e não poderá ser visto de olhos abertos, mas sim de os olhos fechados, e eis aqui a mecânica que causa mais tensão neste jogo. A criatura sombria aparece caso você faça muito barulho e alerte muitos Sleepers e Lucids. Se ele surgir, se esconda e feche seus olhos, pois somente assim você verá sua silhueta e o quão próximo está. A interface pode ajudar informando sua presença, mas não lhe dará certeza de sua posição, então não tem jeito, mesmo que seja tenebroso é preciso fechar os olhos e ficar bem atento. Sem dúvidas, esses momentos são bastante assustadores ao mesmo tempo que são divertidos, já que nem sempre estamos bem escondidos e o que resta é correr feito louco tentando driblar os sonâmbulos e armadilhas enquanto deixamos o monstro para trás.

Caso The Shape te capture, você não conseguirá resistir e se tornará em mais um sonâmbulo voltando-se contra seus amigos. Esta foi a forma mais interessante de perder uma partida que eu já presenciei em um jogo online. Se todos forem capturados, o grupo perde a fase e não recebe pontuação, mas enquanto houver um rebelde acordado sempre haverá a esperança de que todos voltem para a partida, pois os outros jogadores podem te acordar e trazê-lo de volta para a missão. Isso te faz acompanhar a partida por inteiro, aguardando uma nova chance.

Imagem do jogo The Blackout Club
Mesmo sonâmbula, sempre parece que a mãe quer tirar fotos com a natureza.

Nesta investigação noturna, você e seus amigos podem utilizar diversos equipamentos como: aparelho de choque, bestas, ganchos, granadas de espuma, granada de flash, bomba de ruídos e muitos outros que vão ajudar a afastar os adultos e a organização misteriosa. Mas se tudo isso não for suficiente, você ainda poderá adquirir power-ups de hack para controlar drones, fazer chamadas telefônicas que distraem os Sleepers (é hilário vê-los atendendo um telefone de mentira), e nenhuma dessas habilidades pode ferir os adultos, tendo em vista que eles podem ser seus pais, parentes ou amigos, trazendo muitas possibilidades para superar os desafios e tornando-os bastante divertidos.

Colocando em prática a operação: menor de idade em perigo

Um diferencial em The Blackout Club, além da ‘visão Raio-X’ e da câmera, é que as fases não possuem tempo. A noite vai durar o quanto o grupo quiser, e a partida só acaba quando as missões são realizadas e todos retornam em segurança ao ponto de encontro. Essa pequena cidade também permite que você explore cada canto, cada cômodo de uma casa, inclusive o subsolo, e em todos eles há diversos coletáveis que podem ser itens consumíveis ou pequenas provas que vão ajudar na pontuação final.

Imagem do jogo The Blackout Club
Evidências eu tenho, só não compartilho porque estou sem sinal no celular.

O jogo possui fases diferentes, as quais você vai desbloqueando conforme o nível do grupo aumenta. Todas elas se passam na mesma cidade, porém cada uma em um trecho. Parece repetitivo, e até que é mesmo, mas cada fase é gerada randomicamente, ou seja, sempre há mudanças nos objetivos, itens diferentes, inimigos e às vezes há até mudanças nas posições das casas, mas o ambiente é geralmente igual. Felizmente, o visual dos cenários são tão bonitos e agradáveis que você não vai se importar de estar sempre nas mesmas ruas, e o contexto do jogo também ajuda no entendimento desta repetição.

Em uma certa altura da jogatina, os integrantes do The Blackout Club ganharão um traidor, o The Stalker. Nesse que é um modo PvP, você poderá trabalhar para o The Shape invadindo sessões de outros jogadores para encontrar os integrantes do clube e denunciar suas posições, ou ainda gravar provas que indiquem que eles não passam de vândalos. Se ver algum jogador arrombando portas ou janelas, grave com seu celular e isso lhe dará pontos, mas não deixe que o grupo te veja, se não você perderá a partida. Isso muda totalmente a forma de jogar para todos os jogadores, tornando a fase ainda mais desafiadora.

Imagem do jogo The Blackout Club
Você está com medo, tudo bem! Mas com essa postura você parece um robô!

Embora o visual dos cenários seja bem produzido e atraente, o mesmo não pode ser dito para os personagens. Os adolescentes podem ser customizados com diversas roupas, cortes de cabelo, acessórios e muitas outras coisas que são bem legais, porém nada ajuda a torná-los cativantes, e pra piorar sua postura é um tanto esquisita quando estão parados – felizmente enquanto caminham já não parecem tão estranhos. De qualquer forma, talvez pudessem melhorar as feições, a postura e aparência física dos personagens.

No acesso antecipado, um dos problemas que o jogo possuía era a interface, onde diversos textos surgiam ao mesmo tempo na tela, tornando difícil a compreensão das informações. Nesta versão, The Blackout club trouxe boas melhorias, como as mensagens que informam o objetivo da missão surgindo como balões de SMS, o que ficou bem legal visualmente e encaixou bem no contexto. As outras informações como itens adquiridos, nomes de locais, resumo de objetivos e entre outras informações agora estão bem separados. Mesmo assim, os menus ainda carecem de capricho, principalmente nas cores utilizadas. Obviamente isso não vai atrapalhar a experiência, mas pode incomodar.

Imagem do jogo The Blackout Club
Essas informações incorporadas aos cenários são bem legais.

Durante a análise, o jogo apresentou problemas no modo online, que aparentemente ainda não está muito movimentado. Às vezes pode ser difícil encontrar salas com outras pessoas, o que é triste vendo o quão divertido o jogo é, mas caso você crie uma sala pública e ninguém apareça, é possível acessar as missões e jogar sozinho. Obviamente as fases se tornam um pouco mais difíceis assim, pois você terá que realizar todas as tarefas e se o The Shape pegá-lo, não tem jeito: você perderá a fase. Convenhamos, jogar com amigos é mais divertido.

The Blackout Club é um jogo diferente e bastante divertido onde suas noites nunca mais serão tranquilas, e isso não é ruim, pois vai render muitas risadas, sustos e trabalho em equipe. O jogo ainda precisa de algumas melhorias, mas é provável que elas ocorram com o tempo. O que realmente é necessário agora são os jogadores, e tomara que seu lançamento traga mais pessoas para a resistência.

SCHiM

Review – SCHiM

Diego CorumbaDiego Corumba15/07/2024
Imagem do review de Anger Foot

Review – Anger Foot

Marco AntônioMarco Antônio11/07/2024