Skip to main content

Se tem um tipo de jogo no qual nunca me dei bem são os simuladores de cidade. De duas uma: ou elas falem ou elas queimam. Pharaoh: A New Era foi diferente do que eu esperava, uma vez que foi o único jogo da minha infância onde não coloquei tudo a perder enquanto jogava.

De uma cópia trazida de fora por um tio, perdi horas jogando a versão original de 1999 e agora re-vivendo o prazer de criar cidades, monumentos e um grande império. Ou vê-los ruir por inflação, falta de emprego e ataque de hipopótamos super anabolizados. Pharaoh: A New Era é tão brutal e imperdoável quanto o game original.

Criando vida em um deserto

Pharaoh: A New Era faz o jogador viver os períodos da história antiga do Egito, desde a instalação dos primeiros povos durante a época Tinita, império antigo, até pouco antes da queda pelas conquistas árabes. O que torna o jogo todo uma excelente experiência histórica, o que prova que a falta de um patch em português é um terrível golpe para os jogadores que não sabem inglês.

Pharoh: A New Era
Antes apática do que irritada

A primeira tarefa será criar uma linhagem, servindo como dinastia e perfil de jogo, onde armazenamos nossos saves. Com isso podemos escolher jogar o modo história, explorar missões mais avançadas ou brincar no modo sandbox.

Eu recomendo começar pelo modo história. Por ser mais controlado, é interessante acessar seus tutoriais e aprender com ele, pois Pharaoh é muito mais radical e difícil do que outros jogos do gênero e até mesmo da produtora original, a Impressions Games, como os excelentes Caesar e Zeus + Poseidon.

A nova era trazida pela Triskell Interactive deixa o jogo lindo enquanto ainda respeita os traços e estilo do antigo, trazendo até mesmo os clipes de vozes originais dos habitantes da cidade. Uma versão digna da atualidade, mas que ainda assim possui certos pontos a serem tratados.

Pharoh: A New Era
Ouviram o homem!

Evolução civilizada

Em Pharaoh: A New Era, o nosso objetivo é crias cidades sustentáveis, prósperas e dignas do favor dos deuses. Começando da mais simples vila até a cidade principal do reino, com enormes monumentos em glória ao Faraó, imagem viva de Rá, o deus sol nas terras quentes e arenosas do deserto.

Para isso é necessário usar os recursos do solo, água e do tesouro governamental para garantir o sucesso desta empreitada. Cultivando grãos, escavando minérios e tornando nossas cidades interessantes pontos de comércio, atraindo cada vez mais moradores, dinheiro e renome para nós.

Como todo simulador de construção de cidades, é necessário garantir que cada parte da cidade seja bem atendida, tenha acesso aos serviços disponíveis e que não falte trabalho. Tudo isso sem estourar o orçamento de gastos previsto pelo verdadeiro Faraó, que nos observa de sua cidade-estado.

Pharoh: A New Era
Mantenha os deuses de bom humor para receber bençãos

É preciso ter cuidado com o gerenciamento da cidade, pois se faltarem habitantes, ouro e comida, pode acreditar que vai faltar uma cabeça sob seus ombros assim que a cidade ruir. Para evitar este fim trágico é necessário estudar o mapa e planejar muito bem como irá utilizar o terreno disposto, visando maximizar a produção de riquezas.

Invasores, ladrões e hipopótamos

Uma vez que tenha deixado o jogo parado por minutos enquanto estuda onde serão as áreas da sua cidade, onde ficarão os monumentos e onde será a área de produção, podemos seguir para o próximo passo. No modo sandbox, é possível ter acesso à todas as estruturas e quase todos os monumentos, já que alguns são exclusivos de certos mapas.

Com sua cidade funcionando a mil maravilhas, maior será a quantidade de imigrantes, maior será a renda e com isso maiores serão as chances de ladrões surgirem em épocas de cheia do Nilo, inflação e desemprego. Então sempre fique atento em sua força policial e distribuição da mesma, além de outros serviços essenciais como bombeiros, apotecários, doutores e dentistas.

Pharoh: A New Era
O maior salário do Egito está aqui

O sucesso para uma boa cidade em Pharaoh: A New Era é manter a cidade funcional em todos aspectos, em alta produção e segura. Uma excelente opção é sempre manter a força militar a postos, não só por conta dos invasores inimigos, mas para conter também crocodilos, coiotes e hipopótamos, estes demônios aquáticos!

Os hipopótamos são literalmente a maior desgraça deste jogo. Nem mesmo as maldições dos deuses se comparam à estas criaturas movidas pelo ódio. É necessário uma tropa de choque para matar apenas um deles e, se os soldados forem atacá-los, os hipopótamos entram na água e ficam imunes. Fuja e proteja sua cidade deles.

Agradando deuses e humanos

Com as instituições militares, governamentais e de saúde prontas resta o pão, circo e espírito do povo. Afinal após estar exportando grãos, papiro, tijolos e cerveja por todo o Egito, esse dinehiro tem que ser gasto de alguma forma! Não havendo forma melhor de se gastar sem ser através da diversão e fé!

Pharoh: A New Era
Exporte mais, importe menos e veja sua cidade florescer

A fé vem até mesmo antes, uma vez que os deuses egípcios são extremamente temperamentais em Pharaoh: A New Era, onde cada nível conta com um Deus patrono e até dois deuses auxiliares. Os deuses devem ser agradados de maneira igual a de seus títulos, com o Deus Patrono recebendo mais templos, altares e festivais do que os outros.

Não se esqueça dos menores, pois se este for o caso, pragas e maldições irão assolar sua cidade! Indo desde enchentes que destroem plantações, fome e gafanhotos migratórios que vão reduzir suas plantações a apenas memórias. Por isso honre os Deuses para que eles não destruam sua cidade.

Para relaxar, nada melhor do que um bom festival! Os festivais além de honrar os deuses deixam o povo mais contente e aumentam os imigrantes de tempo em tempos, por isso construa vários avenidas para artistas, principalmente próximos a bazares e escolas para animar a população.

Pharoh: A New Era
Por mais simples que seja, a Mastaba ainda é incrível

Se preparando em vida, para a morte

Claro que não poderia ficar sem falar dos monumentos, que vão desde Mastabas, até templos maiores, obeliscos e as magníficas pirâmides! Afinal, na cultura egípcia o ato da vida, também se trata do ato de se preparar para a morte, por isso os monumentos tornam tudo tão mais majestoso!

Em certos cenários, naqueles onde há os grandes paredões de pedra, é possível se criar enormes câmaras mortuárias, este é o Vale dos Reis. Aqui nestes corredores dignos de labirinto, muitos grandes monarcas residem em seu sono final e por isso são um dos, se não os mais belos monumentos de todo o jogo.

Infelizmente no entanto essa nova roupagem que Pharaoh recebeu, ainda deixa a desejar em certos pontos. A falta de uma câmera melhor, capaz de virar em outras direções é algo bem frustrante e que muitas vezes não permite o jogador aproveitar completamente o visual do mapa.

Pharoh: A New Era
Apenas de ver sua cidade crescer, o fator de replay aumenta e muito!

Pharao: A New Era renova com excelência um clássico dos games de simulação. Poderia ter melhorado algumas coisas, como a câmera, e trazido novidades que não alterassem sua fórmula. Esta revitalização é muito bem vinda e certamente atrairá a atenção de novos jogadores que curtem o gênero e um bom desafio.

Review – Another Crab’s Treasure

Renato Moura Jr.Renato Moura Jr.24/04/2024
Stellar Blade

Review – Stellar Blade

Diego CorumbaDiego Corumba24/04/2024