Skip to main content

Durante a Guerra Fria, Estados Unidos e União Soviética sabiam muito bem que, caso um lado iniciasse uma agressão com armas nucleares, o outro responderia instantaneamente. O resultado destas ações seria, obviamente, a destruição do planeta Terra e, consequentemente, de toda a humanidade. O termo MAD – Mutual assured destruction – designaria essa doutrina militar, onde duas nações com o poder de destruir o mundo ficariam eternamente com receio de utilizar suas melhores armas a fim de evitar o pior.

Em Mr. Prepper, esse cenário escatológico chegou, e você, no papel de um indivíduo meio paranóico, deve se preparar para o pior. Seguindo um estilo que lembra jogos como This War of Mine e Fallout Shelter, a sobrevivência depende do gerenciamento preciso de recursos e da engenhosidade do personagem. O quão longe alguém sobreviveria nesse cenário?

Literalmente 1984

Mr. Prepper, além da proposta esquisita, apela para uma ambientação inspirada em um governo autoritário. Por aqui, as pessoas não têm liberdade, e os suspeitos de transgredirem as leis sofrem com constantes visitas dos agentes governamentais. Não é de se espantar que, nessa narrativa, o personagem principal esteja tão interessado em sumir do mapa.

O Agente Smith tá de olho!

Como se não bastasse o autoritarismo, a ameaça nuclear está cada vez mais presente. Isso é motivo mais do que o suficiente para, na esperança de sobreviver, se entrincheirar no subsolo da casa e inventar um plano maluco para, quem sabe, sobreviver ao apocalipse nuclear. É essa a premissa que marca toda a jogabilidade de Mr. Prepper.

A sobrevivência dependerá da independência de recursos externos. Para isso, o abrigo contará com estruturas capazes de garantir uma longa estadia em condições não muito boas. Plantações, geradores de energia e métodos para coletar água potável são apenas algumas das possibilidades que permitem a vida fora do mundo externo.

Ao infinito… e além!

Certo, mas, mesmo se preparando bem, ninguém conseguiria viver para sempre em um bunker, então qual o plano? Muito simples, meu jovem: construir um foguete e voar para fora do raio de impacto dos mísseis nucleares. Quem nunca pensou nisso? É so embarcar em um foguete e ir para além dos céus, oras!

É certo que esse objetivo mirabolante cria nuances na jogabilidade. Em vez de focar puramente na sobrevivência, você deverá tornar esse projeto de viagem viável, contando com a ajuda de vários personagens que aparecem no decorrer da história. Mas, é claro, muitas das mecânicas são, como dito anteriormente, similares a This War of Mine. Contudo, o tom de Mr. Prepper não é tão pesado quanto ao do jogo inspirado na Guerra da Bósnia – na verdade, o jogo não é nem um pouco sério, e apela frequentemente para o humor absurdo. 

I wish I could buy me a spaceship and fly…

Mas é claro que esse plano não é nada fácil. Um foguete exige recursos, e você passará um bom tempo correndo atrás de tudo que é necessário antes de conseguir uma viagem sem volta para o espaço. Então aqui já fica a dica: caso você não goste de passar horas fazendo certas tarefas repetitivas, então fique longe de Mr. Prepper.

Em suma, Mr. Prepper aparenta ser um jogo de sobrevivência em um bunker, mas, na verdade, toda a jogabilidade está centrada em construir um foguete para sair desse cenário que você passou horas construindo. Tal constatação pode ser um problema para muitos jogadores, mas, caso você esteja ok com isso, então saiba o que te espera. Fora isto, as mecânicas não inovam muito no estilo. O que chama atenção, porém, é a história, que conta com personagens carismáticos e um enredo que beira o absurdo. Sabendo disso, Mr. Prepper é um jogo recomendado para quem gosta do gênero de sobrevivência, mas que já cansou do tom sério pelo qual a maioria dos desenvolvedores optam quando criam tais jogos. 

Imagem de The Thaumaturge

Review – The Thaumaturge

Marco AntônioMarco Antônio04/03/2024

Review – Top Racer Collection

Rafael NeryRafael Nery04/03/2024