Skip to main content

Nesta terceira e última atualização de Mario + Rabbids Sparks of Hope, a Ubisoft finalmente conseguiu ultrapassar a mesmice que vimos em Tower of Doooom e The Last Spark Hunter para trazer neste DLC a fórmula de sucesso que vimos em Donkey Kong Adventure.

Com a adição de novos personagens à aventura, Rayman in the Phantom Show traz o mascote da Ubisoft e um dos vilões de Kingdom Battle em uma aventura breve, porém repleta de identidade própria e proporcionando diversas atualizações nas mecânicas propostas em Sparks of Hope.

O espetáculo precisa continuar

Se a primeira expansão se preocupou em adicionar um novo modo de jogo, com batalhas criadas proceduralmente, enquanto o segundo conteúdo expande a história de Sparks of Hope com novos personagens e um novo planeta, o DLC 3 chega com a proposta de trazer o personagem de uma franquia que possibilitou a existência dos Rabbids: o próprio Rayman.

Rayman e seu arsenal adicionam boas camadas de estratégia

Pausando a viagem galáctica dos nossos heróis, Rabbid Mario e Rabbid Peach recebem um convite dourado para conhecerem o misterioso estúdio de TV conhecido como Rede Espacial de Ópera. O que eles não esperavam é que Rayman também recebeu o mesmo “convite VIP” e o responsável por isso é um velho conhecido dos Rabbids: o Fantasma, um dos vilões de Mario + Rabbids Kingdom Battle.

Com a desculpa de que mudou para melhor, deixando de ser um vilão, o Fantasma pede ajuda aos heróis para recuperar a glória do passado e fazer a audiência do canal subir. Isso só será possível ao enfrentarmos as missões de cada produção cinematográfica para eliminarmos a Malumbra e os Fantoches que atrapalham os estúdios Pirata, Medieval e Velho-Oeste.

Mesmo com vendas abaixo do esperado, mas muito bem recebido pela crítica especializada e os próprios jogadores, a Ubisoft demonstrou imenso carinho com o segundo jogo da franquia ao trabalhar na expansão Rayman in the Phantom Show, resgatando David Gasman para continuar sendo a voz do personagem principal, além Christophe Heral e Grant Kirkhope, ambos responsáveis pela trilha sonora do aclamado Rayman Legends.

O trio de heróis para um espetáculo bem duvidoso

Por mais que seja curto, com mais ou menos seis horas de duração, e sem oferecer inimigos novos durante as missões, prolongando ainda mais aquela sensação de repetitividade, o saldo final com a movimentação de Rayman como adições à jogabilidade e o bom humor da narrativa compensam para quem possui o Expansion Pack ou a Gold Edition.

Novas dinâmicas para o combate

Quando os desenvolvedores optaram por colcoar apenas dois Rabbids (Peach e Mario), focando, respectivamente, em característica de suporte e combate corpo-a-corpo, Rayman precisava ocupar uma lacuna importante com habilidades reservadas à agilidade e mobilidade.

Pensando exatamente nesse espaço que os demais personagens ocupavam, você tem a as fantasias de Redemoinho e Foguete, que proporcionam ataques massivos e de longo alcance, como o Foguete Carona, ou o Puxão Redemoinho, puxado os inimigos e causando dano por impacto.

O humor de Sparks of Hope engrandece muito esse DLC

Rayman também consegue utilizar seu detonador, arma principal com tiros de média distância, além das suas guardas, que atacam o inimigo que entrarem na zona delimitada pela armadilha. Com as três formas de ataque, você causar danos normais, de explosão e rebatida, aumentando as possibilidades estratégica ao combinar os golpes com os Rabbids.

Para se mover rapidamente pelo cenário, você poderá usar os mesmos anéis voadores do jogo tradicional para voar com seu cabelocóptero (HairlyCopter) por grandes distâncias. No entanto, ele não possui nenhuma Sparks, aparentemente sem motivo algum ou por ele não fazer parte da história principal, porém para aliviar esse ponto negativo os desenvolvedores disponibilizam desde o inícido do DLC todas as estrelinhas existentes até o momento, independente do seu progresso no jogo principal ou demais expansões.

Compensando essa escolha e para aumentar o fator replay, além do upgrade para os personagens e Sparks, Rayman in the Phantom Show possui um ranking ao término das missões principais, em que o Fantasma avaliará sua performance em busca de atuações épicas durante “o show”, para aumentar a audiência. Isso faz com que você ganhe um troféu, no mesmo formato do gramofone que faz parte de seu corpo, do bronze ao ouro e acompanhado de moedas.

Com o Fantasma vale tudo pela fama e audiência

A história é simples e sem momentos incríveis, inclusive com o cenário do Velho-Oeste sendo algo muito pobre em questão de conteúdo, porém a presença de Bip-O e os Rabbids fazem a narrativa seguir o bom humor do jogo base e com diálogos hilários. A localização para o PT-BR foi muito bem feita, buscando adaptar para a nossa realidade diversos termos e trocadilhos capazes de garantir boas risadas.

Seguindo o mesmo padrão e cuidado da Ubisoft para a franquia Mario + Rabbids, Rayman in the Phantom Show é muito bonito, inclusive a adaptação de Rayman para este universo, e a trilha sonora é impecável. O mesmo podemos dizer para os colecionáveis, que vão exigir bastante exploração e interação com os ambientes para encontrarmos todos os itens disponíveis nas cinco cinco áreas do DLC.

Por fim, mesmo com a falta de grandes novidades na ameaça que movimenta esta história paralela, reservando apenas ao chefão final o grande desafio, Mario + Rabbids Sparks of Hope DLC 3: Rayman in the Phantom Show é uma boa adição ao jogo base, para quem já comprou a Golden Edition, e uma grande homenagem ao mascote da Ubisoft. Agora só falta liberarem Rayman e o Fantasma como personagens jogáveis na aventura principal!

Review – Another Crab’s Treasure

Renato Moura Jr.Renato Moura Jr.24/04/2024
Stellar Blade

Review – Stellar Blade

Diego CorumbaDiego Corumba24/04/2024