Skip to main content

A Nintendo anunciou Kirby Dream Buffet e lançou ele de forma bombástica nos fãs, sabendo que alcançaria um sucesso considerável após o lançamento de Kirby and the Forgotten Land. Afinal de contas, era a bolota rosa em um jogo de gincanas que tinha o espírito de Fall Guys e estava pronto para abalar as estruturas do multiplayer online.

Vamos combinar, alguém tinha alguma desculpa a mais para jogar e baixar? Nem precisava e a resposta foi imediata: quem não tem aquele amigo nintendista que ficou postando suas desventuras nas redes sociais que atire a primeira pedra. Ok, não atire nada, mas você entendeu a alma do negócio. Não tinha onde errar, certo?

Pois é, infelizmente tinha. A aventura é uma fofura só e as gincanas que você participa são incrivelmente divertidas. Já citei aqui que não pisei muito na franquia Kirby durante minha “carreira gamer”, sendo minhas primeiras experiências acontecendo enquanto vos escrevo por aqui. E achei bem legal, de verdade. O “mas” que devia preocupá-los e vou destrinchar cada um deles aqui para vocês.

Um pilar insustentável de Kirby Dream Buffet

Por mais que a diversão seja o pilar principal de Kirby Dream Buffet, infelizmente uma sucessão de erros pode minar a experiência do público, principalmente do cenário online. O primeiro deles e o que mais vai incomodar você será a repetição excessiva dos mesmos minigames por todo o circuito.

Vou ser bem honesto, na partida inicial achará tudo lindo e maravilhoso. Pode até me chamar de mentiroso aqui, não duvido que aconteça. Aí entrará na segunda e soltará o “ué, caí na mesma sequência”? Mesmo que tenha UM dos desafios diferentes, essa sensação aparecerá. Do terceiro em diante, o problema estará gritante e impossível de se ignorar que é a ausência de conteúdo distinto.

Ele é barato? Sim, bastante. Porém, para sobreviver, precisa de uma série de fatores e a variedade é um dos essenciais. Não se oferece um jogo onde tem meia dúzia de cenários e lança achando que o público engolirá isso sem resmungar. Ouviu Mario Strikers: Battle League? É o mesmo que rola aqui, parece que ainda falta muito para se tornar um atrativo para que mais pessoas possam pular no competitivo sem pensar 2x.

Imagem do review de Kirby Dream Buffet
Está pronto para passar por isso 1000x?

O resultado disso é o segundo maior problema da experiência que é a dificuldade para se encontrar pessoas nas salas online de Kirby Dream Buffet. Dá para combinar com os amigos, isso é legal e retira metade do seu problema. Porém, se você não tem algum e tenta a partida aleatória, esteja ciente que nela terão mais bots do que jogadores.

Isso me deixou bastante frustrado, para ser bem sincero aqui. Pelo preço e apelo da franquia, esperava que estivesse disputadíssimo, até me culpando por chegar “atrasado” no brincadeira. Porém, as salas vazias me deixaram praticar o suficiente para ganhar algumas partidas sem a menor necessidade de esforço ou até técnica. Pelo visto as pessoas estavam no mesmo barco que eu ou nem quiseram entrar no modo psicótico para absorver todos os segredos e se consagrarem os campeões mais facilmente.

A vitória vem fácil para os iniciantes

O jogo também tem coisas boas

Agora que descarreguei e estou mais leve, vamos falar dos pontos positivos? Claro, ele não é uma completa tragédia e um desastre da indústria. O protagonista, controlado por você, faz apenas três coisas: rola, pula e usa itens quando você obtém algum pelo cenário. Vence quem pegar mais doces. O que fará com isso é por sua conta, o que facilita bastante para qualquer novato que entre agora para disputar contra os demais.

A quantidade de coisas impedindo o seu avanço também agradará, com trapaças podendo ser acionadas para evitar que pare seu avanço e deixe os outros comendo poeira. Os cenários coloridos de Kirby Dream Buffet, o level design dos circuitos e até as disputas te deixarão apreensivos para absorver a maior quantidade possível de guloseimas para estourar a balança. Isso você pode apostar.

O sistema de personalização também impressiona e, conforme avança de nível, pode conquistar diversas formas do nosso herói. Minha favorita, diga-se de passagem, é o comum com um chapéu de hambúrguer. Os jogadores também têm um bolo no menu inicial que pode ser decorado com diversas homenagens à franquia, assim como desbloquear músicas dos outros títulos para embalar o seu ritmo no próprio jogo.

As decorações de bolo são um charme

Ah, antes que me esqueça aqui, tem também a questão do tempo. Ele é extremamente veloz e se você demora uns dez minutos em cada uma já é muito. Ou seja, ninguém ficará se arrastando com demora e lentidão pelos percursos. Tudo é decidido rapidamente e exige bastante da atenção de cada um dos que estão disputando. Se piscar, pode ter certeza que comerão o seu bolo.

A performance de Kirby Dream Buffet também impressiona, iniciando e te jogando dentro do menu principal em questão de menos de um minuto. Levíssimo, isso também se reflete dentro das partidas. Eu testei em uma internet média e uma boa e em nenhuma delas sofri travamentos ou quedas. Pelo menos uma dentro tinha que dar, o que não reclamo. Muito pelo contrário, só foi felicidade neste quesito.

Para entrar no menu é extremamente rápido

Sem injustiças por aqui

Quis listar todos estes aspectos positivos para não ser injusto com a experiência que tive. Eu gostei de ter jogado e as partidas me divertiram. No começo, obviamente. Hoje eu estou jogando apenas uma por dia para me manter afiado e não perder o ritmo que estou conquistando meus itens e lembrancinhas. Seria mentira afirmar que faço isso por pura vontade própria, já que ele está me oferecendo o mesmo que era há duas semanas.

Você não devia passar longe de Kirby Dream Buffet, mas recomendo esperar para a chegada de novos minigames e conteúdo para complementar o que já existe ali. Com uma diversidade maior, talvez as pessoas se divirtam ainda mais e acabe chamando a atenção de novos jogadores para que as salas não terminem lotadas de bots.

Imagem do review de Kirby Dream Buffet
Tem horas que se vence, outras que perdemos

Se colocar Fall Guys em comparação, ele lançou com a média de mesmo valor e tinha mais opções do que vemos com a bolota rosa. E vamos combinar que ela é um dos maiores carros-chefes da Nintendo. Só no Switch já ganhou diversos games e foi o protagonista do modo história de Super Smash Bros. Ultimate. Isso não é para qualquer um e merecia uma atenção maior para a chegada de outra produção com seu nome.

Por enquanto, infelizmente ele está no mesmo barco de Mario Strikers: Battle League e isso me preocupa bastante. É interessante ver o movimento da companhia para atingir o público no multiplayer de rede, mas precisam de uma visão mais ampla para cativar a galera de vez. Por enquanto, provavelmente Splatoon continuará sendo sua principal arma neste viés e a chegada do terceiro título na próxima semana deve acalmar um pouco quem sente falta de games que apelem para o uso da assinatura imposta.

Imagem do texto de RKGK

Review – RKGK / Rakugaki

Marco AntônioMarco Antônio10/06/2024

Review – Blockbuster Inc.

Paulo AlmeidaPaulo Almeida04/06/2024