Skip to main content

Estava eu estes dias tranquilo, quando a key de Everloop chegou até mim, com uma promessa de experiência semelhante a do fadado ao esquecimento P.T e seu corredor quanticamente infinito, ou até que o espírito de Lisa te pegasse pelo pescoço. Uma proposta interessante, tanto visualmente, quanto em sua proposta.

Desenvolvido pela Infinite Green Game Studio, acreditei inicialmente ser algo relacionado a um projeto deles que havia visto no passado, chamado Dante Hotel. No entanto após terminar Everloop acredito que não estejam ligados entre si, no entanto descrever Everloop é algo fácil, mas ao mesmo tempo complicado em certas partes.

Ven gatito

Everloop não nos explica qual a situação em nenhum momento do o que está ocorrendo, tudo que o jogador sabe no momento em que é depositado neste universo liminar é de que há anomalias nesta dimensão de bolso que consiste em um corredor com quadros, portas, uma mesa com itens sobre ela, um tapete amassado no chão e um pequeno felino que vem ao nosso encontro.

Imagem do review de Everloop

Neste curto espaço de menos de 5 metros, existem no total trinta anomalias a serem vistas, que guiarão o jogador até seu destino final. Algumas anomalias são visuais e outras são sonoras, então o jogo exige que o jogador apure seus sentidos para poder notar e encontrar as anomalias, o que ajuda a aumentar a tensão, afinal você estará sempre procurando algo de diferente.

Infelizmente para uns e felizmente para outros, joguei o loop todo mais de uma vez e na realidade não há nada que possa ferir ou dar um jumpscare no jogador na realidade. O jogo todo consiste em o jogador repetir e notar as anomalias que surgem, cada anomalia acende uma nova vela no começo do loop, que pode ser identificado pelos enfeites festivos do Dia de Los Muertos acima da mesa que enfeita o menu do jogo.

Sempre que encontramos uma anomalia ficamos mais próximos da saída, representada pelas velas que acendemos sempre que mantemos o loop sem quebrar sua sequência de idas e vindas por estes estranhos corredores dos mortos. Em Everloop, sempre que se vê uma anomalia no caminho é preciso voltar, caso nada esteja alterado, podemos seguir em frente.

Imagem do review de Everloop

Do metrô para a casa da abuelita

Everloop é um jogo semelhante a Exit 8, onde um loop é apresentado e devemos buscar as incongruências dentro dele mesmo afim de quebrar o mesmo. Semelhante a como se uma Ouroboros desenvolvesse pernas já enquanto se auto consome, quebrando o ciclo, o mesmo ocorre nestes jogos, através das saídas que surgem quando completamos os requisitos para sair.

Diferentemente no entanto, cada anomalia aqui conta uma parte da história do misterioso ou misteriosa protagonista, sobre o que o jogador está experienciando e como isso afeta aqueles próximos a vida da personagem sob nosso comando. Um toque sutil, mas que é bem vindo, somado a escolha de estilo do local, cultura e ambientação geral, estas escolhas se complementam muito bem.

O jogo é simples de se ser jogado, usando as teclas W, A, S, D movemos o personagem, com o mouse guiamos a câmera e com shift se corre, enquanto o botão estiver pressionado. O mais difícil do jogo mesmo parte do jogador prestar atenção em detalhes mínimos, como um tapete diferente, uma decoração que altera ou para de agir como deveria, um tapete diferente e até mesmo no gatinho que vive passeando eternamente em loop nos corredores.

Imagem do review de Everloop

Visualmente o jogo é bem bonito, sendo feito na Unity Engine, dando um acabamento legal no corredor e trazendo uma ambientação que vende a ideia de estarmos em um limbo da cultura mexicana. A trilha sonora e sonoplastia são básicas e não há muito o que se falar ou explorar neste quesito, afinal a maior experiência sonora parte do fim do jogo, quando escapamos, pois durante o jogo a muito poucos sons, a maioria são de anomalias como um bebe chorando, batidas na porta e sons macabros na vitrola.

Merecido descanso eterno

Everloop é uma experiência básica de um jogo de “horror”, explicando visualmente é como se fosse uma piscina, Everloop é a parte rasa, você pode tomar alguns sustos e se “afogar” caso não esteja preparado, enquanto jogos como Visage e P.T são como a parte funda, onde você está ali nadando e do nada algum zé ruela amigo seu puxa seu pé para baixo para te afogar de sacanagem. Para quem não está acostumado, é uma boa pedida, mas para quem como eu está acostumado, é uma experiência simples.

50 %


Prós:

🔺 Belos gráficos, execução sútil e efetiva das anomalias
🔺 Bela exploração da cultura e crença vinda das comemorações Mexicanas
🔺 Uma porta de entrada interessante para quem não está acostumado com horror

Contras:

🔻 Pouco inovador ou assustador
🔻 Baixo valor de replay

Ficha Técnica:

Lançamento: 06/03/2024
Desenvolvedora: Infinity Green Game Studio
Distribuidora: Infinity Green Game Studio
Plataformas: PC

Imagem de Children of the Sun

Review – Children of the Sun

Marco AntônioMarco Antônio09/04/2024
imagem de Ereban: Shadow Legacy

Review – Ereban: Shadow Legacy

Marco AntônioMarco Antônio09/04/2024