Skip to main content

A chegada de Disney Illusion Island é marcada pelo grande retorno da divisão Disney Games, que fez a alegria de muitas crianças por todo o planeta durante os tempos dourados dos videogames. Pelas mãos da Dlala Studios, o título aproveita a versão mais recente do desenho animado envolvendo Mickey, Pateta, Pato Donald e Minnie para trazer uma aventura 2D consistente em comparação aos clássicos jogos de plataforma.

Ou seja, se você é um saudosista de “Disney’s Magical Quest” ou de games como The Lion King e Aladdin, esta é a pedida certa para o Nintendo Switch. No papel dos quatro personagens, você passará por diversas ameaças até conseguir alcançar seu grande objetivo: ter um piquenique digno, afinal de contas, tem algo mais divertido que isso?

Só que uma grande sombra está ameaçando o lugar para onde você foi levado, então prepare sua mochila que a jornada terá muitas surpresas te aguardando. E não diga que nós não avisamos você, então chame também mais três amigos para te ajudarem e comporem todo o desafio – obviamente, porque quanto mais se ajudarem, menos dor de cabeça você passará para atingir o seu destino.

Junte os livros, salve o mundo

O caminho de Disney Illusion Island

Na história de Disney Illusion Island, vemos Mickey Mouse, Minnie, Donald e Pateta serem levados para um lugar esquisito e onde é entregue uma grande missão: recuperar três livros sagrados. Um da Engenharia, Botânica e também da Astronomia. Claro que teremos grandes chefões te esperando para não deixar os livros caírem nas mãos descuidadas destes, assim como muitos perigos no caminho.

A aventura, como explicamos no início do texto, é um jogo de plataforma 2D que mistura um pouco do que vimos nos clássicos do SNES e Mega Drive com a fórmula Metroidvania. Ou seja, temos toda a extensão do mapa em formato explorável e disponível para você voltar quando quiser – principalmente ao ganhar novas habilidades que permitirão que alcance aquele item que mal dava para chegar perto.

Os itens abrirão mais espaço para a exploração

Para te ajudar, muitos upgrades podem ser obtidos conforme interage com os personagens em cada cenário. Um deles pode liberar o uso de itens que permitirá aos heróis que se pendurem em locais específicos, outro traz ainda mais versatilidade para a exploração com teleportes em áreas específicas. Todos são importantes, então é bom se aprofundar em cada área para não perder nenhuma oportunidade.

Além disso, Disney Illusion Island é repleto de colecionáveis. Eles são divididos entre os cards que revelam informações sobre alguns dos inimigos que você observa no jogo e itens que lembras histórias clássicas como “Os Três Mosqueteiros”, “Steamboat Willy”, “Aprendiz de Feiticeiro” e vários outras. Você também pode tirar fotos sempre que visualizar o símbolo do rato mais famoso do planeta, espalhando memórias pelo mapa.

Cuidado para não perder os colecionáveis de vista

Uma aventura para toda a família

Ao contrário do que vimos nas últimas entradas da Disney no mundo dos games, este é um título que não apela para a agressividade ou para um humor mais “macabro”. Na medida certa, ele entrega o jeito rabugento do Pato Donald, as brincadeiras bobas do Pateta, o otimismo de Minnie e o alto-astral do protagonista da aventura. Os personagens secundários também são muito carismáticos, o que acaba te envolvendo mais no universo que apresentam ali.

O gameplay também não é nada difícil de pegar, te segurando pela mão em muitos momentos para desenvolver você antes de te jogar aos problemas. Mickey e seus amigos pulam, se balançam, flutuam, correm e até esmagam rochas de forma fluída – trazendo toda a magia e carisma que apenas eles são capazes de entregar.

Ainda que seja simples, terão combates complexos

Sabe aquele jogo que você pegará para se divertir com os filhos ou para curtir um tempo com os amigos, sem pretensões e arrancando algumas risadas? É isso que Disney Illusion Island traz de riqueza – acertando na simplicidade, sem deixar passar a diversão que é explorar vendo estes personagens que passaram tanto tempo fora dos consoles.

Ele não almeja muito, mas passa aquela sensação que você tanto busca e não encontra há algum tempo em jogo algum: o gosto da infância. Sei que muitos lembrarão daquela clássica cena de Ratatouille e é exatamente isto. Por algumas horas, ele me transportou diretamente para o sofá da sala quando eu tinha meus 8 anos de idade e batia cabeça para descobrir onde devia ir ou o que devia fazer a partir dali.

Ele entrega a sensação de infância tanto pedida

Alguns derrapões na plataforma

Assim como o Mickey pode pisar em falso em algum lugar errado ou pular na hora que não devia, o game também tem alguns pontos negativos. Um em particular, qual eu sei que foi decisão do estúdio e dos próprios executivos da Disney Games, foi o que mais me incomodou: a ausência total de violência. Vejam bem, eu sei que os personagens passam uma mensagem aos pequenos…mas impedir que eu pudesse pular e bater em qualquer um dos bichos que estavam à minha frente tirou grande parte da diversão.

Não que eu esperasse que o Pateta ou a Minnie, por exemplo, fossem máquinas assassinas em Disney Illusion Island. No entanto, uma parte esmagadora da experiência passa sem um conflito sequer contra qualquer coisa. É desviar, aprender a seguir em frente e continuar caminhando/pulando. Apenas isso, sem uma curva de ação ou qualquer ponte que permita tirar os obstáculos para evitar mais problemas.

Sua duração também é extremamente curta, ainda que você busque todos os colecionáveis e explore todo o ambiente. Sem muitas pretensões e em apenas um fim de semana, eu finalizei a aventura com 90% do conteúdo em aproximadamente 10h. Ele se garante no fator replay, me fazendo explorar mais para buscar estes 10%, fora a diversão de fazer isso com os amigos. No entanto, não foi muito longe neste aspecto como vimos com outro sucesso que retornou recentemente; TMNT: Shredder’s Revenge.

Não corra muito, pois a duração não é longa

Outro ponto que se torna incômodo é a ausência de telas divididas ou um “zoom out” para dar liberdade aos personagens com dois ou mais jogadores dentro do display. Se qualquer um deles que não seja o “player one” sai do campo de visão, roda um tempo invisível e ele retorna para você como um envelope.

Ainda que este ponto seja de reclamações, devo também elogiar alguns pontos que me fizeram admirar o trabalho da Dlala Studios em Disney Illusion Island. Eu não travei em momento algum ou senti qualquer bug/glitch que tenha atrapalhado a aventura. Toda a trajetória corre de forma bacana, o que me deixou muito feliz com o tratamento oferecido com estes clássicos personagens. A trilha-sonora também está de parabéns.

Eu também devo admitir que depois de ver Epic Mickey, Kingdom Hearts e até os mais amplos como Disney Infinity e Disney Dreamlight Valley, é um alívio ver um título mais próximo dos clássicos. Pode não ter sido um sonho se tornando realidade – Disney Magical Quest 4, eu ainda te aguardo – mas é competente e traz sensações similares.

Este jogo é um respiro para Mickey e seus amigos

Expandindo as aventuras de Mickey

Com todas os altos e baixos da indústria de games, Disney Illusion Island chega como um respiro em toda a loucura de FPS e 4K/1080p, entregando uma experiência que honra os grandes clássicos dos jogos plataforma. Não é um Mario ou Sonic, mas ainda assim é extremamente atrativo no Nintendo Switch e permite muita diversão.

Demorou um bom tempo para vermos este tipo de aventura novamente, mas finalmente ela está nas portas de seu lançamento. O game é exclusivo na plataforma atual da Nintendo e chegará a todos em 28 de julho de 2023 – amanhã, para sermos mais precisos. Se estava esperando por algo do gênero, aproveite que a oportunidade de se divertir como na época que era uma criança está no alcance das suas mãos.

Imagem de The Thaumaturge

Review – The Thaumaturge

Marco AntônioMarco Antônio04/03/2024

Review – Top Racer Collection

Rafael NeryRafael Nery04/03/2024