Skip to main content

Desenvolvido pela BerserkBoy Games, Berserk Boy chega no início de 2024 para preencher o vazio deixado pela falta de jogos plataforma ao melhor estilo Mega Man. Para a minha surpresa, por mais que tenha muita inspiração vinda do trabalho de Keiji Inafune, este lançamento consegue transpor as barreiras das suas referências para oferecer uma proposta nova, com gameplay frenético e divertido.

Indo além de Mega Man para buscar a velocidade e o dinamismo estabelecidos pela franquia Sonic, Berserk Boy é o cruzamento perfeito desses dois títulos clássicos num título plataforma e com elementos metroidvania, que aposta na nostalgia dos jogos retrô para construir sua própria legião de fãs. E quer saber de uma coisa? Eles conseguiram!

É hora de morf… berserkar!

No ano de 21XX, depois de muitos séculos lutando contra as Sombras, manifestações malignas de Energia Escura, conhecemos dois jovens promissores e que estão aproveitando o último dia de férias antes de iniciarem na Resistência, grupo de soldados altamente qualificados, cientistas e teleportadores. No entanto o ataque do misterioso Dr. Genos em busca das Orbes Berserk acaba jogando Kei, nosso herói teleportador, numa aventura para salvar sua amiga Dizzie.

Berserk Boy

O que Kei não esperava era que seu corpo fosse capaz de absorver essas orbes, interrompendo os planos maléficos de Genos e, na companhia de Fiore, um pássaro com chamas azuis, acabariam viajando por diversas regiões para salvar o planeta e a humanidade. Seguindo as ordens do Comandante, responsável pela Resistência, Kei, Fiore e Dizzie vão em busca de outras quatro orbes para barrar os vilões.

Sai o canhão de mão ou a espada laser que você já viu antes para cinco transformações de Kei, com alteração no visual do personagem com novas versões muito bem trabalhada visualmente. Cada versão berserk oferece dois tipos de ataque, habilidades específicas e um movimento especial, permitindo que você se movimente e ataque em qualquer direção, além de interagir com o cenário para avançar pelas quatro áreas de cada uma das três fases que compõem cada região visitada.

Berserk Boy

Dessa maneira conhecemos as Orbes Berserk do trovão, fogo, terra, ar e gelo, cada uma em um território temático e defendido por um vilão que precisará ser derrotado, antes de chegarmos ao laboratório do Dr. Genos para a derradeira batalha. O dinamismo do gameplay faz com que você seja obrigado em alterar entre as orbes (utilizando os botões superiores ou o Y, para pausar o jogo e abrir um menu rápido) para não apenas enfrentar os inimigos ou vilões, mas progredir pelo cenário ou encontrar os coletáveis em cada fase.

Indo muito além das suas inspirações

As Orbes Berserk são os principais motivos por Berserk Boy se distanciar de Mega Man, pois os poderes especiais não ditam a ordem das fases ou possuem alguma vantagem contra um chefão. Cada uma das Orbes Berserk oferecem maneiras diferentes de você avançar pelas fases, a maneira como você enfrenta os inimigos e, principalmente, interage com o cenário para explorar horizontal e verticalmente cada fase. Os desenvolvedores deram show no level design num jogo muito bem pensado para valorizar o esforço em obter um novo poder, com suas particularidades de ataque e movimentação.

Toda influência de Sonic está na maneira como as fases são construídas, com diversas opções de caminho para você chegar ao final de cada área, levando em conta as cinco opções de poderes que as orbes oferecem. Numa mesma sequência de movimentação, você precisará dar um dash do trovão, perfurar a terra com a broca de fogo, usar sua kunai de gelo para derrotar inimigos e planar com a transformação do vento. Tudo num curto espaço de tempo, movendo rapidamente pelo cenário e com uma câmera frenética para acompanhar todos esses acontecimentos.

Berserk Boy

As transformações de Kei também estão ligadas à proposta de dificuldade do jogo. Diferente de Mega Man, o desafio maior não fica em chegar ao chefão com vida suficiente para enfrentá-lo, torcendo para não dar game over na batalha final e precisar refazer toda a região.

Em Berserk Boy as fases possuem portais para você teleportar entre as quatro áreas, inclusive com a opção de checkpoint e salvamento automático, com os chefões oferecendo um desafio a mais, porém a real diversão e o desafio fica por conta das fases e coletáveis, não apenas a batalha final.

Berserk Boy

Falando em coletáveis, como integrante da Resistência, Kei precisará encontrar as pessoas que estão perdidas pelas regiões para elas voltarem ao Setor 7, fazendo com que você precise procurar por pelo menos 60% da resistência para acessar certas áreas das fases.

Este é o motivo responsável pelas características metroidvania do jogo, em que você precisará refazer algumas fases depois de obter as orbes necessárias para abrir caminho até essas pessoas. Além disso você também poderá encontrar até cinco medalhas para completar 100% cada fase e fases EX, que são desbloqueadas com o seu progresso para o pós-game.

Berserk Boy

Como se não fosse suficiente, a BerserkBoy Games trouxe o compositor Tee Lopes, responsável pela trilha sonora de Sonic Mania para trabalhar nas músicas deste lançamento. Impossível não se empolgar com a trilha durante as fases, capaz de criar a imersão necessária para nos transportar para a década de 90, como se estivéssemos jogando num console 16-bit. Acompanhando o excelente trabalho da trilha sonora, o visual de Berserk Boy é muito maravilhoso, com ilustrações belíssimas para momentos da história, além da pixel art detalhista e muito colorida.

Berserk Boy é um amalgama interessantíssimo, que consegue resgatar um ótimo sentimento nostálgico, reunindo o estilo de gameplay de duas franquias clássicas ao mesmo tempo em que cria sua própria identidade, num jogo completo e muito bem executado. O gameplay é simples, com boas escolhas para os controles, além de ser extremamente divertido por equilibrar muito bem o desafio com as boas recompensas. Com certeza um bom indie para a lista de melhores do ano!

100 %


Prós:

🔺 Excelente junção de Mega Man com Sonic
🔺 Jogo do gênero plataforma com ótimo level design
🔺 Trilha sonora muito bem trabalhadas
🔺 Visual colorido, criativo e carismático
🔺 Ótimo balanceamento entre desafio e recompensa
🔺 Gameplay frenético e com comandos bem responsivos

Contras:

🔻 As poucas falas dubladas são genéricas e desnecessárias, mas não atrapalham a experiência

Ficha Técnica:

Lançamento: 06/03/24
Desenvolvedora: BerserkBoy Games
Distribuidora: BerserkBoy Games
Plataformas: PC, PS4, PS5, Switch, Xbox One, Xbox Series
Testado no: PC

Imagem do texto de RKGK

Review – RKGK / Rakugaki

Marco AntônioMarco Antônio10/06/2024

Review – Blockbuster Inc.

Paulo AlmeidaPaulo Almeida04/06/2024