Skip to main content

Desenvolvido pelo estúdio polonês EXOR Studios, Zombie Driver já vem de uma longa trajetória, começando em 2009 exclusivamente para os PCs. Pulando para 2012, os consoles de sétima geração (PS3 e Xbox 360) receberam Zombie Driver HD. Já em 2014 foi a vez do Xbox One receber Zombie Driver: Ultimate Edition. E pouco depois de completar seu décimo aniversário, agora é a vez do Switch receber a Immortal Edition.

Tal qual a versão de Xbox One, essa vem embarcada com todo o conteúdo extra lançado até então nas versões anteriores, como o Apocalypse Pack, o Tropical Race Rage, o Burning Garden of Slaughter e o Brutal Car Skins, além de visuais refeitos e sob a nova engine da desenvolvedora, Schmetterling, anteriormente utilizada em X-Morph: Defense.

Aperte o cinto que o zumbi sumiu

Devido a uma explosão nuclear, causada por um experimento secreto do governo, praticamente toda a população de uma cidade acaba sendo zumbificada, um verdadeiro Armageddon Zumbi. E o exército, para tentar impedir que o “incidente” se alastre, irá apelar para qualquer solução disponível, até mesmo um motorista de táxi. Afinal, um exército bem armado e treinado não consegue subjugar uma horda de zumbis, mas um cara em um táxi sim.

Alguns comparam este título com os clássicos GTA com visão top down. Apesar de não termos a possibilidade de sair do veículo durante as missões, há certas semelhanças entre os dois títulos, como dirigir em um cenário de mundo aberto, utilizar armamento variado e atropelar pessoas – nesse caso zumbis. Aqui temos um total de 31 missões no modo campanha, das quais todas contam com objetivos secundários.

Grande parte das missões é composta por resgatar sobreviventes, coletar itens, liberar um local de hordas zumbis ou defender um ponto – no caso um sobrevivente – durante determinado tempo. Ao serem concluídas, rendem bônus em dinheiro e desbloqueiam atualizações para seus veículos. São 13 ao total e das mais diferentes categorias, desde o clássico táxi que estampa a capa do game até um tanque de guerra, uma escavadeira, um caminhão de bombeiros e um ônibus. Dentre as armas temos a metralhadora, o lança-foguetes, o lança chamas e o canhão elétrico.

Imagem do jogo Zombie Driver Immortal Edition.
Paz, amor e sangue. Muito sangue!

A jogabilidade de cada veículo é única, alguns possuindo melhor direção, outros sendo mais pesados e lentos, e assim por diante. Controlar os veículos é bem divertido e sair massacrando hordas de zumbis e chefões é ainda mais satisfatório. Tudo funciona bem, com os comandos bem distribuídos e respostas precisas. Cada um dos veículos conta com uma gama de atualizações variadas, incluindo velocidade, resistência e força (pra atropelar as hordas de zumbis). E tem as atualizações das armas, que melhoram sua capacidade e poder. Todos os itens e atualizações são desbloqueadas conforme avançamos nos modos do jogo, completando as missões e objetivos bônus – inclusive os itens que anteriormente eram de DLC.

Motorista zumbi

Em relação aos zumbis existem diversos tipos deles, dos mais comuns que simplesmente correm atrás de você até os mutantes. Estes últimos realmente irão te atrapalhar, principalmente se estiverem em meio as hordas. Dentre eles existem os zumbis explosivos, muito semelhantes aos Boomers de Left 4 Dead, que causam um dano considerável. Tem também os bombadões, que danificam ainda mais o seu veículo e os zumbis que atiram coisas à distância. E não podemos esquecer dos cães zumbis à la Resident Evil, que são rápidos e normalmente atacam em hordas.

Fora estes zumbis que rodeiam as ruas da cidade, existem também os chefes, gigantescas criaturas que irão desferir golpes fatais contra você. Todos eles agem por padrões, sendo necessário decorar seus movimentos para vencer a batalha. Zombie Driver: Immortal Edition também conta com um sistema de combos dinâmico, no qual atropelar zumbis consecutivamente e realizando manobras nos rende mais multiplicadores, que aumentam os ganhos em dinheiro.

Imagem do jogo Zombie Driver Immortal Edition.
Com o tanque de guerra tudo fica mais fácil.

Além do modo campanha, ainda temos os modos Blood Race e Slaughter. No primeiro, iremos disputar eventos contra oponentes igualmente bem equipados com armas em insanas corridas entre hordas de zumbis. Neste modo há três tipos de eventos: o Race, com corridas comuns e veículos armados, onde quem chegar primeiro vence; o Eliminator, onde devemos destruir o maior número de oponentes antes que o tempo acabe; e o Edurance, no qual nosso veículo tem uma bomba equipada e é preciso passar pelos checkpoints o mais rápido possível para sobreviver por mais tempo. Alcançando o tempo alvo conquistamos a medalha de ouro. Todos esses eventos são disputados dentro de torneios mistos, com os três tipos de eventos misturados.

Mesmo parecendo divertido, o modo Race é bastante problemático com as colisões e a física. Volta e meia seu carro ficará preso em algum objeto no meio do evento e não há como fazer um respawn instantâneo. Você precisa obrigatoriamente esperar 3 segundos para o carro retornar, o que no meio de uma corrida é quase como uma sentença de derrota. “Por sorte” seus oponentes também sofrem com o mesmo problema. E às vezes seu oponente faz o respawn com o veículo em cima do seu, te fazendo ficar preso. Sem falar nas vezes que seu carro literalmente tem o peso de uma folha de papel e sai capotando sem controle e sem motivo aparente.

Imagem do jogo Zombie Driver Immortal Edition.
No meio do apocalipse fazendo bico de bombeiro. Não tá fácil pra ninguém.

Essas – entre outras – questões tornam o modo Race bastante frustrante. E piora quando se lembra que somente vencendo neste modo é que podemos desbloquear algumas pinturas e veículos novos. Detalhe: nenhuma das atualizações adquiridas no modo campanha é replicada no Race, sendo necessário adquiri-las novamente. Já no modo Slaughter, somos desafiados a sobreviver dentro de uma arena com hordas consecutivas de zumbis. Este modo conta com um sistema dinâmico de upgrades, que libera novas armas e melhorias a cada onda de zumbis derrotada.

Jogo de (quase) mundo aberto

Apesar de podermos trafegar livremente pelo cenário durante as missões, Zombie Driver: Immortal Edition não é exatamente um jogo de mundo aberto. Só dá para dirigir com liberdade pela cidade no decorrer das missões. O mapa por sua vez é até suficientemente denso, com uma boa área de exploração disponível. O interessante aqui é que, enquanto nos deslocamos até os objetivos, é possível coletar malotes de dinheiro que ficam espalhados pela cidade. É bem útil e recomendável fazer isso, pois as atualizações custam dinheiro e a cada nível seu valor se multiplica.

Durante as missões, além de dinheiro iremos encontrar várias armas. Infelizmente só podemos carregar uma por vez, ou seja, se você estiver com uma equipada e coletar outra, sua arma atual será substituída pela nova. Elas possuem um limite de munição e para “recarregá-la” é necessário coletá-la novamente pelo cenário. Coletar a mesma arma mais de uma vez não fará com que multiplique sua munição. Além destes itens, há também os kits de reparo que regeneram uma parcela da resistência de veículo, como uma barra de vida.

Imagem do jogo Zombie Driver Immortal Edition.
Nada mais gratificante do que ver centenas de zumbis indo pelos ares.

Um ponto um tanto irritante no modo campanha é que não podemos pular as falas dos personagens durante as missões – e suas falas costumam ser longas. Apesar de todas elas serem narradas, nós necessariamente precisamos aguardar elas terminarem para continuar com a tarefa, observando uma balão com o mesmo texto que está sendo narrado. Isso irá ocorrer em todas as vezes que você repetir uma missão.

Zombie Driver: Immortal Edition de Switch é – até o momento – a versão definitiva de Zombie Driver, com tudo que já foi lançado e melhorias pontuais em relação às versões anteriores (até mesmo em comparação ao Ultimate Edition). Apesar dos problemas com o modo Race, o restante do jogo é bastante divertido e proveitoso. O jogo flui bem no Switch, sem engasgos durante o gameplay. Infelizmente não conta com qualquer tradução para português.

Imagem do texto de RKGK

Review – RKGK / Rakugaki

Marco AntônioMarco Antônio10/06/2024

Review – Blockbuster Inc.

Paulo AlmeidaPaulo Almeida04/06/2024