Skip to main content

Haverá um dia no qual o último despertador irá tocar na Terra. Assim, o som ecoará, tentando despertar aqueles que já não se encontram mais aqui, mas uma última luz irá permanecer acesa iluminando caminho vazios. Ruas de cidades silenciosas irão se abrir e a vida vegetal irá florescer uma vez mais, até sucumbir perante a morte do sol. Este é o futuro e rumo natural da vida e do Planeta Terra. A Umurangi Generation – umurangi, que no Maori significa “céu vermelho” – será a última a presenciar os dias de vida no planeta.

Logo depois de ver a raça humana gradativamente diminuir e a aparição de algo totalmente abstrato e maior que nós, definhamos. Agora, os jovens restantes registram esses dias, nos quais passam seu tempo dançando, expressando sua alma em grafites e mofando seus corpos em campos de V.R. Acompanhado de uma trilha sonora totalmente distópica produzida por ThorHighHeels, Umurangi Generation resgata um estilo que mistura Akira, N.G.E, Jet Set Radio e o mundo da fotografia.

Eu desejo poder voltar no tempo

Para poder passar adiante de maneira intuitiva e divertida os conhecimentos de fotografia, Umurangi Generation começou a tomar forma. Assim unindo o desejo de ensinar, junto com a liberdade de deixar os jogadores explorarem sua criatividade ao tirar suas próprias fotos. Isso tudo enquanto o mundo à sua volta sofre constantes mudanças, cabendo a você registrar cada pequeno e singelo, mas importante instante, provando que um dia alguém esteve aqui.

Imagem do review de Umurangi Generation
Todo mundo é “machão” até a galera começar a virar Fanta.

Umurangi Generation não introduz uma narrativa ou algo do gênero, não há diálogos e a história é totalmente interpretativa. Evocando ainda mais os temas e obras os quais inspiraram sua criação, acompanhamos sempre o mesmo grupo de quatro amigos e nosso protagonista, passando de dias ensolarados no topo de um prédio até a última noite estrelada de um céu roxo-avermelhado corrompido, observado por aqueles que um dia estiveram aqui.

Começando apenas com uma câmera com lente convencional, devemos tirar fotos que são estipuladas para cada nível. Algumas podem ser bem simples, como tirar foto de aparelhos de som e latas de tinta spray. No entanto, outras podem ser mais impactantes, como fotos de soldados utilizando capacetes escritos “Propriedade das Nações Unidas”, ou um soldado dando aquele que pode ser seu último trago. Além disso, existem objetivos bônus, como atingir um valor X de dinheiro em determinado nível com suas fotos, ou tirar foto de todos os seus amigos juntos.

Com o passar dos níveis, vamos ganhando novas lentes e opções de manipulação de imagem, como alterar o tom de cor da imagem, aberração cromática, saturação de cores etc. As lentes que recebemos com o passar do tempo também servem como objetivos, afinal determinadas fotos exigem determinadas lentes, como lentes de olho de peixe e teleobjetivas.

Imagem do review de Umurangi Generation
Mesmo com gráficos simples, lindas fotos podem ser criadas.

Requiem

Umurangi Generation usa um sistema de comandos semelhante ao de um FPS, onde a maior diferença é que aqui disparamos flashs. Passando por cada nível, o jogador pode tirar tanto as fotos necessárias para poder prosseguir para a próxima fase quanto algumas extras para aumentar sua galeria, que pode ser visitada pelo menu inicial do jogo e ao sair dele, quando somos indagados se queremos visitar a galeria.

Cada lente pode ser trocada com o simples movimento da roda central do mouse, permitindo que o jogador selecione a lente desejada. Após tirar a foto, o jogador poderá editá-la, alterando os aspectos mais delicados na edição da fotografia. Infelizmente, Umurangi Generation é um jogo mais chamativo em sua ideia do que na execução de sua mecânica de gameplay. Ainda assim, faz com que o jogador comece a planejar as fotos antes de tirá-las, desenvolvendo assim um olhar mais refinado para a coisa.

Imagem do review de Umurangi Generation
Um último trago antes do encontro com o destino.

O estilo de arte de Urumangi Generation evoca o ar de Jet Set Radio, além de Akira, Neon Genesis Evangelion e até mesmo Ghost in the Shell. No entanto, essas referências não são apenas visuais, sendo implementadas ao seu storytelling também. Totalmente cadenciado em ritmo, Urumangi Generation conversa com o jogador de maneira indireta, fazendo com que ele mesmo junte as peças do quebra-cabeça em sua mente.

Bem como a sua história, a trilha sonora também é estranhamente aconchegante, trazendo as trilhas de Adolf Nomura. Conhecido no YouTube como ThorHighHeels – um dos youtubers que mais acompanho -, ele produz faixas que se encaixam nos mais diversos gêneros, como Trip Hop e LoFi. Em Urumangi Generation, grande parte de seus discos e faixas estão presentes em peso, como GARB e 00.

Imagem do review de Umurangi Generation
Pose para a foto, Birbs!

Explosão de fósforo

Umurangi Generation é um jogo de nicho, mas que pode ser aproveitado por todos. O objetivo principal do jogo é fazer com que as pessoas aprendam a fotografar, podendo mexer nos mais diversos recursos de fotografia sem gastar muito dinheiro. Facilita muito para aqueles que querem aprender mais sobre o mundo da fotografia, além de apresentar uma história totalmente bizarra, o que pode fazer com que os jogadores procurem as inspirações que trouxeram o jogo à tona.

Para os fãs de grandes clássicos dos animes da década de 90 e que apreciam muito este estilo, tal como eu, o jogo é uma boa pedida, oferecendo ótimo estilo de arte, trilha sonora de alta qualidade e toda a liberdade possível para criar suas fotos.

Imagem de Zet Zillions

Review – Zet Zillions

Marco AntônioMarco Antônio23/05/2024
Terra Memoria

Review – Terra Memoria

Vinícios DuarteVinícios Duarte21/05/2024