Skip to main content

Aos poucos, o Nintendo Switch vem se tornando uma ótima plataforma para os jogos de horror. Os relançamentos de Resident Evil Revelations e Outlast, por exemplo, fizeram bastante sucesso no console. O caso mais recente é do Layers of Fear, outro excelente game do gênero. Porém, existe uma gama muito maior de jogos do gênero saindo pro console e que poucos ficam sabendo – a não ser que você acesse o eShop com frequência. True Fear: Forsaken Souls Part 1, lançado originalmente para PC em 2016, é um destes jogos.

Irmandade fantasmagórica

O enredo do game, apesar de direcionar o jogador diretamente à tensão proposta, não traz nada de inovador ou de assustador de fato, trazendo vários clichês do gênero e contando com estes elementos para que siga o clima. Uma repetição de padrões que vimos não só nos videogames, mas também no cinema. Ainda assim, o game me cativou. A história começa com Holly observando as câmeras de um asilo, onde vários corpos estão espalhados. Um dos mortos está sendo puxado por algo para dentro de uma porta e, quando você aproxima, uma criatura voa pra cima da personagem. Acordando do pesadelo, você descobre que isso está relacionado ao desaparecimento de sua irmã gêmea.

Podemos dizer que a atmosfera é um dos elementos principais nos jogos do gênero, uma vez que ela é essencial para criar a tensão que o jogador enfrentará. Quanto à isso, True Fear traz elementos tão carregados que você se sentirá num verdadeiro ambiente de horror. Todas as locações parecem abandonados há décadas, mas você pode sentir a todo instante que não está sozinho ali.

Imagem do jogo True Fear: Forsaken Souls Part 1
Os ambientes sombrios ajudam na imersão dos jogadores.

Na jornada da protagonista em busca de sua irmã, ela terá de resolver puzzles no estilo point and click. Descrevendo apenas o primeiro ambiente, a casa da família, você tem vários cômodos para descobrir itens novos e conseguir abrir portas trancadas ou espaços escondidos no local. A tarefa é simples, mas pode ser muito mais desafiadora do que imagina. No nível mais simples você tem dicas e até pistas do que fazer. No avançado, você irá se deparar com um item na sala que abre um cofre no banheiro e que tem um código para usar em outro cofre na sala de jantar, e não fará ideia por onde começar.

Porém, até encontrar toda essa sequência em True Fear: Forsaken Soul – Part I, a cada item descoberto você vai querer testar na casa inteira para ver o que abre. Óbvio que alguns são muito claros e um pouco de dedução é o suficiente para resolver a questão. Mas a maioria não é assim. Normalmente diria que isto é ruim, mas considerando a curta duração do game, os desafios estão adequados ao que o jogo propõe para finalizar a história da Parte 1.

Em sua jornada para encontrar a verdade sobre sua família, Holly contará apenas com o que conseguir encontrar para vencer essa jornada. Alguns itens são descartados após o uso, outros permanecem e se souber administrá-los não terá muita dificuldade em vencer. A tela de toque do Nintendo Switch pode te auxiliar, mas o uso dos joy-cons ou do controle Pro funcionam muito bem para solucionar os quebra-cabeças sem qualquer dor de cabeça.

Encontrar o item certo é a chave para vencer os desafios de True Fear: Forsaken Souls.

O terror está em você

O único fator negativo que devo apontar é que, apesar de ser um jogo de terror psicológico, você na maioria esmagadora das vezes só irá confrontar a si mesmo. Há presenças que te deixam tenso durante o game, mas nada que represente um real perigo enquanto você passa pelos desafios. Ao menos no começo, nada pulará em você ao abrir alguma porta ou puxará seu pé enquanto sobe as escadas.

Isto abre um grande abismo, já que você não poderá reclamar que foi pego desprevenido ou que não conseguiu acertar o inimigo em cheio. Estas coisas não fazem parte do seu convívio. A única coisa da qual irá reclamar é de não saber para que serve determinado item e caçar em cada lugar 2 ou 3 vezes. Muitos jogos do gênero são odiados (no bom sentido), mas poucos são aqueles que conseguem fazer você se odiar, que é o caso aqui.

Descobrir o caminho pode ser ainda mais desafiador do que imagina.

Apesar de não ser um primor gráfico, as passagens e atividades in-game não deixam nada a desejar. Você identifica facilmente os objetos e os ambientes, não te deixando empecilhos além dos desafios impostos. Já as cutscenes lembram bastante a época do PlayStation 2, mas vale citar que este não foi o foco da desenvolvedora indie Goblinz. Nem tudo gira em torno de gráficos e um bom puzzle estará ali para compensar isso.

Nos puzzles você também encontrará muitas referências à cultura pop do gênero. Se procurar por uma boneca mal-assombrada, garanto que no meio do jogo achará algo a respeito. Personagem igual à Samara, de O Chamado? Também confere. Elementos que ligam à bruxaria e sociedades secretas, além de passagens sobrenaturais que fazem parte de qualquer mídia relacionada a fantasmas, também estão no pacote. Fora isso, a própria protagonista gera risos com seus comentários sobre os locais improváveis em que encontra as coisas, como “Qual a razão de ter um balde dentro do congelador?” ou “Minha irmã não tinha aves, o que essa gaiola faz aqui?”.

Elementos da cultura pop de terror estão espalhados em todos os cantos.

True Fear: Forsaken Souls Part 1 é apenas o primeiro capítulo da trilogia prometida pela Goblinz. O segundo sai no Halloween, dia 31 de outubro, para PC e Android e posteriormente para iOS. Para consoles, a desenvolvedora deve prometeu o lançamento para novembro.

O jogo é uma ótima adição à biblioteca do Switch, mostrando que a plataforma está cada vez mais receptiva aos diversos gêneros de games. Com bons elementos de terror, desafios que realmente te darão o que pensar e ambientes que te deixarão tensos do início ao fim, True Fear: Forsaken Souls Part 1 é a pedida certa para jogar tarde da noite enquanto a chuva cai do lado de fora.

Imagem do texto de RKGK

Review – RKGK / Rakugaki

Marco AntônioMarco Antônio10/06/2024

Review – Blockbuster Inc.

Paulo AlmeidaPaulo Almeida04/06/2024