Skip to main content

Uma das magias por trás dos jogos indie é a oportunidade de encontrar uma jóia perdida, muitas vezes por um valor mais acessível, revelando um jogo agradabilíssimo. Trombone Champ, jogo da Holy Wow Studios, uma desenvolvedora e publisher de um homem só, surgiu desta maneira inesperada e, por conta dos memes e redes sociais acabou ganhando espaço e atenção do gamers. 

Curioso, divertido, engraçado e simples. Esses são os adjetivos que fazem do trombone, até então um instrumento improvável, como o responsável por um dos grandes sucessos de 2022 e que merece ganhar o coração de todos nós.

Sai o dedilhado e entra o fôlego

No controle de um trombonista, a proposta criada por Dan e Jackie Vecchitto, as mentes por trás da Holy Wow, é fazer com que os jogadores deixassem de apenas acompanhar a música para realmente tocar a música, dando liberdade para que qualquer nota seja executada. 

Prepare-se para o psicodelismo e as colagens que aparecerão ao fundo.

Do anonimato para o topo da lista de mais vendidos do Steam, Trombone Champ resgata o gameplay cunhado por Guitar Hero para unir à simplicidade da ação rítmica, executada apenas com o mouse, mesclando sucessos mundiais ao cômico dos personagens e animações que passam ao fundo durante as músicas.

Intuitivo e fácil, fazendo com que você busque estar o mais próximo da faixa para pontuar o máximo possível, o desenvolvedor se preocupou em trocar a punição dos jogos de ritmo mais famosos para as notas sendo executadas de qualquer maneira. Basta usar o esquerdo do mouse ou o teclado, enquanto move o mouse para cima ou para baixo, para ouvir o “explodir” das notas musicais.

Cuidado apenas com a barra lateral esquerda, que mostra o seu fôlego e por quanto tempo você ainda pode ficar pressionando o botão para fazer sua nota sair ininterruptamente. Caso você abuse do ar em seus pulmões, seu personagem ficará brevemente sem tocar para recuperar o fôlego.

Cuidado para não perder o fôlego, mesmo sendo hilária a reação do seu personagem

Repleto de elementos cômicos muito bem pontuados, desde o seu avatar músico, que lembra muito um Nintendo Mii, e trabalhando com elementos visuais voando pela tela, que fazem sentido para cada música, ao melhor estilo Taiko no Tatsujin. Além disso, os Vecchittos trouxeram o cachorro-quente e macacos babuínos para agregar ainda mais humor e maluquice ao jogo.

Toque, cante e colecione

Os babuínos que aparecem no jogo não são gratuitos, pois além da sua ligação ser explicada com breves textos, você terá uma opção no menu para acessar uma sala misteriosa com o que parece ser um “disco de ouro” e a sombra de um trombone.

Pesquisando sobre o trabalho do desenvolvedor, ele criou um “Trombiverse” e você precisará cumprir algumas condições específicas para liberar um “último chefe” e conquistar um “final verdadeiro” para o jogo. Detalhe que, tirando a abertura, o jogo não possui um “modo história” propriamente dito, como normalmente conhecemos.

Esta sala exige rank S, chaves misteriosas e cachorro-quente para desbloquear segredos

Deixarei esta questão do boss secreto e final de lado, pois ainda não conquistei o que preciso para esta etapa. Afinal, para cada música jogada até o fim eu ganho uma nota de F (mais baixa) até S (de supremo, sendo a mais alta), tendo o meu desempenho transformado em “Toots”, a moeda que o jogo possui.

Além da jogatina frenética com sua lista de 20 músicas, muitas delas em domínio público, o jogo também oferece a letra das músicas para você e seus amigos acompanharem a jogatina ao melhor estilo karaokê. Hinos de países, músicas clássicas, remixes e até trilhas originalmente compostas pela Holy Wow, todas são ranqueadas com estrelas de 1 a 10, indicando a dificuldade ou, como eu percebi ao jogá-las, o quão frenético você precisará mover e clicar seu mouse.

Quanto mais jogar, mais dinheiro você terá para comprar pacotes de cards, que você poderá colecionar para obter músicos, instrumentos e babuínos, totalizando 50 cartas ao todo.

Quem não gosta de um bom colecionável, não é mesmo? Ainda mais se forem cards!

Fique tranquilo, pois as repetidas poderão ser descartadas na privada e, ao acumular uma pontuação específica, você poderá comprar os cards específicos que estiverem faltando. Ao jogar toda a playlist você com certeza terá quase todos os cards, sem muita dificuldade ou repetição.

Sucesso sinônimo de diversão

O projeto pessoal de Dan e Jackie Vecchitto surgiu em 2018 e acabou caindo no gosto de muitos jogadores, atingindo positivamente até mesmo a comunidade de músicos e modders. Ainda com a possibilidade de chegar aos consoles, além de atualizações e melhorias futuras, ambas já anunciadas pelo desenvolvedor, Trombone Champ é um jogo que exige grande coordenação motora ao mesmo tempo em que não é punitivo a ponto de inibir os mais curiosos.

Talvez a breve lista de músicas e a arte podem não agradar os mais exigentes, mas a irreverência em sua proposta e o humor escrachado desde a abertura do jogo, com certeza serão os principais chamarizes.

Babuínos por todos os lugares de Trombone Champ

Deixando toda a complexidade de se aprender e tocar trombone, que afirmo por experiência própria após cinco anos como trombonista na época de colégio, Trombone Champ aposta na simplicidade para conquistar gargalhadas a cada “FÓM” ou “FUÉM” perdidos durante uma “Quinta Sinfonia de Bethoven”.

Tire uns minutos para conhecer Trombone Champ e reafirmar o que Colleen Wheeler, da International Trombone Association (ITA) afirmou em entrevista ao The Guardian: “Se este jogo lhe traz alegria – e trará – por que não adicionar um trombone à sua vida?”.

Imagem do texto de RKGK

Review – RKGK / Rakugaki

Marco AntônioMarco Antônio10/06/2024

Review – Blockbuster Inc.

Paulo AlmeidaPaulo Almeida04/06/2024