Skip to main content

Uma das minhas partes favoritas em jogos de horror são os puzzles. Afinal, vez ou outra devemos colocar a “cachola” para funcionar e limpar as teias de aranha. Então não perdi a chance de experimentar Train Valley Console Edition, edição definitiva do game originalmente lançado para PC em 2015.

Agora disponível para PS4, PS5, Xbox One, Xbox Series e Nintendo Switch, Train Valley Console Edition traz além do divertido e desafiador sistema ferroviário muito conteúdo extra das DLC da primeira guerra mundial e muitos outros eventos reais. Uma verdadeira caixa de surpresas, mesmo que com uma embalagem simples.

Todos a bordo!

O objetivo principal de Train Valley é bem simples: seja eficiente e evite explodir os trens em acidentes. Não há uma história principal que guie os eventos. Ao invés disso, temos a missão de navegar por locais de países como Europa, Estados Unidos, Rússia, Alemanha e Japão, passando por antigas “Maria fumaças” até trens-bala super tecnológicos.

Train Valley
Mestre condutor aqui

Cada nível se passa em uma época diferente, com o jogo alternando datas que vão desde 1830 até 2020, promovendo uma verdadeira viagem pelo tempo e tecnologia ferroviária. Felizmente, os desafios não diminuem com o avanço da tecnologia. Na realidade, eles aumentam!

Diferentemente de jogos como Train Simulator, aqui não é necessário saber utilizar a mesa de instrumentos de cada trem. O desafio em Train Valley é conseguir fazer com que toda a sua malha ferroviária, que é bem apertada, consiga funcionar com vários trens ao mesmo tempo.

Os mapas, ambientados nos países citados, espremem (propositalmente) os trens em suas diversas rotas. Foco, gestão de tempo e execução são primordiais caso queira ver sua ferrovia trabalhando de maneira exata, como um relógio suíço.

Train Valleu
Acidentes acontecem quando perdemos o foco

Dinheiro e planejamento, as chaves do sucesso

No modo história, cada nível de Train Valley dura em torno de 5 a 10 minutos, com o modo aleatório se estendendo entre 15 a 20 minutos. Nestes cenários do modo história o jogador precisa evitar que seu caixa esgote e venha a falir, além de tentar concluir três objetivos adicionais para garantir pontos extras.

Como de praxe nos simuladores, há vários custos adicionais para ficar atento, como impostos que são pagos ao virar o ano durante o nível, construir por cima de casas, plantações e florestas. Alterar essas áreas geram custo, por isso tome cuidado para que o dinheiro não acabe antes mesmo de colocar seu primeiro trem em circulação.

Outro grande desafio é manejar as saídas e rotas dos trens, por isso é tão necessário estar focado. Uma rota trocada pode atrasar a chegada de um trem e com isso diminuir o lucro da viagem. E para cada nova rota adicionada, aumenta-se o valor do imposto anual, além de uma taxa paga na hora para criar a nova rota e trem.

Train Valley
Pena que não tem como passar por dentro do castelo

Na pior das hipóteses, os trens irão colidir e isso sim irá causar um grande furo no seu orçamento. Ou seja, você terá que pagar novamente pela ferrovia, novos trens e rotas. O jeito é abusar dos interruptores e desvios que puder usar para evitar ao máximo causar um acidente.

Apreciando a vista

Train Valley Console Edition é uma excelente escolha para quem quer testar suas habilidades como um maquinista de faz de conta, sem a enorme complexidade de um simulador tradicional. Sua proposta é mais casual, ao mesmo tempo que consegue engajar e desafiar o jogador logo nos primeiros instantes.

Este game me fez sentir criança novamente, brincando com ferrovias de miniatura enquanto curtia a boa e relaxante trilha sonora. O jogo ainda contextualiza marcos importantes da história das ferrovias no mundo, situadas durante a Corrida do Ouro, a Segunda Guerra Mundial, a Guerra Fria, o lançamento da Vostok 1 e a queda do Muro de Berlim.

Embora o jogo tenha sua dose de limitações, deixando-o repetitivo em pouco tempo, Train Valley Console Edition é uma excelente experiência para quem procura um simulador mais casual pra descontrair com trenzinhos se deslocando pelo mapa do mundo.

Mullet MadJack

Review – Mullet MadJack

Marco AntônioMarco Antônio14/05/2024

Review – Endless Ocean: Luminous

Renato Moura Jr.Renato Moura Jr.08/05/2024