Skip to main content

“Eis aí o homem que quis ser rei do povo romano e senhor de todas as nações, o que por fim conseguiu! Louco será quem sustentar ser honesta essa aspiração, pois aprovará então o aniquilamento das leis e da liberdade, julgando gloriosa essa horrível e detestável opressão.”

Cícero – De Civilis.

Rome: Total War é, sem dúvidas, um daqueles títulos que definem um gênero. Não é necessário ser fã de jogos de estratégia para reconhecer a sua relevância no meio. Os mais nostálgicos provavelmente terão em mente diversas lembranças das batalhas mais intensas já travadas pela glória de Roma – ou, se preferir, pela defesa dos povos das regiões na área de influência de Roma. Tamanho é esse sentimento de nostalgia que, sem mais nem menos, a Creative Assembly decidiu presentear seus fãs com Total War: Rome Remastered.

Talvez esse não seja o jogo que pedimos, mas será que é o que nós merecemos? Afinal de contas, Total War: Rome II foi lançado em 2013, há 8 anos. Bem, esperado ou não, Total War: Rome Remastered tenta trazer o que é esperado para um título remasterizado: melhorias gráficas e de qualidade de vida. Se as novidades são poucas, pelo menos o fator nostalgia está mais vivo do que nunca nesse que é, sem dúvidas, um dos jogos mais influentes deste século.

Roma Invicta

Coincidentemente, o último título da franquia Total War que eu havia jogado antes deste foi justamente o Rome: Total War. Lembro-me de perder horas administrando a economia das minhas cidades enquanto buscava um jeito de manter um exército sustentável. É claro que, se tratando de um remaster, a minha expectativa era justamente reviver esses momentos, lembrando que, além das táticas de guerra, as nuances referentes ao gerenciamento de um território não são tão simples assim.

A nova interface permite enxergar até mesmo a progressão dos edifícios.

Foi justamente na parte administrativa que percebi a primeira diferença em relação ao título original. Para facilitar a visualização dos dados, as cidades possuem indicadores no mapa a fim de exibir informações relevantes para o jogador. A apresentação desse recurso em Total War: Rome Remastered foi alterada, apresentando uma interface que, em vez de dados concretos, utiliza de alguns recursos visuais para indicar a prosperidade ou o declínio do local.

A interface geral também foi retrabalhada. Além da representação visual dos números de uma cidade dentro do mapa principal, informações mais técnicas também foram alvos de mudança em sua apresentação. As tropas, por sua vez, agora possuem uma pequena interface mostrando as suas características em forma de estatística. Além disso, a habilidade dos líderes não é mais demonstrada por uma série de símbolos em um menu, mas sim por uma barra de habilidade.

A princípio essas mudanças me causaram curiosidade e estranheza – afinal de contas, quando você está acostumado com algo é difícil aceitar mudanças. Olhando pelo espectro da nostalgia, soluções mais modernas para a interface retiram um pouco daquela ligação visual com o passado. É inegável que, de 2003 até 2021, muito foi mudado no que se refere ao design de interfaces, mas essa mescla de antigo com o novo ainda não me convenceu.

Todos os caminhos levam a Roma

Além da interface, pequenas mudanças de qualidade de vida também foram implementadas. Além das unidades de combate, Total War: Rome Remastered conta com unidades especiais. Encarregadas de realizar as mais diferentes missões, agora é possível designar diretamente uma dessas unidades para o local desejado e saber qual a porcentagem de sucesso ela terá na realização da sua tarefa.

Mais opções de visualização estão disponíveis no mapa principal.

Diferentemente do primeiro título, a figura do mercador é uma dessas unidades especiais. Conseguindo melhorar as relações de comércio entre diferentes cidades, a sua adição é uma novidade que ajuda bastante na manutenção de uma economia saudável. Como meu estilo de jogo sempre foi mais centrado em garantir o desenvolvimento econômico das minhas cidades, essa novidade caiu como uma luva no meu jogo.

As adições na parte mais gerencial foram pontuais. É claro que a franquia Total War não é conhecida por esse lado, mas sim pelas batalhas gigantes entre os exércitos e os diferentes componentes táticos empregados. Entretanto, mesmo focado no combate, é muito bom saber que os desenvolvedores optaram por mudanças fora desse escopo.

Carthago dalenda est

Grande carro-chefe da franquia, as batalhas são exatamente o que se espera de um Total War. Tudo o que pode ser encontrado aqui, até mesmo as novidades, não são motivos de surpresa para os fãs da franquia, mas, como um bom remaster, introduzem elementos mais modernos de interface.

À esquerda o título original e à direita o remaster.

Algo que vale destacar em Total War: Rome Remastered é a introdução da visão tática. Ao dar o zoom máximo do campo de batalha, o jogador terá acesso a uma representação diferente do campo de batalha, como se estivesse vendo seus comandados em uma mesa de táticas. Trata-se de uma mecânica comum nos jogos mais recentes da franquia que os desenvolvedores resolveram acrescentar ao título.

Como é de se esperar, os modelos de unidade também receberam melhorias gráficas. As unidades podem ser visualizadas bem de perto, mostrando todo o seu esplendor e atenção aos detalhes. Ficou muito mais legal visualizar o seu general discursando contra os inimigos com esses novos gráficos.

Por fim, quem já passou horas e horas jogando Rome: Total War já sabe muito bem o que esperar desse remaster. Adicionando melhorias pontuais, Total War: Rome Remastered é uma experiência satisfatória que faz jus a um dos melhores títulos de estratégia já criados. Além de ser um título indispensável para os saudosistas, agora os jogadores inexperientes e interessados no gênero de estratégia terão um ponto de partida simples, atualizado e divertido.

Review – Another Crab’s Treasure

Renato Moura Jr.Renato Moura Jr.24/04/2024
Stellar Blade

Review – Stellar Blade

Diego CorumbaDiego Corumba24/04/2024