Skip to main content

Tell Me Why inegavelmente lembra a famosa música do Backstreet Boys. É muito difícil pronunciar a frase sem pensar na canção, é verdade e sofremos com esse efeito também, mas a Dontnod mudou isso e trouxe um novo significado para essa expressão. Este é o nome do jogo que apresenta o primeiro personagem transgênero jogável. Um protagonista produzido com bastante responsabilidade, contando com consultorias de uma organização LGBT e com contribuições de pessoas trans para que essa representação respeite o público transsexual.

Tudo isso resultou em uma emocionante história repleta de questões sociais importantes em um ambiente convidativo, com músicas cativantes e claro, muitas escolhas difíceis. Dividido em três episódios, as suas escolhas, por mais insignificantes que possam parecer, vão moldar o rumo da narrativa e trazer mudanças para o cenário ou para as relações entre os personagens. Uma notável diferença é que desta vez os capítulos foram disponibilizados em um curtíssimo intervalo de tempo, sendo quase que um por semana. Com todo esse conteúdo disponível, não há desculpas para deixar de apreciar a história dos gêmeos Ronan.

Uma confusão de sentimentos

Bem-vindos a Delos Crossing, uma pequena e linda cidade fictícia do Alasca, nos Estados Unidos. Aqui você conhecerá os gêmeos, Alyson e Tyler Ronan, irmãos que tiveram uma infância recheada de brincadeiras, travessuras, segredos e muitos momentos juntos. Até demais, diga-se de passagem. Mas em uma noite chuvosa tudo mudou quando sua mãe, Mary-Ann, em um ataque de loucura, provocou uma confusão que resultou em sua trágica morte e a separação dos pequenos irmãos.

Imagem do jogo Tell Me Why
É lindo ver como Alyson compreende o irmão.

Ante de prosseguir, fica o recado: Tentarei evitar os spoilers, mas algumas informações serão inevitáveis. Não há outra forma possível de descrever a experiência de Tell Me Why. As cenas iniciais, por exemplo, causam um verdadeiro nó no estômago, principalmente ao ver que Tyler foi preso. Isso certamente deixará você, assim como eu, nervoso e incapaz de acreditar no que aconteceu, mas claro, elas mostram o quão maduro serão os temas abordados nesta história e também te deixa instigado a descobrir o que realmente ocorreu.

Felizmente essa detenção teve seu lado positivo, pois além de proporcionar uma formação para Tyler, lá na cadeia ele também conseguiu se encontrar e entender sua identidade, o que ajudou em sua transição. Não há cenas mostrando todos estes processos, mas Tyler sempre demonstra, de maneira sutil, o quanto esse período foi difícil e, ao mesmo tempo, importante.

Imagem do jogo Tell Me Why
Um exemplo de linguagem inapropriada sobre a transição de um homem trans.

A Dontnod sempre vem abordando questões importantes em suas histórias para que as pessoas possam se identificar e refletir. Desta vez não é diferente, a produção de Tell Me Why teve o apoio da GLAAD (Gay & Lesbian Alliance Against Defamation), uma organização que monitora a maneira como a mídia representa as pessoas LGBT. Além disso, o jogo recebeu contribuições de pessoas transgêneras, onde o próprio dublador, por exemplo, pôde auxiliar no roteiro, modificando aquilo que não concordava para a história de Tyler. Tudo isso mostra o cuidado, o respeito e a delicadeza com o personagem, de forma que ele ecoe positivamente para o público e fuja de estereótipos ou de características sem fundamentos.

Mas Tell Me Why não foca apenas na identidade de Tyler Ronan, o jogo também explora questões como os relacionamentos familiares, preconceitos, transfobia, depressão e até dependência alcoólica. Alguns destes temas vão surgindo ao longo da história como consequências daquela mesma noite, mostrando como cada pessoa reagiu ao ocorrido. Às vezes a produtora apresenta mensagens e links de apoios para aqueles que se identificarem com algum evento mostrado no jogo e isso é realmente muito legal.

Imagem do jogo Tell Me Why
Tell Me Why também dá atenção aos sentimentos de Alyson.

Dez anos se passaram do incidente e Tyler finalmente está livre da detenção e pode voltar para a antiga cidade. Já a Alyson se manteve em Delos Crossing desde aquela noite, embora não mais naquela residência. Os irmãos finalmente se reencontram e estão determinados a retornar a velha casa para colocá-la à venda. Mas, por mais que a saudade esteja no ápice, essa aproximação pode ser um tanto complicada.

O passado de Tell Me Why

Alyson sempre soube que tinha um irmão em vez de irmã e não é essa questão que causou um clima estranho entre eles neste reencontro. Na verdade, os dez longos anos separados proporcionou uma rotina diferente para cada um deles, mudando suas posturas e, mesmo com tanto assunto para falar, nada parece ideal. O interessante é perceber que isso não é só o contexto, pois enquanto você joga, vai notar a falta de comunicação entre eles, podendo escolher entre dialogar ou não e isso, certamente, vai influenciar no rumo da história.

Imagem do jogo Tell Me Why
Ambos conseguem ver os flashes de memórias mas, nem sempre serão iguais.

Aos poucos os gêmeos vão resgatando seus laços familiares e os sentimentos vão se tornando cada vez mais intensos. É como quando revemos um irmão distante para recordamos as brincadeiras e todos aqueles momentos juntos, criando um clima cheio de nostalgia. Tell Me Why retrata isso de uma maneira tão delicada e bonita que muitas vezes é emocionante, fica fácil se identificar com a nossa própria infância ao lado de nossos irmãos e irmãs.

Esses momentos tocantes são frequentes e tem o reforço da bela composição visual e sonora em conjunto das músicas licenciadas, características que a Dontnod sabe bem como explorar, assim como realizou com Life is Strange. As músicas parecem ter sido escolhidas a dedo, pois são excelentes e combinam com todo o contexto, não posso deixar de destacar a faixa Stop The Stars da banda Tiny Deaths, uma canção que toca em um dos momentos mais lindos de Tell Me Why.

Imagem do jogo Tell Me Why
Use a telepatia para saber o que eles pensam em determinadas situações.

Conforme os irmãos revisitam os lugares por onde passaram na infância, mais memórias são resgatadas. Isso fica ainda mais abundante quando eles chegam na velha e aconchegante casa. Ali suas lembranças parecem ganhar vida, tanto as boas quanto as mais dolorosas e o laço que liga esses dois permite que ambos possam visualizar aquelas cenas do passado pelos cantos do cenário, mostrando até momentos que eles já nem conseguem ter certeza de como realmente aconteceu.

Essa reaproximação também resgatou uma habilidade que os permitem conversar em uma espécie de telepatia (eles utilizavam isso na infância). São esses flashes e poderes que acabam atraindo a curiosidade para entender o que se passava com sua mãe e o porque dela ter feito o que fez. Agora é hora de tirar essa história a limpo e parece que a sua mãe, Mary-Ann, sabia que esse dia chegaria, preparando o livro dos goblins.

Imagem do jogo Tell Me Why
Qual história você quer ler?

Ela costumava escrever contos para os gêmeos, histórias baseadas em travessuras que as crianças aprontaram ou em suas próprias experiências de vida. Eles próprios se denominavam goblins e foram, dessa forma, representados no livro. Mas só agora perceberam que os demais personagens são também baseados em pessoas próximas a família e que entender esses contos é a chave para descobrir o passado de sua mãe e desvendar o que houve naquela noite.

Interpretando o conto de fadas

Você poderá ler todas as histórias, elas estão traduzidas e são bem legais. Ao longo dos três capítulos você vai se deparar com alguns puzzles e a solução deles podem estar dentro destes contos. Mas nem sempre será fácil desvendar as charadas, isso requer um pouco mais de atenção. Em sua maioria esses quebra-cabeças servem para encontrar coletáveis, mas eles também vão ajudar a resgatar algumas memórias profundas na mente dos irmãos. Em ambos os casos você está livre para solucioná-los ou não.

Imagem do jogo Tell Me Why
É uma decisão realmente difícil.

Imagine você e seu irmão presenciando uma mesma situação, um tempo depois as lembranças sobre esse evento serão diferentes para cada um, porque a percepção é única e essa memória pode sofrer alterações conforme suas vivências. Essa é uma característica extremamente importante de Tell Me Why, já que em alguns momentos você vai controlar Alyson e em outros o Tyler, bem como verá suas versões sobre eventos em que ambos participaram e cabe a você decidir em qual delas quer acreditar, isso vai oferecer diversas escolhas complicadas.

Com a telepatia os irmãos podem dialogar sem que as pessoas ao redor percebam, esse é um bom modo de saber o que eles pensam antes de qualquer decisão, pena que só está disponível em momentos específicos. Isso poderia ser mais explorado durante a jogatina. Da mesma forma que a cultura indígena, Tlingit, poderia ir mais além do que a composição de cenário. Há alguns dados sobre esse povo e eles também dão uma atmosfera única para Delos Crossing, mas seria interessante obter mais informações sobre eles. Uma opção é recorrer ao site oficial, lá tem mais detalhes sobre essa cultura e toda as outras questões de desenvolvimento do jogo. Vale a pena conferir.

Imagem do jogo Tell Me Why
As paisagens são encantadoras.

Tell Me Why está repleto de escolhas difíceis, porém algumas consequências poderiam ser um pouco mais impactantes. Elas até trazem algumas mudanças para o desenrolar da narrativa, porém, fica uma sensação de que poderia ser mais acentuado. Ao menos a história está cheia de momentos imprevisíveis, o que é muito bom e vai garantir diversas surpresas. Faltou esse impacto nas decisões no final da trama.

No fim, Tell Me Why explora as memórias felizes e dolorosas dos gêmeos e deixa você decidir no que quer acreditar. Seja lá qual for o seu rumo, tenha certeza de que essa história será interessante e, sem dúvidas, muito emocionante. Mais uma vez a Dontnod nos presenteia com boas reflexões sobre diversos temas sociais quais, novamente, eu espero que ajude aqueles que se identifiquem e melhore a postura de todos os outros. Além disso, esse título traz, de maneira bastante respeitosa, uma representatividade positiva para as pessoas LGBT, o que torna ele importante e muito necessário.

Review – Fallout: 1ª Temporada

Renato Moura Jr.Renato Moura Jr.15/04/2024
Harold Halibut

Review – Harold Halibut

Carlos AquinoCarlos Aquino15/04/2024