Skip to main content

Jogos de sobrevivência podem, muitas vezes, causar frustração em alguns jogadores. Se sobreviver na vida real já não é difícil o suficiente, nos jogos muitas mecânicas não são piedosas com novos jogadores, fazendo que muitos desistam do processo devido ao elevado número de mortes colecionadas durante a jogatina. Ragnorium, além de conter mecânicas de sobrevivência, incorpora elementos de gerenciamento ao melhor estilo Dwarf Fortress e Rimworld – dois títulos que, além dos motivos citados, adicionam mais um grau de complexidade na equação.

A complexidade citada anteriormente pode, muitas vezes, exigir a atenção do jogador a múltiplos fatores que interferem na sua experiência. Nesse quesito, muitos dos jogos que transitam entre a sobrevivência e o gerenciamento – Dwarf Fortress sendo o caso mais notório – sofrem para ensinar tudo que o jogo tem a oferecer aos jogadores. Interface problemática, inteligência artificial irresponsiva e excesso de microgerenciamento estão entre os problemas mais comuns no gênero. Ragnorium, por sua vez, tenta arrumar seu lugar ao sol, mas, infelizmente, ainda carrega as mazelas características de um dos estilos de jogo mais complexos e densos da indústria dos games.

Ambientação e estilo

Ragnorium aposta em uma ambientação pós-apocalíptica espacial a fim de dar vida ao jogo. Contudo, o estilo gráfico cartunizado e com um filtro granulado pode não agradar a todos, apesar de contribuir para a atmosfera dos planetas. Os animais, colonizadores e inimigos também seguem o mesmo estilo.

A aposta na ambientação está presente durante a exploração dos planetas. A cada mundo visitado, algumas características relevantes marcam os locais. Há, por exemplo, um planeta inspirado pela cultura árabe, com desertos, palmeiras e a arquitetura convencional dos desertos do oriente médio. Em outro planeta, é possível experimentar uma superfície parecida com a de Marte.

Não tá fácil para ninguém…

Mesmo com um estilo que possivelmente dividirá opiniões, percebe-se que há muita personalidade nos mundos representados em Ragnorium. Se os perigos do deserto não são mais problemas em um planeta dominado pelas plantas, outros tipos de inimigos te aguardam por aquelas bandas.

Otimização e interface

Como citado na introdução deste review, jogos de sobrevivência e gerenciamento sofrem com decisões ruins de interface. Ragnorium, infelizmente, não é uma exceção à regra, portando uma interface que fará com que até mesmo jogadores experientes no gênero percam uma quantia considerável de tempo. Os menus não são intuitivos, não há uma indicação clara do que você ganha cumprindo as missões – isso é, quando você finalmente consegue achar onde os objetivos estão escondidos –, a árvore de produção é confusa e notificações aparecem a todo momento na tela.

É óbvio que alguns jogos que inspiraram Ragnorium, como Kenshi e Rimworld, também sofreram com problemas de interface e bugs, mas, com o tempo, parte desses problemas foram resolvidos em atualizações. O caminho mais provável é que os desenvolvedores – ou o desenvolvedor – siga pelo mesmo caminho, mas, no momento, é bem difícil ter algum tipo de diversão nesse jogo.

Fora os problemas de interface, a otimização também não é das melhores. Ragnorium, em teoria, não é um jogo pesado, mas tem uma performance bem ruim em computadores medianos.

O estilo de arte pode dividir opiniões

É bem claro que há uma visão por trás de Ragnorium. Embora eu tenha dito, no início, que o estilo de arte divida opiniões, é mais fácil odiá-lo devido ao excesso de filtros e efeitos. Se isto não te agradar, nem tente continuar jogando, pois provavelmente não terá nada por aqui que irá captar sua atenção. Agora, se você quiser se aventurar nos planetas caóticos criados pela mente do desenvolvedor, saiba que uma dificuldade elevada, uma interface pouco amigável e uma otimização ruim lhe aguardam. 

No geral, Ragnorium é uma experiência que vale apenas para jogadores muito experientes em outros jogos de criação de colônias que, tendo milhares de horas no gênero, procuram novas aventuras. Se você não faz parte desse nicho recomendo que fique longe desse produto.

Review – Another Crab’s Treasure

Renato Moura Jr.Renato Moura Jr.24/04/2024
Stellar Blade

Review – Stellar Blade

Diego CorumbaDiego Corumba24/04/2024