Skip to main content

Muito provavelmente, assim como eu, você que está lendo este texto cresceu com o Homem-Aranha. Não importa se foi por intermédio dos quadrinhos, dos filmes, dos desenhos animados ou de todos eles juntos – em algum momento da sua vida o Cabeça de Teia te conquistou e é por isso que você está aqui agora.

Não é à toa que ele é o carro chefe da Marvel há tantas décadas consecutivas, pois ao contrário de tantos outros heróis, muitos se identificam com o Amigão da Vizinhança justamente por ele ser gente como a gente: um jovem de origem humilde e introvertido que luta contra o crime ao mesmo tempo em que deve estudar para uma prova, trabalhar nas horas vagas e ir à um encontro amoroso com a garota que ele gosta desde sempre. Peter Parker foi o personagem mais humano que nasceu da brilhante mente de Stan Lee.

Depois de várias gerações de consoles encarnando o Teioso em diversos jogos dos mais variados cacifes, desde os ótimos até os péssimos, eis que foi dada à Insomniac uma grande tarefa: trazer de volta o Homem-Aranha aos videogames, mas de uma maneira original e gloriosa. Ao mesmo tempo em que isso é uma honra muito grande, é também uma jogada arriscada, afinal, com grandes poderes vêm grandes responsabilidades.

De volta ao lar

Felizmente, Marvel’s Spider-Man é um jogo com um enredo totalmente independente, sem a obrigatoriedade de seguir um roteiro de filme ou história em quadrinhos. Se baseando nisso, não teremos a origem do herói nem nada do que já estamos cansados de ver nas telonas – aqui entraremos na pele de um Peter adulto, que já mora sozinho, já se formou na faculdade, tem um emprego e continua lidando com os mesmos problemas pessoais de sempre.

NYC precisa de um herói.

Apesar dos esforços do rapaz em conciliar sua vida pessoal com a heroica (o que já custou muitas coisas para ele a essa altura do campeonato), ele descobre que tudo isso será mais difícil do que imagina quando uma nova ameaça se une aos seus vilões mais conhecidos para acabar com o Aranha. Essa ameaça é o Sr. Negativo, um dos principais antagonistas deste título e um personagem bem desconhecido no universo do herói.

Foi ousado por parte da Insomniac usar um vilão tão anônimo no universo Marvel, afinal, o que não falta para o Cabeça de Teia são vilões dos mais variados poderes e estilos possíveis – todos muito mais populares que o Sr. Negativo – mas felizmente tudo isso deu muito certo. A Rocksteady revolucionou os jogos de heróis com o lançamento de Batman Arkham Asylum em 2009 e, a partir daí, quase todo jogo voltado para este tema seguia de alguma forma sua fórmula de sucesso. Podemos dizer que Marvel’s Spider-Man não fugiu muito dessa base, mas não deixou de ser algo único e original.

A história do game é muito bem construída e conta com participações de muitas personagens voltadas para o herói, tanto em missões principais quanto em secundárias, então quem já é fã de longa data e conhece todo mundo no ciclo social do Aranha com certeza vai pirar jogando isto. O modo como eles inserem essas personagens também é excelente, sem forçar as coisas muito rápido; todas aparecem gradualmente ou por meio de easter eggs e já aviso: o jogo tem muitos, todos eles voltados para o universo Marvel.

O guardião de Nova York

Nova York está belíssima e maior do que jamais esteve em um jogo do Spider-Man. O mapa não é gigantesco, mas tem um tamanho ideal para nos balançarmos suficientemente e explorarmos cada bairro de NYC, com direito até aos locais e edifícios mais famosos de cada um. Dentre todos eles, o que mais me impressionou foi a Times Square – é como se você estivesse lá!

O visual de Nova York está mais incrível do que nunca!

Falando em se balançar em teias, eles conseguiram. Os movimentos do Aranha nunca foram tão fluídos e reais; tanto se balançar nas teias quanto se locomover pela cidade é algo de um nível muito superior a qualquer outro título do herói. O melhor de tudo isso é que não é nem um pouco complicado de o controlar no meio desses saltos insanos e arremessos de teia. Tudo é extremamente intuitivo e você consegue desempenhar as habilidades do aracnídeo facilmente sem se perder nos controles.

A cidade está repleta de atividades, é um mundo aberto muito vivo. Temos diversos colecionáveis para se procurar – o que de fato são interessantes de se caçar, pois cada um te recompensa de um jeito diferente, desde itens pessoais de Peter até melhorias para o personagem. Também podemos parar crimes acontecendo em tempo real com os eventos do jogo e dá até para dar uma paradinha no expediente para tirar uma selfie com os pedestres na rua, afinal o Aranha também precisa ser atencioso com seus fãs. Você realmente vai se sentir o guardião de Nova York neste jogo e isso é muito prazeroso, te prendendo por horas e horas enquanto impede os crimes na cidade em prol da comunidade.

Ainda está achando pouco? O Homem-Aranha tem uma paródia de Twitter com 15 milhões de seguidores, onde você acompanha no feed diversos tweets de fãs narrando seus atos heroicos pela cidade – desde os relacionados à história até os mais insignificantes, isso é impressionante! Não só isso: você também pode ouvir o programa de rádio de J. Jonah Jameson, que está determinado a descarregar todo o seu ódio do Aranha em cada um de seus episódios, o que consegue te arrancar boas risadas. É isso e muito mais que torna Marvel’s Spider-Man um jogo único: a riqueza de detalhes e o capricho com que foi feito tudo neste game é o que o torna uma experiência inigualável.

Vai negar que essa Times Square está sensacional?

Sobre a dublagem, todas as vozes em português foram escolhidas a dedo e são excelentes – não terá uma única personagem que você entortará o nariz e vai achar que a voz não combina. Mesmo assim, ainda tem algumas coisinhas que incomodam, como aquele clássico bug dos exclusivos de PlayStation que vem acontecendo desde The Last of Us no PS3, onde o áudio da dublagem fica inaudível e você só consegue se guiar pelas legendas (isso só acontece na dublagem em pt-br). Outro detalhe que pode incomodar é o fato deles simplesmente não terem traduzido os nomes das personagens na dublagem, todas são mencionadas em inglês, inclusive o do próprio Homem-Aranha. É bem estranho ver todo mundo falando português e repentinamente falar inglês, mas aparentemente isso foi uma decisão da própria Sony.

Incrível não, espetacular!

O combate é outro ponto fortíssimo do game e como era de se esperar, veremos elementos de Batman Arkham nele também. O Amigão da Vizinhança possui muitos movimentos e sequências, podendo usar desde golpes normais até bombas de teia, drones e outros acessórios legais. Os movimentos são muito fluídos e igualmente fáceis de serem feitos, e com a ajuda do sentido de aranha conseguimos desviar de golpes e tiros com toda a agilidade do herói, tornando as lutas muito rápidas e dinâmicas.

Marvel’s Spider Man possui três níveis de dificuldade, mas essa dificuldade pode te enganar um pouco. Ele não é difícil, mas no começo pode ser meio maldoso, pois ainda estamos nos acostumando com os controles e o game insiste em colocar crimes na cidade com grupos de inimigos bem apelativos, como dois capangas brutos e todo o resto do grupo armado. Isso quase sempre resulta em morte em questão de segundos, o que é bem frustrante, mas após se pegar o jeito da coisa e evoluir bastante o personagem, nada mais consegue nos parar. Ao menos a interação com o cenário é incrível e podemos interagir com quase tudo, independente se for a céu aberto ou em locais fechados, tanto pra lutar quanto para se locomover, te passando a sensação de que você realmente faz parte daquele ambiente.

Acho que já vi isso em algum lugar…

Podemos ir aprimorando muito mais do combate com uma vasta árvore de skills, afinal o jogo possui elementos de RPG, então ganhamos XP, upamos de level e obtemos pontos para investir nas habilidades do aracnídeo. Também teremos à nossa disposição o maior guarda-roupa do Aranha que você vai ver em um jogo do personagem, possuindo quase 30 trajes que devemos desbloquear e construir para usar. Os trajes se inspiram desde diversas fases do Teioso nos quadrinhos até os uniformes dos filmes do MCU, então tem roupa para qualquer fã do Aranha. Alguns ainda te garantem uma habilidade especial que pode ser usada em combate e costuma fazer toda a diferença. Vale a pena coletar todos.

Outro ponto fortíssimo a ser ressaltado é que a Insomniac apostou na qualidade ao invés de quantidade. O jogo não conta com muitas missões secundárias, mas todas elas são únicas, com pequenas histórias separadas e variadas ao seu próprio modo. Isso vale muito mais do que dezenas de missões secundárias repetitivas, então além de ser mais divertido de se jogar, isso até incentiva o jogador à jogar as sidequests quando elas aparecem no mapa.

Olha essa água!

Os gráficos são incríveis, sendo realistas e discretamente cartunescos (lembrando um pouco quadrinhos, o que acredito ser a intenção), com uma excelente retratação da cidade e das personagens, mas principalmente com uma água de cair o queixo – apenas aproveite que o Aranha nada neste jogo e tire um tempinho para admirar a água, é realmente impressionante. A trilha sonora é digna de um filme da Marvel, sendo instrumental e dando toda aquela sensação de grandiosidade para nosso herói e para quem está atrás do controle.

Marvel’s Spider-Man é um presente para qualquer fã do Homem-Aranha. A Insomniac simplesmente pegou tudo de mais positivo em todos os bons jogos do personagem lançados até aqui e misturou, aprimorando cada aspecto desses elementos e tornando essa uma experiência inesquecível. Posso dizer com tranquilidade que é o melhor jogo do herói já feito e que é o único que te dá a sensação de realmente estar na pele do Cabeça de Teia. O jogo é um poderoso exclusivo do PS4 e uma compra obrigatória pra qualquer um que curte jogos de heróis ou especificamente nosso querido Aranha, pois agora chegou o nosso momento de sentir na pele quantas responsabilidades podem trazer estes grandes poderes.

Imagem do texto de RKGK

Review – RKGK / Rakugaki

Marco AntônioMarco Antônio10/06/2024

Review – Blockbuster Inc.

Paulo AlmeidaPaulo Almeida04/06/2024