Skip to main content

Marvel e Insomniac Games se unem novamente para trazer Spider-Man 2, sequência direta dos eventos vistos no primeiro título – lançado em 2018 no PS4 – e em Miles Morales. Neste novo capítulo, com todos os elementos já sendo estabelecidos por seus antecessores, podemos ver uma história completa com os dois super-heróis tentando alcançar um patamar ainda mais alto na história dos videogames.

O plot é bem simples e auto-explicativo: enquanto Miles tenta se tornar um Aranha digno e que honre o legado de seu mentor, Peter ainda tenta equilibrar a sua vida pessoal com a heróica e tem de lidar com a aparição de duas grandes figuras em Nova Iorque; Harry Osborn e Kraven, o Caçador. Isto bota a vida dos dois de cabeça para baixo e mexerá bastante com os fãs de um dos maiores ícones das histórias em quadrinhos.

Spider-Man 2 com dois heróis

Para defender a cidade de todas as ameaças, a Insomniac Games decidiu botar Peter e Miles como co-protagonistas de Marvel’s Spider-Man 2 e cada um tem sua própria série de habilidades e uniformes para serem utilizados dentro da aventura. Além disso, um recurso muito bacana é a presença de ações em dupla nas batalhas – não necessariamente contendo os dois heróis, com coadjuvantes aparecendo para ajudar também no combate ao crime.

A adição do uniforme simbionte e de Venom também são excelentes para a trama, distanciando um pouco o gameplay dos dois e trazendo um novo perfil para Peter Parker. Adicional ao traje, você pode ouvir a voz de Venom pelo speaker do DualSense enquanto batalha ou vê algum trecho da trama – o que traz bastante a sensação de que há algo ali o tempo todo, mesmo em momentos mais brandos.

Sendo bem sincero, eu acho que a trama de Marvel’s Spider-Man 2 é bem honesta e tem vários momentos marcantes. O relacionamento entre Peter e Miles, seus familiares e pessoas amadas – assim como os vilões dos anteriores e os novos oferecem um carisma extremamente impactante e vão fazer os fãs ficarem bem felizes com a fidelidade que alguns deles são representados. Acredito que os últimos capítulos dela podem não agradar a todos, como não me satisfez tanto, mas não representa um problema de fato.

Eu que não gosto muito de flashbacks, por exemplo, fiquei encantado ao ver um jovem Peter Parker e Harry Osborn tentando invadir a escola ainda com seus 14/15 anos de idade. Poder jogar isso, ao invés de apenas assistir, também é bem importante. Assim como voltamos a ter um destaque para Mary Jane Wattson, que ganha mais espaço na trama e diretamente no plot, fora a novata Hailey – que é acompanhada de um toque extremamente sensível de sua deficiência e que me quebrou por completo pelo respeito que a desenvolvedora a trouxe aos holofotes.

Tudo de novo, novamente?

Uma das maiores reclamações de Miles Morales foi ser uma repetição de tudo o que já tínhamos visto no jogo original, de cinco anos atrás. Marvel’s Spider-Man 2 não muda muito a forma como a banda toca, até porque em time que está se vencendo não se mexe. No entanto, ficar balançando por Nova Iorque, ver os mesmos estilos de missões e abordagem pode te cansar se você jogou os anteriores recentemente.

Para a sorte de todos, a Insomniac Games trouxe uma trama em tempo reduzido – contando que cerca de 20-25 horas não te cansarão tanto quanto os demais títulos que vão de 40 a 50h de gameplay em mundo aberto. A trama também não dá tantas voltas em seu destino, então estes pontos podem ajudá-los a se cansarem menos com a aventura como um todo.

O maior problema que terá em Marvel’s Spider-Man 2 é ver diversos bugs e glitches que podem atrapalhar a sua experiência. Fora as cabeças voando que já deve ter visto nas redes sociais e os movimentos bizarros que os heróis fazem, é possível que eles também fiquem presos em algum lugar e você seja obrigado a reiniciar o software por causa disso. Além disso, comigo ele travou por completo em um dos trechos no fim, o que me deixou bastante frustrado com o trabalho da Insomniac Games.

Ainda assim, eles aproveitam bastante o poder do PlayStation 5 para trazer um dos melhores títulos que a plataforma já viu. Tanto em quesito visual quanto técnico, até no uso do próprio DualSense, ele mostra como os jogos de uma nova geração devem se portar e tornam o trabalho dos próximos em agradar o público ainda mais difíceis. Mesmo o que eu disse acima pode ser consertado via atualização e ele é um jogo obrigatório para qualquer fã do herói e dono de um PS5 em 2023.

90 %


Prós:

🔺 A história é direta, sem muitos rodeios
🔺 Uniforme de Venom muda bastante o gameplay de Peter
🔺 Acertam o tom com heróis, coadjuvantes e vilões
🔺 O uso do DualSense na aventura é bem interessante

Contras:

🔻 Alguns bugs e glitches incomodam
🔻 Travamentos não são incomuns
🔻 O jogo mantém muito dos seus antecessores

Ficha Técnica:

Lançamento: 20/10/23
Desenvolvedora: Insomniac Games
Distribuidora: Sony Interactive Entertainment
Plataformas: PS5

Imagem de Zet Zillions

Review – Zet Zillions

Marco AntônioMarco Antônio23/05/2024
Terra Memoria

Review – Terra Memoria

Vinícios DuarteVinícios Duarte21/05/2024