Skip to main content

Halo 3 ODST é o primeiro jogo da franquia nos moldes do original que não conta com a presença de Master Chief. O foco aqui é voltado para os ODSTs, em especifico um grupo mandado para proteger a maior cidade da Terra, New Mombasa, que está sendo atacada pelos Covenants. Na pele do protagonista, chamado apenas de rookie (novato), você e seu time são rapidamente separados quando um acidente ocorre em seu trajeto ao planeta. Ao acordar, seis horas se passaram desde o lançamento; já é noite e tudo que você encontra à sua volta é uma cidade destruída e deserta, sem a menor ideia de qual foi o destino de seus companheiros.

Inicialmente você terá apenas o controle do soldado sem nome, explorando a cidade em busca de artefatos deixados pelos outros membros de seu time. Você é relativamente livre em New Mombasa, não havendo uma ordem específica na qual esses itens devem ser recuperados. Uma vez que um deles é encontrado, você terá acesso a eventos passados, como se estivessem sendo mostrados a você através de gravações das câmeras de segurança do local. Durante esses flashbacks você tomará o controle de um dos outros ODSTs, mostrando como foi a chegada de cada um deles à Terra e de como foram suas aventuras subsequentes. Aqui, diferente dos momentos de exploração da cidade, você terá uma sensação bastante familiar caso já tenha jogado outros jogos da série principal de Halo.

A ação é a mesma, assim como a maioria das armas e dos inimigos. Nem mesmo o fato de você estar controlando um ODST, soldados que não possuem as habilidades sobre-humanas dos Spartans, muda muita coisa. A única grande diferença é sua barra de vida; ela volta a ser como no primeiro Halo, no sentido em que você tem uma energia que regenera (chamada aqui de Stamina) e, uma vez que ela estiver vazia, você começará a perder seu HP. Caso este chegue a zero você morrerá, e a única maneira de recuperá-lo é encontrando kits médicos espalhados pelas fases. Fora isso, as diferenças são bastante pequenas, como a impossibilidade de manejar duas armas ao mesmo tempo.

Review - Halo 3 ODST

As semelhanças entre ODST e seus predecessores são enormes, mas isso é compreensível: ele não é um novo episódio na série, mas sim uma espécie de expansão. E essa similaridade não é de maneira nenhuma algo ruim. Como dito anteriormente, você encontrará aqui a mesma qualidade inegável existente em Halo 3, em batalhas cheias de ação, armas diversas, boa cadência entre momentos a pé e momentos de veículos, jogabilidade extremamente polida e satisfatória, entre outros. Isso é a maior força e fraqueza de ODST pois, ao mesmo tempo que você tem à sua frente um produto de ótima qualidade, ele certamente não oferecerá grandes surpresas.

A única hora em que o jogo poderá surpreendê-lo um pouco é quando o rookie, o novato dos ODSTs, estiver em seu controle. Esses momentos são de absoluta solidão e desolação. A sensação é de que não há mais nada vivo na cidade de New Mombasa além de você. Não bastasse a escuridão plena e a destruição que pode ser vista por todo lugar, a trilha sonora que acompanha esses momentos ajuda enormemente a dar mais força ao clima, fazendo com que você possa entender como o soldado está se sentindo. E isso é um grande feito pois, diferente dos Halos anteriores, o novato é um herói mudo, que não expressa o que está pensando ou sentindo.

Enquanto isso pode parecer um pouco estranho, a decisão de mantê-lo silencioso combina bastante com o personagem que nos está sendo apresentado e com a atmosfera desses momentos. Quando acordamos temos uma sensação de completa impotência; fomos mandados para proteger a cidade, mas quando entramos em ação não existe nada mais a ser protegido, não sabemos sequer se nossos companheiros ainda estão vivos. Não resta muito ação a ser feita, você é apenas um silencioso espectador.

Review - Halo 3 ODST

Apesar deste clima inédito na franquia, não espere por nenhuma história com as proporções do melodrama épico de Master Chief. A trama de ODST pode ser vista, no máximo, como um adendo, mas é suficiente para fazer com que você sinta que existe uma razão motivando suas ações. Além disso, existem algumas gravações a serem coletadas, espalhadas pela cidade. Elas trazem mais informação sobre o momento em que os Covenants chegaram à New Mobasa, assim como explica a natureza do Superintendent, uma espécie de IA que comanda uma série de funções dentro da cidade. É um toque interessante, e ele promove uma profundidade um pouco maior à história de ODST. Porém isso não muda o fato de que seu escopo é muito menor do que o visto previamente nos outros jogos Halo.

Além da aventura solo, ODST traz um novo modo chamado Firefight. Ele é uma espécie de Survival para até quatro jogadores. Basicamente você deve sobreviver às constantes ondas de inimigos que aparecem periodicamente, com uma dificuldade que aumenta de maneira progressiva. A peculiaridade está no fato de que você e seus companheiros compartilham as mesmas vidas, o que significa que caso apenas um morra constantemente, as chances de vitória do grupo inteiro diminuirão. Por causa disso você estará sempre procurando proteger os outros jogadores ao mesmo tempo que eles o protegem. É um modo bastante divertido e viciante, que pode consumir mais algumas horas de sua vida após o término da campanha principal.

ODST também vem acompanhado de um DVD à parte, que traz todo o multiplayer presente em Halo 3. Aqui você encontrará todas as expansões previamente lançadas, além de três novos mapas. Este modo ainda é extremamente popular e você não terá dificuldades em encontrar partidas cheias de jogadores. Ainda assim, isto não deixa de ser uma inclusão um tanto estranha, afinal é bastante provável que a maiorias dos que têm interesse por ODST são os mesmos que jogaram Halo 3, e possivelmente já possuem a maioria das expansões lançadas para o jogo.

Review - Halo 3 ODST

Apesar disso, ODST é ainda um pacote excelente. Ele pode ter sido apresentado apenas como uma expansão, mas o fato é que há aqui conteúdo suficiente para que ele seja visto como um jogo completo, mesmo que desconsideremos o multiplayer reciclado de Halo 3. A campanha dura cerca de 7 horas quando jogada em Heroic, a dificuldade descrita pelo jogo como “a verdadeira maneira se de jogar Halo”.

O modo Firefight é bem feito e interessante, podendo facilmente prendê-lo por mais diversas horas. Além disso, existe aqui um bom valor de replay, com a possibilidade de se jogar toda a aventura solo com até quatro jogadores, além dos crânios que modificam a dificuldade, oferecendo ainda maior variedade. Que fique claro que não existem surpresas a serem encontradas. No entanto, aqueles que buscam por uma aventura com a mesma qualidade das previamente entregues pela Bungie, se deleitarão com o que ODST tem a oferecer.

Imagem do texto de RKGK

Review – RKGK / Rakugaki

Marco AntônioMarco Antônio10/06/2024

Review – Blockbuster Inc.

Paulo AlmeidaPaulo Almeida04/06/2024