Skip to main content

Fate/Samurai Remnant chega em setembro pela Koei Tecmo como uma história totalmente nova para a franquia criada pela TYPE-MOON e se apresenta como boa porta de entrada para os curiosos conhecerem as fantásticas Holy Grail War.

De tirar o fôlego, com história e gameplay frenéticos, este jogo funciona tanto como um maravilhoso anime quanto para quem busca um excelente RPG de ação, que com certeza deve entrar para a lista de melhores jogos do ano.

A tua vontade desaparecerá

Se você nunca entendeu como a série Fate funciona, Fate/Samurai Remnant pode ser o começo perfeito para você, pois ele possui uma estrutura de spin-off e funciona perfeitamente como história isolada da série, que conquistou o mundo com a adaptação para anime de Fate/Stay Night.

Fate/Samurai Remnant
Iori e Saber oferecem uma excelente construção narrativa

Viajamos no tempo para o quarto ano da Era Keian, do Período Edo, e descobrimos que uma nova Holy Grail War está para começar, mas dessa vez ela é chamada de Waxing Moon Ritual (Ritual da Lua Crescente) e que concederá um desejo ao guerreiro que sobreviver à batalha entre sete pares de Masters e Servants.

No papel de Miyamoto Iori, um jovem samurai que vive em Asakusa, descobrimos que somos um dos Mestres após o ataque inesperado de Yui Shosetsu e seu Espírito Heróico, um Servo da classe Cavaleiro (Rider). Com essa sequência inicial, nosso protagonista descobre possuir uma marca vermelha em sua mão conhecida como Reiju, chamado de Command Seal, capaz de invocar uma Saber.

A partir de então embarcamos numa jornada conhecendo os sete Mestres e seus Servos, além de outros Espíritos Heróicos que vão contribuir na construção da jornada de Iori, aprendendo mais sobre essa guerra secreta e como sobreviver a ela. Numa aventura com mais de 50 horas e muita atividade para ser feita, seja com mini-games, side quest e até mesmo conteúdo focado nos demais personagens, Fate/Samurai Remnant é um RPG de Ação maravilhoso!

Fate/Samurai Remnant
A história possui diálogos interessantes e muitos cliffhangers

Divididos por capítulos (bem longos), conhecemos mais sobre a história do Waxing Moon Ritual, as motivações de Iori e os mistérios por trás do verdadeiro nome da Saber, que por sinal acaba sendo um grande ponto tensão sempre que um Espírito Heróico surge ou revela, inclusive com o nome ligado à Miyamoto Musashi, o falecido mestre de Iori.

O mais interessante na construção narrativa é a carga dramática que ela proporciona, com diversos momentos muito tensos e com plot twist bem colocados, quase que numa estrutura serializada de episódios que terminam sempre com um cliffhanger muito interessante.

Todo desenvolvimento e entrosamento dos personagens, sejam entre parceiros ou adversários, surge como complemento fundamental para movimentar a história e escala de maneira épica, seja no relacionamento ou adversidade. Acompanhar o crescimento de Iori e Saber, vendo a conquista de confiança entre eles, além dos laços desenvolvidos com outros personagens é muito bem trabalhado.

Fate/Samurai Remnant
Assim como a história, o combate é ágil e frenético

Mesmo com apoio de um glossário imenso, inclusive para terminologias utilizadas durante a história, os desenvolvedores não economizaram nos conceitos e mitologia, muitas vezes exigindo que você invista na leitura do conteúdo para entender melhor certos pontos da história. Não que seja um ponto negativo, até mesmo por acompanhar a cadência frenética do jogo, mas vai exigir a atenção e dedicação do jogador.

Diferente de qualquer “anime de lutinha”, Fate/Samurai Remnant é perfeito por equilibrar uma história interessantíssima com momentos intensos e boas doses de ação. Tudo isso com gameplay fácil, muito conteúdo para ser jogado e coletado, além da busca por níveis cada vez maiores de poder, com certeza a Koei Tecmo acertou muito nesse lançamento e a nova adição à série Fate.

Um momento de felicidade

Os desenvolvedores trabalharam num RPG com muita ação e um “quê” de musou, pois ao longo da história e diversas localidades, que por sinal são belíssimas e muito bem preenchidas com pontos de interesse, NPCs e “vida urbana”, entramos em arenas de combate para enfrentarmos ordas de inimigos, humanos ou monstros, ou os próprios Mestres, Servos e até mesmo os Rogue Servants, aqueles servos sem conexão com algum mestre.

Fate/Samurai Remnant
A animação dos personagens e seus golpes são espetaculares

Na porradaria frenética, você controlará Iori e contará com quatro estilos de golpes, chamados de instância e ligados aos elementos naturais. Com ataque normal e forte, além do dash, você poderá realizar combos e utilizar seu especial. Acompanhando o protagonista temos Saber, a serva que acompanhará por toda a história, além de conquistarmos a amizade com outros Espíritos Heróicos.

Durante o combate você poderá utilizar as habilidades especiais tanto de Iori quanto da Saber, disponíveis respectivamente em menus rápidos através do L1 e R1. Quando a barra de conexão estiver preenchida, você poderá apertar os dois botões juntos para controlar a Saber por um breve período.

É muito fácil e rápido alternar entre as instâncias elementais, executar suas habilidades e trocar de lugar com até dois servos (escolhidos previamente e antes das lutas), sem contar os ataques especiais, que podem ser executados com apenas um botão quando a barra estiver cheia e brilhando, alterando drasticamente o rumo da luta e mostrando uma belíssima sequência animada.

Fate/Samurai Remnant
Saber e sua técnica secreta capaz de destruir Edo

Com árvore de habilidades para todos os personagens jogáveis, você poderá melhorar Iori, Saber e os demais Servants, sempre com foco no upgrade de ataque, defesa, técnica e magia, além de desbloquear novas habilidades.

Quanto mais progredimos nas Crônicas Lunares, como o modo história refere-se aos capítulos, melhor ficará o seu Memento Ring, fazendo a conexão entre Iori e Saber crescer, para que a árvore do seu Espírito Heróico tenha novos caminhos para desbloquear.

Essa progressão, diretamente ligada ao desenvolvimento do relacionamento entre os dois protagonistas, também vai permitir a execução dos Link Strikes, que são golpes aleatórios e realizados pela dupla durante o combate.

Fate/Samurai Remnant
Liberdade poética para a fantasia brincar com a realidade

Fate/Samurai Remnant oferece também diversos estilos de combate para você testar e utilizar, não apenas por cada instância de Iori apresentar golpes diferenciados, mas por conta dos momentos em que podemos jogar com Saber e outros Rogue Servants como, por exemplo, o Archer e seus ataques à distância, Lancer com seus golpes ferozes de lança e a Rider, que surge como opção de suporte para a luta.

Vale investir tempo para experimentar todos eles, se adaptando à dificuldade do jogo e o desafio que precisa enfrentar, pois é muito divertido e fácil jogar com todos os personagens.

A busca por aliados para vencer esta guerra

Ao longo do jogo vamos conhecer o Crimson Codex, um livro vermelho voador que acompanha nossos protagonistas, você terá na residência de Iori opções para desbloquear habilidades passivas, além de uma coleção coleção de imagens e duas atividades: cuidar da sua katana, que condiciona alguns buffs temporários como, por exemplo, aumento no ganho de experiência, além de esculpir estátuas de madeira, que estão ligadas às missões e status de Iori.

Fate/Samurai Remnant
Leyline Connection e seu “mini game” estilo tabuleiro

O velho livro de voz rouca também nos ensinará conectar à Leyline, que basicamente são linhas de energia existentes em nosso planeta. Através dela conheceremos as conexões entre as Fontes Espirituais existentes por Edo e como precisaremos conquistá-las sempre que precisarmos nos mover para alguma nova localidade no mapa ou ameaça feita por algum outro Mestre e seu Servo.

Quase como um jogo de tabuleiro, precisamos chegar ao nosso destino ganhando “casas” pelo mapa e enfrentando os inimigos. No fim do trajeto, inclusive contando com o apoio dos Rogue Servants que temos aliança, toda essa energia acaba sendo revertida para Iori como melhoria em sua técnica e mágica. Uma forma divertida de inovar na maneira como utilizamos o deslocamento rápido através do mapa, que por sinal possui uma ilustração belíssima em estilo Ukiyo-e.

Já que estamos falando em beleza, Fate/Samurai Remnant esbanja estilo artístico e beleza, com todo o jogo animado num estilo que lembra cel shading com um 3D bem feito e detalhista. O design dos personagens são incríveis, a construção dos cenários é belíssima e o cuidado em inserir ilustrações para os diálogos, todos eles dublados em japonês (por favor, não jogue esse tipo de jogo em inglês), remete ao shodo, estilo de escrita japonesa com pincel e nankin.

Fate/Samurai Remnant
As artes e ilustrações de Fate/Samurai Remnante são belíssimas

Para você apreciar toda essa beleza e conteúdo, o jogo deixa você livre para percorrer os cenários e investir nos personagens jogáveis como desejar. Por mais que a história seja linear e exista apenas o modo campanha, com as Lunar Chronicles, você terá as Digressions, que são atividades paralelas e ligadas aos demais Servants.

Complementando o conteúdo principal, algumas cidades tem Comissions, disponíveis como atividades para serem realizadas e com recompensas coletáveis diretamente com alguns personagens, além das tarefas de cada cidade para incentivar a exploração de cada localidade em Edo.

Acompanhando o excelente trabalho visual, que fica ainda mais impressionante no PS5 e sem queda na taxa de quadros, a trilha sonora faz seu show para completar tudo o que eu já comentei, pontuando muito bem o sentimento que a história apresenta e os momentos construídos, desde os mais dramáticos e tensos aos felizes e fofinhos. A música de abertura, incluindo a animação, é muito boa e a dublagem do jogo também é maravilhosa, com artistas que realmente dão vida aos personagens.

Fate/Samurai Remnant
A cada novo cenário um espetáculo visual em 4K

Fate/Samurai Remnante é um jogo perfeito e muito completo em tudo que oferece, seja das experiências que ele é capaz de criar ao estilo de gameplay preciso e fácil. O trabalho da Type-Moon Studio foi primoroso e termos um título que, ao mesmo tempo em que se apresenta como porta de entrada para a série Fate, consegue entregar um dos melhores RPGs de 2023.

100%


Prós:

🔺 Personagens carismáticos e muito bonitos
🔺 Jogo com história interessante e boa construção narrativa
🔺 Visual e trilha sonora são simplesmente incríveis
🔺 Gameplay simples e com controles fáceis
🔺 Muitas horas e bastante conteúdo para ser jogado
🔺 Uma excelente porta de entrada para a série Fate

Ficha Técnica:

Lançamento: 28/09/23
Desenvolvedora: Type-Moon Studio BB
Distribuidora: Koei Tecmo
Plataformas: PS4, PS5, PC, Switch
Testado no: PS5

Imagem de The Thaumaturge

Review – The Thaumaturge

Marco AntônioMarco Antônio04/03/2024

Review – Top Racer Collection

Rafael NeryRafael Nery04/03/2024