Skip to main content

Ever Forward te leva para uma aventura entre os fragmentos de memórias de Maya, uma garotinha que surge em uma belíssima praia com paisagens dignas de um sonho maravilhoso. Mas esse ambiente convidativo também reserva lugares sombrios que causam dúvidas sobre esta realidade. Ao se aproximar destes locais, Maya é transportada para cantos ainda mais confusos que, no entanto, parecem resgatar suas lembranças. Para descobrir os significados destas recordações, só resta verificar cada um destes fragmentos.

Desenvolvido pela Pathea Games, esse belo jogo indie está repleto de aventuras e requer muitas estratégias, pois seu ponto forte são os quebra-cabeças. Concluir os desafios vai liberar não apenas novas fases mas também os resquícios de lembranças que ajudam a entender o que se passa com essa garotinha. Esteja preparado para criar estratégias e usar sua criatividade enquanto guia Maya por puzzles cada vez mais elaborados a fim de resgatar e entender suas memórias.

Um doce sonho ou um belo pesadelo

A trama de Ever Forward é bastante misteriosa e apresentada de forma sutil. Mesmo revivendo as lembranças de Maya com diálogos contendo legendas em português, a compreensão pode ser um tanto demorada até esses resquícios ganharem algum sentido. Depois de um certo tempo, você começa a captar o que se passa nesta história e pode acabar se surpreendendo com o seu desenrolar. A parte legal é que até isso acontecer, você terá vários quebra-cabeças bem produzidos para solucionar.

Imagem do jogo Ever Forward
Os campos de Ever Forward são realmente bem bonitos.

O jogo se divide em três momentos e todos eles parecem um sonho: a linda e colorida praia paradisíaca serve como um seletor de fases, onde você deve explorar e encontrar as áreas sombrias. Já nos locais de aspecto fragmentado, você será transportado para níveis acinzentados e geométricos onde terá que solucionar os mais variados puzzles, que geralmente envolvem coletar um cubo e levá-lo ao ponto indicado. Parece simples, mas o design propõe desafios que logo te farão pensar e repensar em estratégias para avançar.

O terceiro momento são as pequenas e instigantes cenas liberadas após a solução de alguns puzzles, elas são bastante simples visualmente e infelizmente não possuem a beleza que há na praia ou nas fases geométricas. Desde o início da aventura, propositalmente, o jogo aproveita-se do contexto para oferecer trechos de lembranças com pontas abertas para permitir que você crie suas próprias teorias sobre o que de fato esteja acontecendo. Só depois de um tempo é possível juntar tais fragmentos e ter a real compreensão desta história.

Imagem do jogo Ever Forward
Aparentemente ela não lembra das cores deste lugar.

A praia e as lembranças são os momentos mais tranquilos e às vezes até emocionantes de Ever Forward. Enquanto isso, as fases podem te prender em alguns puzzles realmente difíceis. Por mais que os desafios sejam simples no início, como atravessar do ponto A ao B sem ser visto por um Roundy-bot (um tipo de robô vigia), em pouco tempo as coisas vão ficando mais complicadas com mais objetos para interagir e obstáculos para superar, devendo usar um cubo para acionar botões, chamar atenção das máquinas e ainda levá-lo até seu destino.

Todos os puzzles foram bem construídos e causam até uma pequena sensação de estar em um novo tipo de Portal (aquele famoso jogo da Valve). Os desafios podem ter vários meios de serem solucionados. O único problema é que, uma vez resolvido, você acaba decorando os passos do quebra-cabeça e não vai querer tentar de outra maneira, a não ser que haja motivos para isso, o que não é o caso. O jogo poderia ter outros modos, como por exemplo puzzles por tempo, assim seria possível superar recordes e desafiar os amigos após concluir a campanha, o que poderia ampliar o replay da jogatina.

Imagem do jogo Ever Forward
Ué, o que aconteceu com a praia?

No prólogo de Ever Forward (que tem prévia gratuita na Steam), os desafios são ligeiramente fáceis. Um ou outro pode ser um pouco mais complicado, mas certamente você não terá muitas dificuldades em concluir esse início e isso pode causar uma impressão de que o jogo é inteiramente fácil. Mas nos níveis a seguir, os puzzles são mais elaborados e de maior extensão, sendo tão criativos que vão te deixar instigado a solucioná-los independente do andar da narrativa.

Resgatando suas memórias

Às vezes, a solução pode ser bem mais simples do que você imagina, como saltar enquanto está protegido só para chamar a atenção do robô para então realizar uma ação pelas costas dele. Há outros elementos interessantes que compõem esses desafios, como plataformas móveis, portais de teletransporte, botões e muitos outros. Eles funcionam bem e devem ser combinados com a sua criatividade e a lógica na hora certa para superar todos os puzzles.

Imagem do jogo Ever Forward
Vamos, CPQ! Esquece aquele puzzle.

Mas se um quebra-cabeça estiver muito difícil, você pode ignorá-lo por um tempo e usar seu fiel companheiro, um carismático robô quadrado, para voar pelo nível até o próximo desafio. Há a possibilidade de pedir dicas caso você tenha coletado algumas flores brancas na praia, porém durante todo o teste, mesmo acionando essa opção seguidas vezes, não ficou claro como é que ela funciona.

As memórias fragmentadas de Maya também causaram pequenos problemas para Ever Forward. Durante o período de testes, por exemplo, ocorriam erros como: a falta de cutscenes, problemas de colisão, remoção de eventos vistos nos trailers e até na versão gratuita do prólogo. Felizmente o jogo foi atualizado diversas vezes corrigindo essas muitas outras coisas importantes deixando essa experiência mais fluida e satisfatória. Ainda ocorrem algumas falhas no carregamento das fases mas, isso não impede a diversão.

Imagem do jogo Ever Forward
O objetivo é levar o cubo até aquele feixe vermelho.

A julgar pelo comprometimento dos desenvolvedores em informar e atualizar Ever Forward com frequência, certamente não vai demorar para que outras melhorias sejam implementadas para deixar essa jogatina cada vez melhor. Além disso, também podemos esperar novos quebra-cabeças e versões para console no futuro.

No fim, Ever Forward é um jogo bonito e interessante por possuir puzzles que são, sem dúvidas, muito bons, nos mantendo instigados a finalmente descobrir o que se passa em sua narrativa. São essas características me fazem recomendá-lo a todos que curtem este gênero, ainda que algumas mecânicas não sejam tão claras mas, se você gosta de quebra-cabeças que te fazem pensar e repensar em suas soluções, então dê uma chance para a realidade particular da pequena Maya.

Imagem do texto de RKGK

Review – RKGK / Rakugaki

Marco AntônioMarco Antônio10/06/2024

Review – Blockbuster Inc.

Paulo AlmeidaPaulo Almeida04/06/2024