Skip to main content

Seja a pé, a cavalo ou em máquinas movidas a motores de explosão ou elétricos, a humanidade sempre amou a empolgação de ver competições de alta velocidade. Mas nada consegue superar a sensação de guiar um automóvel no mais traiçoeiro e volátil local existente: a natureza. Esse é o objetivo principal de Dirt Rally 2.0, onde o que importa é a habilidade do piloto em confrontar a instabilidade da natureza.

Trazendo um sistema de direção realista e a habilidade de configurar partes essenciais para corridas, o jogo promete uma experiência imersiva no mundo do rally. Dirt Rally 2.0 foca em corridas nos estilos de rallycross – circuitos fechados – e em corridas de velocidade – onde o objetivo é se manter dentro de um tempo “X” em determinados trechos. Com isso em mente, é hora de sujar a carroceria.

Nada como a sensação de velocidade

Dirt Rally 2.0 investe fortemente em uma premissa de corridas regulamentadas, por isso nada de cortar caminho ou acelerar como um maníaco. Aqui o que conta é a habilidade. Trazendo percursos em autódromos de Cross Rally e trechos de estrada de terra ao redor do mundo, o jogo aplica as regras das corridas de rallycross e de velocidade aos jogadores. Claro que falando assim, tudo parece muito técnico e chato, mas a diversão está no desafio de controlar as máquinas e não sair voando pelos barrancos.

Veículos clássicos como esse Lancia Delta S4 são verdadeiros demônios da velocidade.

Por viver em uma cidade pequena em uma região montanhosa, posso dizer que já possuo um certo conhecimento de como preparar e pilotar um carro nesse tipo de terreno, por isso encarei o desafio. Poder alterar a cambagem das rodas, alternar a força de frenagem das rodas, abrir ou fechar o sistema hidráulico de direção é algo que torna o jogo bem diverso, tornando cada jogatina diferente e pode até mesmo criar uns desafios malucos para competir com os amigos, como pilotar um carro que desliza como louco, ou tentar fazer uma derrapada com um carro que parece um tijolo de duro ao deslizar pelas pistas.

O jogo é bem simples na realidade. Após criar seu perfil, o jogador pode escolher o modo história, onde irá percorrer grandes modalidades da história do esporte, indo desde o rally clássico de velocidade até chegar nos estilos atuais. O jogador também pode criar eventos únicos onde pode definir suas próprias regras, número de circuitos, número de voltas, horário e clima. Seja nos trechos de terra ou nos autódromos, o que vale é ver poeira e lama voar para todos os lados.

Após ter escolhido o estilo de jogo, o jogador será levado à garagem, onde é possível acessar uma variedade de opções antes da corrida. Assim, o jogador pode configurar a suspensão e sistema de frenagem do automóvel, trocar os pneus, escolher quantos estepes quer levar para poder balancear o peso do carro, efetuar reparos, fazer uma volta de teste ou simplesmente começar a corrida. Porém tudo deve ser analisado e feito analisando os diversos pontos de vista, afinal de contas, em uma competição de alta velocidade o imprevisto é corriqueiro.

Avisa a galera do Gamerview que eu não vou trabalhar, porque capotei o Kadett.

O sistema de tuning de Dirt Rally 2.0 tenta ser preciso ao máximo, trazendo uma grande profundidade ao sistema de corrida. Nele, o jogador poderá alterar a convergência e cambagem das rodas dianteiras e traseiras, decidir a força do sistema de freios, alterar a inclinação da carroceria, tempo entre marchas e força dos amortecedores e molas. Entretanto, para que o jogador possa utilizar isso, é recomendável que o mesmo tenha um conhecimento do que se está fazendo, pois caso erre nas configurações o carro pode ficar extremamente instável.

Acredite: instabilidade é o maior pesadelo em um game como este. Um carro que não consegue se manter em linha reta ou realizar uma curva, pode – e irá – resultar em desastre. Ambos os sistemas de competição são baseados em tempo, por isso qualquer erro, por menor que seja, pode ser a diferença entre primeiro e último lugar. Por isso, pesquise um pouco e utilize as voltas de treino e shakedowns para poder testar as configurações do carro.

Querer mandar um Tokyo Drift eu quero, mas a questão é se devo.

Agora para explicar os sistemas de competições de Dirt Rally 2.0. Nas provas de velocidade, o jogador irá percorrer percursos em estradas de terra, começando na largada e passando por pontos de controle, onde o tempo será cronometrado e comparado com os oponentes. Tendo em vista que são diversas baterias em percursos off-road diferentes, onde se utilizam carros como os Ladas, Escorts, Kadetts, K.As, Fiestas, acabam sendo mais provas de habilidade e resistência. Por isso a questão da habilidade e conhecimento de pilotagem, um erro de frenagem ou de aceleração pode resultar em uma batida desastrosa.

Como tempo é a questão, é necessário seguir à risca as instruções do copiloto. O que pode ser um problema para alguns brasileiros, afinal de contas o sistema utiliza as normas internacionais do rally e o jogo não possui localização de idioma fora os menus. Os códigos são razoavelmente literais e consegue-se ter uma ideia, mas ainda assim é necessário um pouco de pesquisa. Outro desafio é a questão do controle, já que como a competição se estende por dias, não é sempre que se vai poder realizar reparos no carro, por isso evitar batidas desnecessárias é a chave para um evento vencedor. Fora que toda vez que o jogador tem de voltar à pista, uma penalidade de quatro segundos no tempo final é adicionada. Não parece muito, mas acredite, é até demais.

Como jogar com o Vin Diesel: Gugou pesquisar.

Agora nas competições de Rallycross, as corridas são divididas em segmentos através de baterias até o evento final, mas se você acha que o fato de ser um autódromo que mescla asfalto e off-road vai te salvar, pode esperar sentado. As corridas de rallycross funcionam de maneira mesclada: parte do terreno é composto de segmentos off-road e parte é asfaltada, mas essa mistura provoca derrapagens absurdas e a troca de terrenos faz com que o carro mude seu comportamento, por isso mais uma vez é fácil se descuidar. Além do mais, a configuração do automóvel tem que ser muito bem trabalhada, um carro 100% off-road não irá funcionar aqui, e vice e versa.

Outro fator agravante aqui é a volta coringa, uma volta com apêndice que a torna mais longa que o normal. Ela deve ser realizada uma vez em toda corrida, caso contrário haverá uma penalidade de tempo. Outro ponto importante de se frisar é que, tanto na corrida de velocidade quanto na de rallycross, queimar a largada é a ultima coisa que o jogador vai querer fazer. Uma vez que a corrida começar, será pedido para que se segure o freio de mão, justamente para se evitar a queimada de largada. Caso ocorra, em eventos de velocidade uma penalidade de tempo irá ocorrer, já em eventos de rallycross a corrida irá recomeçar e o jogador terá de fazer duas voltas coringas. Cortar curvas pelo mato no rallycross também acarretará em penalidades de tempo.

Olha o passo do Skuda verdinho.

Após correr pelas mais diversas pistas e completar o modo história, o jogador poderá ingressar no modo online, seja quebrando o tempo de outros jogadores ou competindo em corridas de rallycross. Com um sistema de matchmaking bem simples, o jogo irá reunir uma grande gama de jogadores fervorosos pelo esporte, tendo em vista que é um game de nicho, mas isso não impede que até mesmo um amador consiga se destacar entre os rankings de melhores do mundo. O importante é amar a velocidade e tratar bem seu veículo.

Também existe a copa de rally da FIA, trazendo apenas o melhor do mundo da WRC. Nela, os jogadores irão encarar apenas os maiores e mais altos desafios, em busca de um lugar no pódio, seja atravessando as montanhas, os prados ou derrapando em pistas de asfalto e terra. Não há espaço para erros e as chances de recuperação serão escassas, por isso afie seus instintos, regule sua embreagem e freios e se aproxime do holofote do mundo das corridas de rally profissional.

Já dizia James Hetfield: Gimme fuel, gimme fire, gimme a double charizard!

Eu vou querer aquele vermelhinho ali ó!

O sistema de corrida livre permite que o jogador tenha acesso a uma gama de automóveis não disponíveis no modo história. Para isso, o jogador irá adquirir créditos após boas colocações nas corridas, estes que podem ser utilizados tanto para a compra de carros quanto membros da equipe, que também podem evoluir em troca de créditos. Uma equipe bem evoluída pode facilitar e muito os reparos necessários em caso de acidentes e até mesmo na hora de configurar o automóvel.

Nas parte sonora, Dirt Rally 2.0 traz uma sonoplastia incrivelmente detalhada. O jogo permite que alguém acostumado com reparos ou até mesmo com problemas automotivos consiga ouvir problemas que podem surgir após colisões. Como no caso de bater uma parte do carro em um barranco, dependendo da força do impacto, pode se ouvir o ranger do metal e de buchas estouradas, indicando a necessidade de uma pausa para reparos no próximo intervalo da garagem.

Fita isolante nele.

Na parte visual, os modelos dos automóveis são muito fiéis e o interior é extremamente bem detalhado. Nos carros de rallycross nem tanto, mas em carros mais clássicos é possível ver que o ditado de “o diabo está nos detalhes” foi levado a série pela equipe da Codemaster. Os locais também são belamente recriados: Barcelona, Montalegre, Mettet, Lohéac Bretagne, Trois-Rivieres são apenas alguns dos lindos lugares aonde os jogadores irão para acelerar suas máquinas.

Claro que o jogo possui seus problemas. Sendo um jogo de nicho, aqueles acostumados a jogos como Need For Speed, Burnout e até mesmo Forza podem achá-lo exigente e confuso no começo. O jogo também em alguns momentos aplica penalidades sem motivos, porém isso deve ser solucionado em breve com patchs. Também acredito que a falta de dublagem e até mesmo legendas em português restrinja bastante o público final do jogo, assim como a falta de um manual que explique os códigos utilizados pelo copiloto, atrapalhando o entendimento e aproveitamento do jogo.

Nada como acelerar durante a fria noite italiana.

Dirt Rally 2.0 não é um jogo casual, daqueles que você pode colocar e tirar uma corridinha apenas por lazer. É um jogo que exige prática e estudo por parte do jogador, mas em troca oferece uma experiência mais completa e prazerosa de direção. Ao impor regras e uma física mais real, ainda faz com que o jogador adquira conhecimento e habilidades que podem ser utilizadas no dia a dia. Afinal de contas, até eu aprendi com o primeiro jogo que rally e quatro caras em uma Palio Adventure 99 rasgando uma estrada de terra são coisas bem diferentes.

Review – Top Racer Collection

Rafael NeryRafael Nery04/03/2024

Review – Ruff Ghanor

Rafael NeryRafael Nery27/02/2024