Skip to main content

Vamos ser sinceros aqui: você provavelmente só conhece o Detective Pikachu por causa do filme lançado em 2019, não é mesmo? Por incrível que pareça, esse longa conseguiu ser divertido e ainda trazer uma visão totalmente nova do universo Pokémon, com monstros realistas em live-action. Contudo, é fato que pouquíssimos tiveram a oportunidade de jogar o game que inspirou o filme, lançado para o 3DS em 2018.

O primeiro Detective Pikachu passou batido por uma série de motivos, mas acredito que os principais se dão pela sua péssima janela de lançamento e pela proposta extremamente nichada. Lançado originalmente em 2016 no Japão, o jogo demorou dois anos para chegar ao ocidente, tendo o azar de ser lançado bem no finalzinho da vida útil do 3DS – quando o Switch já completava seu primeiro aniversário. Ainda assim, isso não foi o suficiente para impedir uma sequência.

“A bolt of brilliance!”

Detective Pikachu Returns é uma sequência direta do anterior e tem início dois anos após os eventos do primeiro. Se você não jogou, não se preocupe, pois o enredo do filme possui todos os pontos principais do jogo. Isso significa que você pode partir para o segundo apenas assistindo ao filme – e vai por mim, é muito melhor do que jogar. A única diferença é que, no game, Tim Goodman acaba não encontrando seu pai no final, o que nos leva aos acontecimentos deste aqui.

Detective Pikachu
O grande Detective Pikachu está de volta e mais feio do que nunca!

O game faz jus ao termo continuação, sendo uma expansão bem fiel ao original. A proposta ainda é a mesma: temos aqui um adventure point and click onde seu objetivo é controlar Tim e seu leal parceiro Detective Pikachu, um pokémon falante viciado em café. Juntos, eles devem desvendar uma série de casos ao explorar diversos lugares, interrogar pessoas e pokémon, coletar pistas e deduzir teorias a partir de tudo aquilo que foi encontrado.

O jogo continua sendo basicamente o mesmo, porém com a adição de algumas coisinhas que o tornam minimamente mais interessante. A primeira são as sidequests, missões paralelas que encontraremos em todos os capítulos e, no geral, servem apenas para estender o tempo de jogo, pois não existe recompensa alguma em fazê-las. A segunda é uma adição mais legal: em alguns momentos, podemos controlar o Pikachu ou outros pokémon para encontrar pistas e avançar nos casos. É simples, porém ajuda a sair da rotina.

Apenas Pikachu consegue entender o que os pokémon falam

Para pequenos Sherlocks

Detective Pikachu Returns ainda é um jogo sobre investigação, mas o público-alvo aqui fica muito bem definido desde o princípio. Este é um título que foca pesado nas crianças, então se você tem mais de 12 anos de idade, provavelmente achará o game bastante chato. Todo o trabalho de detetive proposto aqui é simples e, por diversas vezes, óbvio demais. A proposta é apenas divertir com diálogos leves e, de quebra, ainda expandir o universo de Pokémon.

A jogabilidade é extremamente simples e qualquer um consegue jogá-lo sem grandes problemas, mas a Nintendo errou feio ao não localizar este jogo. Lançar um título para crianças, repleto de textos e diálogos, sem a opção de jogar em português acaba sendo um tiro no pé. Outro grande problema aqui são os gráficos: Detective Pikachu Returns é muito feio! A sensação é de estar jogando uma versão remasterizada de um game muito velho, o que acaba sendo inadmissível. Todos nós sabemos que o Switch aguenta mais que isso.

Controlar outros pokémon é a melhor parte do jogo

Outros defeitos que se encontram na franquia Pokémon em geral também se fazem presentes aqui. A ausência de dublagem em todos os diálogos ou de cutscenes mais animadas quebram toda a imersão que o game tenta construir, mesmo que ele se esforce em parecer mais com um desenho animado. É fato que esses detalhes viram questões mais irrelevantes perto da falta de capricho dos gráficos, mas ainda são fatores que me incomodam cada vez mais em todo título inédito dos monstros de bolso. Por outro lado, não dá para deixar de elogiar a trilha musical, que provavelmente é a melhor coisa que Detective Pikachu Returns tem a oferecer.

Ainda acredito que essa foi uma oportunidade desperdiçada de introduzir as pessoas nesse “novo mundinho” de Pokémon. Os avanços em relação ao anterior foram mínimos e a falta de localização em pt-br vai dificultar a vida das crianças que decidirem experimentar. A aventura tem seus momentos de diversão, mas no geral, deixa a desejar.  

70 %


Prós:

🔺 História descontraída com diálogos bem leves
🔺 Excelente trilha musical
🔺 Jogar com os pokémon quebra um pouco a rotina de monotonia
🔺 Missões secundárias expandem minimamente o gameplay
🔺 Uma ótima introdução aos jogos de investigação para crianças

Contras:

🔻 Monótono demais para adultos
🔻 Evolução mínima em relação ao primeiro
🔻 Gráficos feios e completamente ultrapassados
🔻 As sidequests não nos recompensam em absolutamente nada
🔻 Falta de localização em pt-br prejudicará o aproveitamento do público infantil

Ficha Técnica:

Lançamento: 06/10/23
Desenvolvedora: Creatures
Distribuidora: Nintendo
Plataformas: Switch

Imagem de Zet Zillions

Review – Zet Zillions

Marco AntônioMarco Antônio23/05/2024
Terra Memoria

Review – Terra Memoria

Vinícios DuarteVinícios Duarte21/05/2024