Skip to main content

A Toys For Bob, responsável pelo desenvolvimento do novo Crash Team Rumble, conseguiu levar a franquia da Activision para um novo patamar de caos com uma proposta mais simples e focando na diversão ao estabelecer seu próprio formato de multiplayer competitivo.

Com fórmula simples e gameplay facilitado, a competição entre duas equipes faz com que você perca noção do tempo enquanto joga com os personagens mais icônicos do Playstation. Será que Crash Bandicoot tem potencial para entrar no cenário competitivo a ponto de justificar um lançamento com valor cheio, mesmo parecendo um jogo free to play?

It’s time to rumble!

Durante um evento online, realizado pela Activision no Brasil e com a presença da imprensa e influenciadores, tive a oportunidade de jogar muitas horas do competitivo e conferir todo o conteúdo, inclusive os que podem ser desbloqueados ao evoluir o nível do seu perfil e dos personagens. Com um pouco de nostalgia e muitas risadas, este review contém toda a experiência que Crash Team Rumble pode proporcionar.

Crash Team Rumble
3… 2… 1… Rumble!

Esqueça a luta do bem contra o mal, que conhecemos dos quatro títulos da série Crash Bandicoot, para encarar uma batalha frenética entre equipe azul e vermelha. Formadas por times de quatro jogadores, que podem ser completados automaticamente com bots, a competição tem como objetivo coletar a maior quantidade de Wumpas, aquelas frutinhas colecionáveis da franquia, disponíveis pelo cenário e retornar à sua base para pontuar ao descarregá-las.

A graça do jogo está em utilizar as características de cada personagem para atrapalhar a equipe adversária e evitar que eles coletem ou pontuem. Divididos entre estilos de jogo, com habilidades diferenciadas, temos Crash, Tawna e Catbat no grupo de Pontuadores, Dingodile, Dr. N. Brio e Dra. N. Tropy como Bloqueadores, e Coco e Dr. Neo Cortex como Suporte. No entanto, a proposta dos desenvolvedores em facilitar a jogatina permite que qualquer personagem pontue, ataque ou defenda.

Crash é veloz, Tawna mais forte e Catbat possui melhor movimentação, até mesmo voando, que podem facilitar a busca por Wumpas pelo cenário; os personagens tanques do jogo como Dingodile, N. Brio e N. Tropy são fortes para atacarem os adversários, fazendo com que sejam derrotados e percam tudo que estiverem carregando; Coco e Neo Cortex possuem um bom balanceamento como Suporte, podendo auxiliar os demais jogadores ou atrapalhar o ataque dos inimigos.

Crash Team Rumble
Será que teremos novos personagens nos próximos meses?

Acredito que a Toys For Bob ainda tenha um trabalho de balanceamento muito forte pela frente, pois Crash e Dra. N. Tropy são um tanto quanto roubados, por conta da potencia do ataque, velocidade e mobilidade. De longe a Coco se tornou minha personagem preferida, por conseguir atacar ou se movimentar com dash, além de usar a Parede Quântica, uma espécie de barreira, que dificulta a movimentação e causa dano no adversário. Em muitas partidas eu optei pela N. Tropy por conta do ataque ou até mesmo seus pulos com flutuação, facilitando a movimentação pelo cenário e conseguindo chegar até a base inimiga para evitar a pontuação do outro time.

Uma equipe que consiga realizar o combo bem executado do Giro Triplo do Crash pelo mapa, o uso da Transformação do Dr. N. Brio, seja para defender sua base ou causar confusão na base inimiga, enquanto a Dra. N. Tropy ataca os adversários com sua Pancada Gravitacional ou Combo Corpo a Corpo, tendo a Coco para defender a base com sua Parede Quântica, com certeza a vitória será certa. Essa foi uma configuração que vi acontecer diversas vezes durante o tempo em que estive em partidas online.

E como fica o cenário competitivo?

Mesmo com sua simplicidade, o jogo oferece uma boa camada de estratégia para focar em todos as habilidades existentes nos oito personagens iniciais, além das diversas mecânicas disponíveis pelo cenário. Por mais fácil que seja, Crash Team Rumble mostrou que não adianta apenas atacar os inimigos ou coletar Wumpas, se você não explorar os elementos característicos de cada fase, que podem contribuir muito na competição.

Crash Team Rumble
Cada fase possui sua própria estrutura e configuração

Dentre as oito fases que visitamos, todas possuem Relíquias para serem coletadas e utilizadas como moedas para ativar diversos poderes. Na Refinaria Enferrujada, por exemplo, você desbloqueia o Pulo Explosivo, que causa uma explosão capaz de causar dano e aumenta a velocidade na movimentação. Já no Cânion da Calamidade, você consegue ativar a Nave do Oxide, que perseguirá os inimigos para desmaterializá-los.

Os mais interessantes e que eram capaz de causar viradas surpresas nas partidas, eram o Espírito Guardião, na fase das Cavernas N. Sanity, fazendo com que os personagens ficassem gigantescos e mais fortes, além dos Dragões, que eram invocados na Chapada Surreal, para causar destruição pelo cenário.

Além das Relíquias, outro recurso que achei muito interessante são os cristais, que também eram coletáveis nos títulos do gênero plataforma, mas que aqui chegam como espaços para serem conquistados e oferecerem um impulso aumentando em até 40% a sua pontuação ao descarregas as Wumpas coletadas.

Crash Team Rumble
Muitos poderes como mecânicas que podem virar as partidas

De um a quatro cristais, você precisa pular em todos eles para que se tornem da cor do seu time e, após piscarem algumas vezes, ativem o bônus. No entanto os adversários podem “roubar” o cristal, ficando em cima dele e convertendo a cor, gerando uma pequena guerra em torno de todo o caos pelo cenário.

São diversos recursos que auxiliam na competição e deixam as partidas ainda mais frenéticas, sempre com muitas risadas reforçadas pelo carisma que todos possuem. Com muito colorido e diversos elementos, toda arena possui seu estilo próprio e muita vida, trazendo referências aos jogos clássicos e criando uma experiência imersiva muito boa.

Vale como Crash da nova geração?

Muitas empresas buscam criar seu próprio cenário competitivo, oferecendo um novo título para ser consumido como serviço (o famoso “game as a service”) e vender aquele Passe de Batalha como diferencial para os jogadores que realmente querem engajar na jogatina. Crash Team Rumble não foge dessa regra e chega ao mercado, porém como jogo pago e não sendo free to play.

Crash Team Rumble
Todo cenário possui elementos característicos e únicos

Com opções que vão de R$ 169,90 até R$ 199,90, você precisará adquirir o título para começar a jogar, sem opção de iniciar gratuitamente. Já vimos essa estratégia dar errado em jogos como, por exemplo, Knockout City (EA Games) e que teve que rever sua estratégia de negócio, encerrando as atividades após dois anos de lançamento.

Este é o único ponto negativo que o lançamento possui, afinal estamos falando de uma franquia de sucesso, com diversos jogos e muito bem estabelecida. Por parecer ter foco num público mais jovem ou até mesmo como meio de entrada para outros formatos de jogos que também oferecem multiplayer online, o valor de investimento não parece ser justo por um título que possui somente um único modo de jogo.

Mesmo com jogabilidade redonda, controles simples e precisos, fases muito bem construídas, diversos conteúdos desbloqueáveis para customizar o visual dos personagens e adicionar habilidades de combate, além da diversão e carisma, infelizmente a Activision poderia permitir o início de Crash Team Rumble sem a obrigatoriedade do investimento.

Crash Team Rumble
Só vitória com o Gamerview

No entanto, caso você seja um amante da franquia ou um viciado por competições online, este é o jogo perfeito para você. Resgate sua nostalgia e prepare-se para encarar muitas partidas rápidas, alcançando todo o conteúdo disponível e sendo muito feliz ao lado do marsupial mais famoso dos games!

Review – Another Crab’s Treasure

Renato Moura Jr.Renato Moura Jr.24/04/2024
Stellar Blade

Review – Stellar Blade

Diego CorumbaDiego Corumba24/04/2024