Skip to main content

Ao meio de drifts e explosões, Crash Bandicoot está de volta junto com os outros personagens marcantes da franquia. O remake Crash Team Racing Nitro-Fueled foi desenvolvido pela Beenox e publicado pela Activision. O game é um arrancada na nostalgia. As animações de abertura são idênticas as originais lançadas na versão de 1999, mas graficamente melhoradas e com mais detalhes nas telas de transições.

A história de Crash Team Racing Nitro-Fueled é a mesma do primeiro game. Nitros Oxyde, o piloto mais rápido da galáxia, desafia os terráqueos a superar seus desafios e vencê-lo em uma corrida. O desejo do vilão é transformar toda a terra em um estacionamento intergalático.

O jogo possui, inicialmente, oito personagens disponíveis (os outros 12 são desbloqueados de diversas formas). Cada um deles possui skins diferentes, uns mais que outros. Crash, por ser o grande protagonista da franquia, tem seus estilos baseados em roupas que usou em outros jogos, como a roupa de mergulhador. Os visuais retrô também aparecem (incluindo Neo Cortex e Coco) e nos veículos.

Imagem de Crash Team Racing Nitro-Fueled
Como esperado, Crash é quem tem mais estilos diferentes.

Martelinho de ouro

Uma das grandes novidades do jogo é a personalização. É possível escolher o chassi, rodas, pinturas e até os adesivos dos karts. No entanto, para desbloqueá-los, é preciso jogar bastante. Apenas alguns são liberados correndo, enquanto outros devem ser comprados na loja do game. Não se preocupe, não tem microtransações, mas o modo de conseguir essas moedas (sim, gastando pneu no asfalto) é bem cansativo.

A cada corrida disputada, há uma premiação dependendo da pontuação de nível. Chegar em primeiro no hard é o que resulta nos melhores cachês. Ganhar de 15 a 40 moedas em uma corrida é relativamente pouco para desbloquear diversos personagens e itens – os itens vão de 500 a 2500 moedas. Há uma certa incoerência entre eles: uma pintura de carro não deveria ter o mesmo preço de um personagem, mas é algo que acontece.

Imagem de Crash Team Racing Nitro-Fueled
Muitos itens são desbloqueados nas primeiras corridas.

Com tantas formas de personalização, o gameplay fica divertido pela variedade. Em corridas, você vai disputar com um Tiny Tiger branco e em outras com ele vestido de general, por exemplo. O mesmo vale para o jogador, que pode alterar o personagem escolhido a cada partida disputada.

Um ponto negativo é que, assim como os “Crash corrida” anteriores, as modificações nos carros não alteram a jogabilidade. Usar um chassi A ou B, com roda C ou D não fará diferença. O que importa são as características de velocidade, aceleração e curva do personagem escolhido. Em teoria, personagens maiores deveriam ter mais efeito físico sobre os outros. O Dingodile bater no Pura, por exemplo, não muda em nada durante uma disputa de posições.

Imagem de Crash Team Racing Nitro-Fueled
Há também pistas com visuais retrô, além dos karts e dos personagens.

Trocando a marcha

Há dois modos de jogo. Nitro-Fueled, com todas as edições nos karts e a possibilidade de trocar de personagem no modo Aventura. O modo Clássico, como já é de se imaginar, repete a campanha do primeiro game. O jogador escolhe um dos corredores e fica com ele até o final da história.

Infelizmente, a campanha de “Crash Nitro Kart”, de Playstation 2, não está presente no remake. No entanto, todos os personagens estão disponíveis para compra no Pit Stop e suas pistas podem ser testadas em corridas únicas ou nas copas (offline e online).

Imagem de Crash Team Racing Nitro-Fueled
A comemoração no pódio fica ainda mais divertida com os novos visuais.

Em cerca de quatro/cinco horas, dá para finalizar a campanha principal. Desafios contra o tempo, de coleta de caixas e outros objetos, compõem as pistas e as arenas de gameplay. Isso ajuda a deixar o jogo mais longo, mas ter a campanha do jogo do PS2 seria um grande ponto positivo.

A equipe de desenvolvimento foi impecável em reproduzir fielmente cada mapa e personagem. Talvez se aproveitando de Crash ‘n’ Sane Trilogy, as pistas estão repletas de referências e NPCs dos mapas dos jogos de plataforma do marsupial. A cada corrida, dá pra perceber algo novo no cenário.

Imagem de Crash Team Racing Nitro-Fueled
Há interação com todos os chefes antes de entrar na disputa deles.

Antes de cada corrida contra o chefe do mapa (que são bosses de jogos anteriores do Crash), há uma animação nova e uma história – que não estavam no jogo de 99, onde havia apenas um vídeo do piloto se introduzindo. Isso valoriza muito a história, dando mais profundidade e detalhamento, engajando mais o jogador.

Puxando pro lado

O game dá a possibilidade de escolher a dificuldade de duas formas diferentes. No Nitro-Fueled, é possível escolher entre o modo fácil, médio e difícil. Não tenho grande experiência em jogos de corrida, mas o fácil é ideal para quem nunca jogou um game de corrida como este (seja do Mario ou do Sonic).

Imagem de Crash Team Racing Nitro-Fueled
De volta à loucura.

Mas a transição para o nível intermediário pode ser complicada. Há corridas tranquilas e outras mais complicadas – vale ressaltar que passar de primeira em uma corrida é complicado, já que é preciso decorar certas partes do trajeto para ir melhor. O modo mais complexo é um verdadeiro desafio, recomendado só para quem não sabe o que é terminar uma corrida fora do pódio.

No Clássico, a dificuldade é baseada nos corredores. Eles são divididos em Iniciantes, Intermediários e Avançados, mas o desequilíbrio entre as dificuldades é o mesmo do outro modo.

Seu copiloto em qualquer lugar

Com a possibilidade de jogar em tela dividida, a nostalgia pega forte mais uma vez. Corridas solo, copas e as batalhas (individuais e em equipes) estão disponíveis no multiplayer local e no online – elas também proporcionam moedas ao final.

Imagem de Crash Team Racing Nitro-Fueled
Dicas são dadas ao longo do jogo e devem ser usadas para vencer as corridas.

No primeiro dia com Crash Team Racing Nitro-Fueled, tive alguns problemas de conexão e instabilidade de servidor atrapalhavam a experiência. Depois de um patch de atualização, tudo se resolveu. Os servidores se mostraram bem mais competentes. Não há lag nos outros corredores – ou seja, você sempre vai acertar seu oponente com aquele míssil bacana.

Talvez como uma forma de incentivar que seus corredores disputam conectados, o jogo dá premiações dez vezes maiores. É possível conseguir, no mínimo, 300 moedas ao fim de cada corrida ou batalha. Para desbloquear os itens e personagens do jogo, ter um serviço por assinatura é a melhor opção – mas, infelizmente, ter esse recurso para poucas pessoas é ruim, pois quem não é assinante de uma Xbox Live ou PS Plus vai demorar muito mais para conseguir todos os consumíveis do jogo.

Apesar dessas limitações, Crash Team Racing Nitro-Fueled é a melhor revitalização possível do clássico e entrega o que promete: diversão alucinada e corredores ainda mais insanos.

Imagem do texto de RKGK

Review – RKGK / Rakugaki

Marco AntônioMarco Antônio10/06/2024