Skip to main content

Após anos trabalhando no ramo da mecânica automotiva, já me deparei com diversas situações que me deixaram com os cabelos em pé, mas nenhuma sequer chega perto dos problemas encontrados na parte dos freios. Como sempre, há pessoas dispostas a inovar e quem sabe mudar o que está escrito nas páginas da história, e Brakes Are For Losers tenta fazer o mesmo com jogos de corrida, porque afinal de conta, quem precisa de freios?

Brakes Are For Losers é diferente do que se pode esperar de um jogo convencional de corrida, afinal como o próprio nome já diz, não existem freios nessa competição maluca. Os controles são extremamente básicos, mas isso não quer dizer que o jogador não deva se esforçar para dominá-los completamente. Com os direcionais, o jogador irá controlar o veículo, um botão para a buzina e um outro para o turbo. Com isso em mente, você deve aprimorar ao máximo a sua habilidade de drift e seus reflexos para poder fazer as curvas nos momentos exatos, assim como desviar dos oponentes e outros obstáculos da pista.

Brakes Are For Losers é bem interativo, algo que podemos notar já no menu, pois ao invés de apenas escolhermos modos, temos de guiar o carro até a opção desejada. Graças a isso, você sempre estará treinando como guiar o seu micro-carro de corrida. Neste cenário há a escolha entre desafios, campeonatos ou apenas corridas casuais.

Simples, interativo e já serve como um tutorial!

Déja Vu!

Após ter se acostumado com os controles e ter escolhido o modo de jogo, é hora de se preparar para a corrida, seja com os bots ou com até oito jogadores no modo multiplayer (o que torna o jogo mais interessante). Cada corrida coloca o jogador em torno de uma variedade de circuitos contra sete outros competidores, mas em vez de um limite de três voltas, você deve completar o maior número de voltas possível dentro de um determinado período de tempo. Caso prefira um limite de volta, essa opção também está disponível.

É claro que, em Brakes Are For Losers, nada é tão simples quanto dirigir em uma pista, pois além de não haver freios também há itens e power-ups importantes, incluindo obstáculos como manchas de óleo ou a capacidade de utilizar o turbo mais uma vez. Você precisará reparar seu veículo regularmente, fazendo paradas estratégicas nos pit stops, e como se isso já não fosse suficiente, seu carro pode ser aprimorado entre uma corrida e outra nos seguintes stats: aceleração, manuseio, velocidade, controle e resistência da carroceria.

A física do jogo deixa a desejar em diversos momentos. A velocidade de derrapagem, curvas e velocidade geral dos carros é bem feita, no entanto não é tão atraente e cativante quanto deveria ser em um jogo como esse. Muitas vezes não há sensação de emoção dirigindo esses carros ao redor da pista.

As vezes você acaba entrando no pit stop sem querer.

O aspecto mais decepcionante são os gráficos. Apesar de serem bem inspirados em jogos do gênero lançados nos anos 80 e 90, isso não é desculpa para entregar um material tão genérico e sem graça durante certas partes. Algumas pistas do título podem ser facilmente comparadas ​​a um jogo flash de navegador. A trilha sonora faz um pouco de esforço, com uma seleção de músicas que sugerem algo interessante e original, mas acabam ficando por aí mesmo. Infelizmente, os efeitos sonoros são também insatisfatórios, com ruídos do motor tão fracos que certas vezes parecem ausentes, mesmo se desligar a música.

Mesmo não sendo tão agradável aos olhos e aos ouvidos, Brakes Are For Losers ainda é uma experiência interessante e inovadora. Ao usar essa perspectiva de câmera pouco utilizada nos dias de hoje, podemos imaginar estar correndo em um autorama. A dificuldade aqui não é algo tão gritante, dependendo mais da habilidade e concentração do jogador. Além disso, a possibilidade de jogar com até 8 pessoas torna ele um ótimo jogo para se jogar com os amigos, e pelo fato de não exigir tanto para se terminar uma corrida também pode ser um bom passatempo.

Imagem do texto de RKGK

Review – RKGK / Rakugaki

Marco AntônioMarco Antônio10/06/2024

Review – Blockbuster Inc.

Paulo AlmeidaPaulo Almeida04/06/2024