Skip to main content

A Segunda Guerra Mundial é um dos, senão o maior, tema utilizado em exaustão pela indústria do cinema e também dos games. Quase impossível pensar em algum entretenimento com essa temática que não seja mais do mesmo e que seja capaz de conquistar sua atenção por tantas horas. Bomber Crew surge como um grato e interessante respiro, apresentando uma abordagem diferente e que consegue construir sua própria identidade. Tudo isso faz com que esse lançamento para os consoles, meses depois do lançamento para PC, consiga navegar nesse mar de títulos que transbordam e saturam a mecânica do bem contra o mal em uma grande guerra.

Em suas devidas proporções, o trabalho da Runner Duck consegue ir pelo mesmo caminho da Ubisoft ao mudar a perspectiva da primeira pessoa para algo mais peculiar. Quem imaginaria um dia estar no controle de um bombardeiro aéreo inglês? Jamais pensei que teria a chance de sobrevoar por missões europeias e por locais de combates reais (mesmo que sua atuação seja superficial).

Preparar para decolagem

Nesse jogo o forte não é a história. Tudo bem que todas as missões possuem um “por quê” e possivelmente você tenha um algoz para enfrentar, sendo um grande (e muitas vezes difícil) chefão pelo caminho. O importante é você conhecer em Bomber Crew a maneira como os desenvolvedores conseguiram criar o sentimento de carinho e afeto pela sua progressão. E a resposta para tudo isso é: integrantes do seu pelotão! Isso mesmo, os personagens, que também não possuem background e nem sequer uma história individual, são os principais responsáveis e a motivação para você se importar com esse jogo.

Imagem do jogo Bomber Crew
“O conceito de estratégia, em grego strateegia, em latim strategi, em francês stratégie… Os senhores estão anotando?”

Quando começar sua jornada na aeronáutica, você conseguirá evoluir o nível dos integrantes que voarão nas missões; a evolução desses mesmos recrutas farão sua vida ficar mais fácil por conta da melhoria de suas habilidades e, consequentemente, aumentar a sua “relação” com cada um deles. O problema é que basta um descuido para toda a sua equipe ser morta em ação. Por conta disso o desespero de ver seu avião sendo alvejado, seus pilotos agonizando em dor e a urgência de tentar salvar seu time com certeza vai valer mais do que qualquer história. Afinal, você pode ir do início ao “fim” do jogo utilizando os mesmos personagens ou perder todos eles entre uma missão e outra. Cruel, não é mesmo?

Essa progressão carrega consigo um outro ponto fortíssimo do game: as várias possibilidades de customização. Desde o seu avião aos personagens, você conseguirá ter uma grande diversidade de itens cosméticos para criar seu próprio pelotão. Dezenas de visuais para customizar a sua aeronave, roupas para os oficiais e melhorias para o avião são algumas das opções que você terá para desbloquear com o dinheiro arrecadado ao final de cada missão. Voltar com o avião inteiro, sem nenhuma morte na sua equipe e até mesmo cumprindo desafios extras durante a missão, só aumentarão a sua experiência (para desbloqueio e melhoria de algumas habilidades dos personagens) e também o número de moedas conquistado.

Imagem do jogo Bomber Crew
A visão 360º ao redor do avião contribui para saber exatamente o que atacar.

Assim como a customização vai além de cosméticos, você tem treinamentos para otimizar as habilidades dos sete personagens que participarão das missões, além das melhorias que você pode conquistar para o seu avião. Quando olhamos individualmente, seja para os personagens ou para sua nave, ambos possuem capacidades individuais e que conseguem fazer a diferença para o sucesso da partida. Basta a escolha errada do outfit, do status ou da ação para seus personagens para literalmente ver tudo desabar. Essa é uma das raras vezes, exceto em RPG, em que as customizações que fazemos afetam diretamente o desempenho que você tem durante o jogo.

Inimigo avistado e abatido

Passando a parte de customização e preparação, Bomber Crew se revela um jogo extremamente desafiador. Não apenas por exigir que você monte sua estratégia no primeiro momento, durante os preparativos dentro da base, mas também com a sua destreza e resiliência ao enfrentar os desafios durante os vôos pela Europa. E o por quê disso tudo? Simplesmente por ser um jogo com alto grau de dificuldade. Se você deseja manter a mesma equipe por várias missões – não consegui manter por mais de cinco – com certeza você terá um desafio imenso pela frente. A cada nível conquistado, o jogo destravará missões cada vez mais difíceis. Basta um pequeno descuido para ver seu avião pegar fogo, ser abatido, ter seus personagens mortos ou até mesmo sofrer com o clima.

Imagem do jogo Bomber Crew
Tudo fica ainda mais complicado com uma chuva de balas em sua direção.

Infelizmente, influenciando diretamente o desafio que o jogo propõe, os controles não ajudam muito. Para atacar todos os aviões inimigos você precisará utilizar a câmera externa da aeronave para marcar seus inimigos após mantê-los dentro da mira por alguns breves segundos; pode parecer fácil, mas não é! A navegação entre os personagens, as opções e as marcações de ações e a escolha do caminho que precisam percorrer não é nada prática e muitas vezes dá um nó na cabeça. Você precisa apertar um botão pra abrir a seleção de integrante para enfim escolher sua ação. Complexo, não é mesmo? Isso poderia ser evitado com o uso de um cursor para navegar e selecionar.

A mesma bronca vale para as opções dentro do quadro de ações de cada personagem: o cockpit libera funções de vôo; para navegação você precisa ter alguém no banco certo dentro do avião; para bombas, envio de carga ou fotos de reconhecimento um personagem precisa ser colocado abaixo da metralhadora frontal, etc. Agora imagine você prestar atenção em tudo isso ao mesmo tempo e tendo que utilizar botões incomuns para, por exemplo, mover o personagem escolhido. Pode ter certeza que no meio de uma missão de nível mediano você será alvejado várias vezes até pegar as manhas da câmera interna e externa do avião, do botão para selecionar personagem e ainda prestar atenção em quem vai para qual posto de comando.

Imagem do jogo Bomber Crew
Mesmo com indicações na tela, achar os inimigos será uma árdua missão.

O que atrapalha Bomber Crew é justamente esse exagero de comandos. Se tivéssemos uma mãozinha ao melhor estilo Smash Bros., com um auto select para tarefas pré-determinadas pelo local do avião, com certeza as tarefas seriam mais fáceis. Afinal o que mais um piloto pode fazer no local de comando da aeronave? Simplificar a jogabilidade seria o melhor caminho para oferecer uma experiência mais agradável e não afugentar os jogadores.

Câmbio, desligo!

O trabalho da Runner Duck tem tudo para ser um grande sucesso nos consoles, ainda mais no Switch. A trilha sonora não é lá grandes coisas, mas o visual carismático o faz realmente se importar com o time de aeronautas. Quando vi esse jogo rodando num PC eu fiquei maluco para jogar a versão de console, mas infelizmente a magia foi quebrada pela complexidade na combinação de controles que você precisará usar durante as missões. Inegavelmente, o título pode decepcionar os jogadores de pavio curto.

Imagem do jogo Bomber Crew
A proposta é você voltar pra casa, talvez não com um avião em frangalhos.

Se ainda tivéssemos a oportunidade da repetição livre, para os que desejam treinar para melhorar, com certeza Bomber Crew teria um lugar reservado no meu coração. O que agrava ainda mais é saber que uma missão falha passará pela timeline do “Main Campaign Progress” e dificilmente voltará a aparecer tão cedo, principalmente se com ela vier um chefão. Ao final da sua jornada, talvez a Grande Guerra não termine como você deseja e retornar para mais uma campanha pode ser um ponto forte para abandonar esse jogo.

Imagem do texto de RKGK

Review – RKGK / Rakugaki

Marco AntônioMarco Antônio10/06/2024

Review – Blockbuster Inc.

Paulo AlmeidaPaulo Almeida04/06/2024