Skip to main content

Um assovio quebra o silêncio da trincheira enquanto um morteiro se aproxima, soldados com os pés chafurdando na lama fétida misturada com sangue e corpos em decomposição, tentam sobreviver, mas em Amnesia: The Bunker, a superfície recheada com balas voando de ambos os lados é o local mais seguro para os soldados franceses.

Em Amnesia: The Bunker o tempo e o espaço se encontram nas trincheiras Francesas, onde o protagonista Henri Clément irá conhecer um pavor que jamais fora conhecido na terra. O local que antes era visto como a última alternativa de segurança, se torna uma armadilha mortal para Henri e os outros soldados de seu batalhão.

Podendo atacar diretamente a criatura desta vez, Amnesia: The Bunker é uma experiência mais curta do que as anteriores, mas isto não quer dizer que seja menos impactante. Segredos nos esperam nas profundas sombras subterrâneas deste bunker.

Amnesia: The Bunker
Será essa sua última visão da superfície?

Um flash de luz na “Terra de Ninguém”

Amnesia: The Bunker abre com o jogador conhecendo Henri Clément correndo pela sua vida pelas trincheiras francesas, enquanto soldados alemães avançam ferozmente. Encurralado, Henri recebe ajuda de seu amigo Augustin Lambert, que inclusive o salva de um ataque alemão de Gás Mostarda, trazendo uma máscara no momento exato.

Após isto, durante uma missão de reconhecimento, Augustin desaparece e Henri avança pela “Terra de Ninguém” em busca de seu amigo. Chegando a uma cratera ele vê Augustin ferido, dando d’água do local para Augustin beber e recobrar a consciência, enquanto fogem ambos são atingidos pela onda de choque de uma bala de morteiro.

A última coisa de que Henri se lembra antes de acordar, é de seu amigo falando sobre o quão estranho era o gosto d’água. Acordando muito depois, já na ala médica do bunker, Henri nota que o local está vazio, silencioso e extremamente inquietante. Resta ao jogador seguir bunker adentro para descobrir o que está acontecendo.

Amnesia: The Bunker
Existem casos no qual a morte é a melhor opção

Ao chegar na cozinha, Henri encontra outro soldado aliado, chamado Boisrond, antes que possa explicar o que está acontecendo, mãos surgem por um buraco da parede e puxam-no para a escuridão logo após ele nos dizer como fugir. Mantenha a luz acesa e não faça barulhos, sobreviver é sua missão agora, gerencie sabiamente seu inventário, colete provas, evite a fera e não fique na escuridão parar manter sua sanidade intacta.

A luz que ilumina, também denuncia

O silêncio é a maior arma do jogador em Amnesia: The Bunker, afinal uma enorme criatura quadrupede vaga pelos corredores em busca de sua próxima vítima. Atento a qualquer ruído que possa ser feito pelo jogador, a criatura conhecida como A Fera está caçando Henri, tanto para saciar sua sede de violência, quanto por talvez, ajuda.

Como dito, Boisrond deixa com o jogador um revólver, sua única forma de se defender diretamente da fera. Mesmo tendo uma arma de fogo, não acredite que ele irá te salvar, pois a pele dessa criatura é grossa e forte, com o revólver apenas o incomodando, se quiser para-lo de vez em quando será necessário granadas de fogo, explosivas, de gás e até mesmo uma espingarda.

Amnesia: The Bunker
Colete provas, fotos e relatos dos eventos que ocorreram no bunker durante seu coma

Fora essa mecânica, em The Bunker, a aposta da iluminação é multiplicada com a mecânica do gerador. Pelo Bunker, além de itens de cura, granadas, panos, tochas e balas, é possível se encontrar combustível, este que é usado para se abastecer um gerador que ilumina toda a área subterrânea do bunker, com a luz impedindo o avanço da Fera, já que a mesma a teme.

Sempre que abastecemos o gerador, ganhamos mais tempo e facilitamos a exploração do bunker, já que podemos ligar seções inteiras de iluminação, mas cuidado, quanto mais luzes acesas, maior o consumo de combustível e menor o tempo que elas permanecerão assim.

Poucos minutos, que parecem horas

Amnesia: The Bunker é bem menor do que os outros jogos, podendo ser vencido razoavelmente rápido caso o jogador saiba como manipular as alavancas de luz e circundar a fera. Com isso o jogo se torna razoavelmente fácil, com os maiores problemas sendo alguns pequenos imprevistos de iluminação e os ratos espalhados que podem e irão morder o jogador caso tenham a chance.

Amnesia: The Bunker
Mesmo sendo sua aliada, a lanterna faz muito barulho, use com cuidado

E o fato de ser um jogo tão razoavelmente curto, mas que apresenta tantas ideias é seu maior ponto fraco. Quando começamos, acreditamos que a fera é algum experimento de guerra, logo encontramos ruinas romanas, que nos fazem acreditar que o monstro é algo mitológico, porém ao final descobrimos uma terceira ruina, que é a responsável pela fera e digamos que acabou forçando um pouco demais a barra em minha opinião.

Ainda assim Amnesia: The Bunker é uma excelente experiência de horror, os corredores vazios e visão embaçada de Henri na escuridão irão mexer com os sentidos dos jogadores. É um jogo razoavelmente leve, com setups mais simples sendo capazes de roda-lo e o uso de fones é extremamente necessário para total imersão.

Teste sua capacidade de fugir de uma terrível fera a espreita nos corredores deste bunker e viva parar contar a história, ou não em um dos dois finais de Amnesia: The Bunker.

Imagem de The Thaumaturge

Review – The Thaumaturge

Marco AntônioMarco Antônio04/03/2024

Review – Top Racer Collection

Rafael NeryRafael Nery04/03/2024