Skip to main content

Gosto bastante de associar com experiências anteriores ou outros jogos durante a construção de um review. E para Achtung! Cthulhu Tactics fica ainda mais fácil explicar a base utilizada pela desenvolvedora Auroch Digital: imagine um grande encontro entre XCOM, aquele jogo de guerra entre humanos e alienígenas, e o universo criado por H.P. Lovecraft. O que começou num jogo de tabuleiro agora ganha proporções maiores, talvez não como eu esperava, mas que com certeza ganha seu espaço dentre os escassos títulos do gênero dos RPGs por turnos.

Fica claro mais uma vez que a fórmula de criar joguinhos que tragam os horrores da guerra ou o terror dos Antigos Anciões são cada vez mais comuns. Talvez ambos já estejam desgastados, mas que ainda seguem ganhando destaque quando chegam ao mercado. Afinal, ainda carregam certo fascínio dos fãs dessas temáticas e do estilo de gameplay oferecidos.

Achtung bitte!

Foi a partir de Achtung! Cthulhu Skirmish, um jogo de tabuleiro criado por Matthew Hope e lançado em 2016 para uma franquia criada pela Modiphius Entertainment, que a Ripstone resolveu repensar e lançar para os consoles. Você controlará um grupo de quatro personagens atrás das linhas inimigas para resgatar uma equipe de Aliados ao mesmo tempo em que enfrenta as ameaças do Eixo. Para deixar tudo mais interessante, você encontrará criaturas do Mythos ao lado de tanques e soldados, descobrindo que uma simples missão pode ter desdobramentos importantes para evitar o despertar de Nyarlathotep.

Imagem do jogo Achtung! Cthulhu Tactics

O bem contra o mal.

Não espere nada muito além da história principal como, por exemplo, missões paralelas com foco nesse universo riquíssimo, muito menos reviver batalhas históricas da Segunda Guerra Mundial. Os desenvolvedores foram muito rasos quando pensaram na formatação dessa narrativa. No entanto compensaram os jogadores com um bom trabalho em como contar o desenrolar do plot, com áudios e sequências estáticas entre capítulos, além de criar personagens com background interessantes.

Imagem do jogo Achtung! Cthulhu Tactics

O fator sorte do jogo não ajuda muito no combate.

Trazendo da sua obra original e mantendo os mesmos conteúdos e visuais, nós temos Ariane Dubois, da resistência francesa com seu pequeno demônio de estimação e sua mortal pistola Luger, (o meu preferido) Corporal Akhee “The Eye” Singh, um especialista em combate com facas e carregando seu misterioso amuleto, Sergeant Brandon Carter, um soldado da brigada americana com seu armamento pesado, e Captain Eric ‘Badger’ Harris, do departamento secreto britânico. Do lado do Eixo, você encontrará os nazistas que servem ao Black Sun e as criaturas que lutam pelo despertar de Nyarlatothep, o mensageiro.

Da mesma maneira que tiveram cuidado em manter as personagens, a ambientação na Floresta do Medo na região de Ardenas, entre a Bélgica e Luxemburgo, serve como um bom cenário para essa história. Com poucos cenários fechados, as ambientações acabam sendo repetitivas, mas que servem ao seu propósito.

Imagem do jogo Achtung! Cthulhu Tactics

Melhor adaptação do conceito ficha de personagem.

Diferente de XCOM, aqui você encontrará uma mecânica muito conhecida dos board games e que foi bem trabalhada para o digital: fog of war. Essa névoa serve para esconder e mascarar seus inimigos, incentivando a exploração. Assim como uma mecânica de “push your luck” para os tabuleiros, o jogo ignora a seleção aleatória de inimigos (que na minha opinião é outro potencial desperdiçado), para apenas evitar que você conheça a real ameaça que terá pela frente.

Taktisches spiel

Falando em mecânicas, o fog of war vai muito além de um artifício utilizado em jogo a favor da Inteligência Artificial. Ela justifica as escolhas dos cenários e ambientações escuras, algumas claustrofóbicas e que poderiam propiciar certos momentos de jump scare, mas que acabam falhando em recriar os sustos e o medo natural do universo lovecraftiano. Muito do jogo acaba sendo interessante pela cautela em que você precisa ter ao explorar, já pensando em quais elementos do cenário você usará como barreira para sua proteção ou qual personagem utilizará para estar à frente. A partir do momento em que o seu ponto de vista atinge algum inimigo escondido pela névoa negra, você precisará definir o seu campo de visão para o combate.

Imagem do jogo Achtung! Cthulhu Tactics

Acostume-se, pois seu campo de visão nem sempre será o ideal.

Caso queira se movimentar, alterar para onde as personagens estão olhando/mirando ou até mesmo utilizar suas armas ou habilidades, Achtung! Cthulhu Tactics tem umas outras duas mecânicas que farão você queimar neurônios: os já conhecidos Action Points e os Momentum Points. Justificando ainda mais a jogabilidade em turnos, esses pontos serão cruciais para você aprender como jogar e não se frustrar desde o começo. Também justificando a árvore de habilidades, você conseguirá balancear seu formato de jogo com as personagens focadas em suporte, ataques à distância ou corpo-a-corpo, além das magias que estão presentes nessa Guerra Secreta entre a nossa realidade e a insanidade do Mythos.

Imagem do jogo Achtung! Cthulhu Tactics

Muita estratégia para atacar e se proteger.

Ainda dentro desse universo riquíssimo, os desenvolvedores conseguiram encontrar uma forma de levar a insanidade dos jogos com temática derivada das obras de Lovecraft. Aqui você terá uma barra de “sorte”, em que você primeiro levará dano para depois perder pontos de vida. Por conta disso, o nível de estresse da sua equipe pode aumentar e consequências negativas serão ativadas e suas personagens podem cair em exaustão, ficando inutilizadas. Uma pena ver que mais uma vez o potencial desse universo não é explorado assim como em Eldritch Horror, Arkham Horror e Call of Cthulhu, em que suas personagens ficam loucas a ponto de atacar seus companheiros ou se tornarem as próprias criaturas que combatem.

Ein bisschen terror

Sem muitos elogios para o visual, mas com bastante fidelidade ao jogo original, você terá todas as miniaturas, livros e regras traduzidos em uma interface bem intuitiva e fácil de usar. No entanto o lado dark, a aflição e o terror de H. P. Lovecraft que esses jogos normalmente causam acabam sendo muito simples e ficando em segundo plano, sem causar nenhum tipo de desconforto em quem está jogando.

Imagem do jogo Achtung! Cthulhu Tactics

Esse é um exemplo de um cenário “medonho”.

Sem esses diferenciais de outros títulos, após as primeiras horas de muito combate o jogo acaba mostrando um grande problema para os menos entusiastas. A repetição por conta da trilha sonora fraca e quase inexistente, os poucos cenários e os combates longos, podem desanimar quem não tem tanta familiaridade com o gênero ou com a temática. Diferente de XCOM e outros jogos como, por exemplo, Final Fantasy Tactics e Breath of Fire, você pode levar até mais de 30 minutos em um mesmo cenário. E no fim pode dar tudo errado por falta de estratégia.

Imagem do jogo Achtung! Cthulhu Tactics

Ainda precisam de alguns ajuste no balanceamento para o combate não ser frustrante.

Talvez o diferencial entre as versões de mesa e dos consoles acabe sendo evidenciada nesses detalhes que contribuem para a experiência de jogo, pois a ambientação, cadência e interação com demais jogadores ficam de fora nessa versão para PC e consoles.

Imagem do texto de RKGK

Review – RKGK / Rakugaki

Marco AntônioMarco Antônio10/06/2024

Review – Blockbuster Inc.

Paulo AlmeidaPaulo Almeida04/06/2024